Relações e família

Estes são os 7 sinais que lhe podem indicar que ele é 'o tal'

Nos meandros dos relacionamentos amorosos, saber se estamos perante a pessoa cujo populismo chama de alma gémea pode revelar-se uma tarefa inglória e cheia de percalços. Será desta? Reunimos o que considerámos os 7 indicadores-chave de que pode muito bem estar perante o homem da sua vida.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Estes são os 7 sinais que lhe podem indicar que ele é 'o tal'
© Unsplash
Marta Vieira
Escrito por
Fev. 24, 2020

Sabemos perfeitamente o que queremos de uma relação amorosa. Um amor incondicional, a confiança máxima, um apoio constante e uma partilha de valores e interesses acentuados apenas são os requisitos mínimos.

Também temos na cabeça um ideal de homem e até elegemos algumas características físicas e psicológicas como fazendo parte do nosso “tipo” e cuja oportunidade não perdemos de contar às nossas amigas, não vá até já pertencerem ao seu círculo social.

O que acontece depois é muito diferente deste cenário idílico e organizado. Quando a vida nos coloca alguém no nosso caminho que nos abala por completo cá dentro, esquecemos imediatamente todas estas regras e a razão, bom senso e noção dão lugar a uma miscelânea de sentimentos e opiniões difíceis de controlar.

Para que não se sinta (tão) perdida nesta jornada emocional flutuante, sugerimos-lhe que dê especial atenção ao seguinte código de sinais que estão a falar diretamente consigo, caso ainda não tenha reparado. Perceba o que lhe pode estar a escapar (ou a faltar) para decidir se está perante o homem dos seus sonhos.

7 indicadores que lhe estão a dizer que ele é ‘o tal’

1. Permite-lhe que seja autêntica

Ter ao nosso lado uma pessoa que aceita toda a nossa estranheza e peculiaridades é mais do que um bónus. Na realidade, a questão da autenticidade é muitas vezes desvalorizada no plano das relações amorosas. Apesar de contribuir para o fim de muitas delas. Quantos relacionamentos já não terminaram por uma das pessoas sentir que não pode ser ela própria junto do outro?

Moldarmo-nos à personalidade do nosso parceiro no início de uma relação pode até parecer fazer parte desta fase de enamoramento ao qual se quer por tudo agradar ao outro. Mas quando deixamos a nossa essência de lado em prol de terceiros, mesmo que esse terceiro seja a nossa cara-metade, então talvez este não o seja de todo isso mesmo.

2. Respeita-a ponto

Na verdade, este segundo sinal deveria vir em primeiro lugar. Se fizermos a analogia da relação com uma casa, isto é, se compararmos a nossa relação amorosa aos vários segmentos de uma habitação, então o respeito seria um dos pilares base desta moradia, e não só mais uma parede.

Meninas, jovens e mulheres tomem muita atenção aqui: de nada serve ter o homem mais charmoso e inteligente, sociável e bonito, carismático e confiante ao nosso lado se este não nos tratar como merecemos. E o que todas (e todos) merecemos em primeiro lugar é que nos respeitem. Há muitas formas de sermos destratados, física e psicologicamente. Não deixe que nenhuma delas a atinja. Não estará a perder o amor da sua vida, simplesmente porque não o é.

3. Vibra com as suas conquistas

Não há nada mais encorajador na vida de uma mulher moderna do que o homem da sua vida apoiar os seus sonhos. E quem diz sonhos diz metas, objetivos, resoluções, desígnio de vida. O ciúme, a inveja, o controlo ou o medo não podem nunca sobrepor-se na personalidade de alguém cuja missão é apoiar-nos e ficar tão ou mais feliz do que nós pelas nossas conquistas.

Por favor, desconfie muito sempre que isto não acontecer, ou no mínimo, tente perceber o que está a passar. Sempre recorrendo ao diálogo, óbvio. O nosso maior fã deve, sem dúvida alguma, ser quem mora lá em casa, quem dorme todas as noites connosco, quem quer passar o resto da vida ao nosso lado.

4. Quer estar consigo tanto quanto quer estar com ele

Num relacionamento amoroso, só há um match, não daqueles que ocorrem nas apps amorosas, mas um verdadeiro, da vida real, quando duas pessoas querem em igual forma e medida estar uma com a outra. Atenção, não quer isto dizer que não haja dúvidas. Uma relação é feita de ciclos e, sobretudo, no início de um relacionamento (ou no fim) podemos questionar o quanto queremos realmente alguém nas nossas vidas.

Mas em larga medida é (muito) suposto que ambas queiram a presença do outro por igual. Não faz sentido manter uma relação onde não exista consonância nesta premissa básica. Já se fez esta pergunta hoje?

5. Promove a independência

Alguém que respeita não só a sua independência (nas suas mais variadas formas: financeira, emocional, social) em relação ao próprio, como a independência na relação merece, sem dúvida, ser levado muito a sério e é um alto candidato à categoria de mais-que-tudo. Quanto à primeira, na atualidade, a maioria das mulheres procura afirmar-se nos vários campos da sua vida, incluindo carreira e família, de forma a que não dependa do outro, mas sim que haja uma coexistência cooperante.

Já na relação, estudos científicos mostram que os casais mais adaptados não são os mais independentes um do outro ou mais fusionais de todos (está a ver um casal com um Facebook conjunto, exato) mas sim aqueles que estão em maior concordância um com o outro em relação a esta mesma questão. Isto é, casais que têm o perfil mais parecido (independente/fusional) são os que têm uma relação mais satisfatória, independentemente de penderem mais para a primeira situação, quer se identifiquem mais com a segunda.

6. Inspira-a a ser melhor

É avassalador – de um modo muito positivo – ter alguém ao nosso lado que nos leva a querer ser a melhor versão possível de nós mesmas para nós, para o outro e para o resto do mundo, em resumo. Não só na nossa relação amorosa, mas na vida em geral (no trabalho, na amizade, na família, na sociedade) fazer o exercício de procurar pessoas e relações que nos inspirem e que nos façam querer dar mais de nós é algo muito saudável e que contribui largamente para a nossa felicidade.

Sente isto com o seu namorado, marido, companheiro? É alguém que a cativa ao ponto da admiração e desejo mútuo? Sente-se inundada e contagiada pela sua presença, personalidade e forma de encarar a vida? É um fator bem mais importante do que poderia imaginar.

7. Partilha a mesma visão para o futuro

Finalmente, e não menos importante, ocorre a indagação quanto ao futuro da relação. Estar com alguém com quem não nos imaginamos num futuro a curto e longo prazo – seja qual forem com contornos desta imagem na nossa cabeça – não pode ser um bom prelúdio para o relacionamento, quem o diz é a psicologia.

É fulcral, em primeiro lugar, que ambos apareçam neste quadro e depois que estejam em sintonia quanto às vontades, desejos, objetivos, resoluções mas também valores que regem esta pintura do futuro. Tente perceber se a pessoa que o acompanha tem em comum consigo esta visão partilhada de uma vida a dois, para sempre.

Últimos