Relações e família

Como pode um casal que está a trabalhar em casa manter a sanidade mental

Estão os dois há demasiado tempo em casa? Promovam o bem-estar entre o casal com alguns conselhos que temos para ambos.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Como pode um casal que está a trabalhar em casa manter a sanidade mental
© Getty Images
Marta Chaves
Escrito por
Abr. 16, 2020

Entre picardias sem sentido, falta de paciência e irritabilidade, os casais que estão de quarentena e a trabalhar em casa podem estar a enfrentar um período complicado na relação.

Ao longo da pandemia, muito se tem falado sobre como o tempo em casa tem afetado as relações, quer haja filhos ou não. Cidades como Xian ou Dazhou reportaram números recorde de pedidos de divórcio no início de março. Noutras cidades como Dazhou, por exemplo, mais de 300 casais pediram o divórcio, devido ao elevado número de discussões e desentendimentos durante o período de isolamento.

As notícias podem ser desoladoras, mas há formas de contornar a situação de forma a que os casais trabalhem diariamente para manterem a relação equilibrada.

Samantha Clarke, coach e autora do livro Love It, Leave It, em entrevista à revista Forbes sobre a harmonia de um casal em tempo de quarentena, refere: “o casamento ou o namoro nem sempre são 50/50. Tem de perceber que hoje o seu parceiro pode fazer 20% e você até tem energia para fazer 80%, e nos outros dias os papéis são revertidos”.

Não culpar, não cobrar e não interferir com a rotina um do outro parecem ser os fatores-chave para que o isolamento não se torno num martírio para ambos. Deixamos alguns conselhos em baixo.

Dicas para casais a trabalhar debaixo do mesmo teto

Se possível, trabalhem em locais separados

É importante cada um ter o seu próprio espaço de trabalho, uma vez que é o que acontece na rotina dita normal. Se for possível trabalharem em diferentes espaços da casa, esta será mesmo a melhor opção para haver algum distanciamento.

Se não, criem o vosso próprio espaço e respeitem a forma de trabalhar um do outro – há papéis a mais em cima na mesa? Está tudo um pouco mais desarrumado do que o normal? Tente não se preocupar com os maneirismos de cada um, pois passado algum tempo é possível que ambos fiquem mais facilmente irritados com pormenores.

Usar auscultadores é uma boa opção para se concentrar e estar mais focada na sua própria rotina de trabalho.

O ‘me time’ é importante para os dois

Criar rotinas novas é algo a que devem estar dispostos. Não têm de fazer tudo juntos, nem estarem constantemente nas mesmas divisões da casa.

Em vez disso, criar horários para que tenham tempo para si próprios é imprescindível nesta altura. Procure ter novos hobbies, sejam eles ler, jogar um videojogo, entrar numa videochamada com as amigas, fazer exercício ou cozinhar.

Por outro lado, não se esqueça do romantismo

É possível que, porque passam 24 horas juntos, se esqueçam de ter atitudes mais românticas entre os dois. Tente lembrar-se de manter a chama acesa.

Porque não planear uma noite romântica? Isto inclui cozinharem (ou encomendarem) um prato que normalmente não cozinhariam, vestirem roupa que não inclua calças de fato de treino ou pijama, tal e qual como se fossem jantar fora, desligarem a televisão ou qualquer outro aparelho eletrónico e criarem um ambiente intimista.

Apostar em rotinas alternativas é a chave para os casais que estão fechados no mesmo espaço.

A intimidade tem de continuar a ser prioridade

Pode não ser fácil continuarem a ter uma vida sexualmente ativa neste período. Por vezes, a proximidade (neste caso, devido ao isolamento) pode também causar afastamento. Felizmente, há alguns recursos a que podem auxiliar.

A sexóloga Aline Castelo Branco lançou uma iniciativa solidária (e por isso sem custo) para todos os casais que possam enfrentar alguns obstáculos na relação. Fale Comigoé um projeto que permite oferecer consultas online a casais que precisem de ajuda para ultrapassar alguns constrangimentos provocados pelo tempo excessivo que passam juntos.

Para falar com a especialista tem de responder a um questionário prévio e os assuntos abordados não têm necessariamente de estar relacionados com sexo. O processo é totalmente sigiloso.

Os problemas têm de ser falados

Falados, sim, desde que a conversa não escale para uma discussão crítica. Os problemas financeiros podem ser uma das principais preocupações dos casais que estão a trabalhar remotamente ou para os que foram dispensados do seu trabalho.

É importante traçarem um plano e perceberem como podem minimizar custos, poupar e como vão suportar as despesas mensais futuras. Há podcasts e programas que podem ajudá-los com estes problemas – é o caso do Money Lab, por exemplo, que tem um podcast dedicado à área financeira.

Têm filhos e estão a perder a cabeça? Há como ajudar

Não é tarefa fácil ter os filhos em casa, todos os dias, e acompanhar não só o processo educativo, como organizar atividades de lazer. Não só as crianças estão cansadas, como os pais, enquanto casal, começam também a sentir o impacto do isolamento.

Algumas plataformas prometem ajudar as famílias durante a pandemia, e têm como objetivo ajudá-las a encontrarem um equilíbrio no seu dia a dia.

O ABA (Análise Comportamental Aplicada) lançou um projeto de solidariedade que consiste na disponibilização gratuita de um chat ativo, com uma equipa de psicólogos e analistas comportamentais dipostos a responder a todas as questões colocadas pelos pais. Funciona de segunda a sexta-feira, das 10 às 16 horas, e o seu foco é melhorar a qualidade de vida das famílias para conseguirem viver em harmonia.

Além disto, disponibiliza também dois vídeos por semana, no site e na página de Facebook, com sugestões de diferentes formas de reagir aos problemas com que os pais são confrontados a nível comportamental. Por exemplo, as birras, apoio ao estudo, ansiedade infantil, terrores noturnos, relações entre irmãos, mas também teletrabalho, impaciência e outros temas.

Começar um projeto em casa juntos

Não falamos de um negócio, mas sim de algo que possam fazer pelos dois e sem grande investimento.

Falamos de remodelar um espaço ou divisão da casa, começar uma pequena horta, remodelar o jardim, alterar a disposição dos móveis, entre muitas outras possibilidades.

Últimos