Casa

Organizar uma mudança de casa não tem de ser um pesadelo

Casa nova, vida nova. Parece simples, não fosse a mudança de casa uma tarefa tão inglória quanto desgastante para a sua saúde física e mental. Não desespere, elaborámos um guia para tornar a tarefa menos penosa.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Organizar uma mudança de casa não tem de ser um pesadelo
© Getty Images
Marta Vieira
Escrito por
Jun. 10, 2020

Uma mudança de casa despoleta em nós uma sensação de ambivalência. Se por um lado esperamos uma renovação quase de vida, sobretudo se estamos a mudar para melhor, por outro só de imaginar a dor de cabeça que nos espera, já estamos compelidos a desistir.

Não está a exagerar, compreendemos completamente esta dualidade de emoções. Como planear uma mudança de casa de forma organizada, fluida e sem espaço para um ataque de pânico pelo meio? Estamos aqui para a ajudar. Siga-nos.

Como organizar uma mudança de casa

1. Comece com uma lista (ou várias)

Logo que saiba que vai mudar de casa, o primeiro passo de todos será organizar-se. Como? Recorrendo a uma check list ou mais do que uma. Se já é uma adepta destes auxiliares de memória, sabe do que estamos a falar. Se está mais cética, eis um ótimo momento para experimentar.

Seja em papel ou no telemóvel, anote tudo o que precisa fazer desde momento presente até ao primeiro dia na casa nova, com os respetivos prazos. Sentir-se-á mais leve e motivada de cada vez que riscar mais um item.

2. Tenha tempo para tudo

As circunstâncias de uma mudança de casa são únicas para cada caso. Não subestime, no entanto, o seu bem mais precioso: o tempo. Quer esteja constrangida por este ou até mais à vontade, é necessário tentar fazer tudo com a máxima antecedência.

Isto porque, é bem provável que demore mais tempo a concretizar esta mudança do que inicialmente tinha pensado – muito devido aos imprevistos e alterações de última hora que vão surgindo. E, claro, conte que nem sempre estará com a mesma disposição e energia para esta demanda.

Acima de tudo, perdoe-se por um ou dois dias menos produtivos, mas mantenha o foco.

3. Reflita

Antes de começar com as arrumações propriamente ditas, decida o que quer fazer ao recheio da sua casa antiga e como este se pode adaptar ao novo espaço. Levar para a casa nova, deitar fora, doar ou vender são as opções.

O ideal é organizar-se por divisões, fazendo um inventário dos itens de acordo com estas mesmas opções. Esta é uma oportunidade por excelência para destralhar e render-se ao minimalismo que tanto pode ambicionar para a sua vida.

4. Caixas e mais caixas

O essencial de uma mudança de casa resume-se a isto certo? Encaixotar. Pois então torne-se uma mestre nesta arte. Uma boa aposta neste processo de arrumação será começar pelos objetos que não usa ou que não vai precisar até à mudança propriamente dita.

Depois já sabe, identifique as caixas de acordo com a divisão da casa a que pertencem (pode usar por exemplo um sistema de cores) e com o que reúnem lá dentro (escreva sob a fita adesiva).

Nunca feche um caixote sem ter a certeza de que o seu conteúdo não será necessário entretanto. Uma sugestão: não misture objetos leves e pesados na mesma caixa. Use as mais pequenas para itens mais pesados e as maiores para os mais leves.

5. Fragile – handle with care

Tenha especial atenção a objetos frágeis para que não se danifique nada no caminho até à casa nova. Loiças, molduras, espelhos, bem como móveis e eletrodomésticos devem ser protegidos convenientemente.

Nunca deixe espaço vazio nas caixas ou objetos à solta. Utilize papel de jornal, bolhinhas de plástico ou mesmo toalhas e mantas para proteger estes itens. No caso dos móveis, não se esqueça de guardar pequenos objetos como porcas e parafusos num saco bem fechado e identificado junto deste.

6. Analise as opções de transporte

No caso de possuir pouco material para transportar e ter à disponibilidade um carro ou carrinha para a mudança, muitas vezes até de amigos, pode tratar-se do método ideal para poupar dinheiro.

No entanto, a maioria das pessoas recorre a empresas de transporte para o efeito. Há muita oferta no mercado e preços para todos os bolsos, por isso com tempo peça orçamentos e não se deixe ludibriar.

Perceba qual o valor por hora/funcionário e a distância a percorrer. No transporte, a ideia será carregar para o fundo do camião o que for mais pesado e passar as coisas mais leves para a frente. Evite também o que for mais frágil na parte de cima do mesmo. Os artigos de valor, esses, mantenha-os perto de si.

7. No Final

Nos últimos dias antes da mudança evite o desperdício de comida. Aproveite para esvaziar o frigorífico e a despensa, evitando ir ao supermercado.

Faça também uma limpeza geral à casa antiga e deixa-a o mais parecida possível a como a encontrou (alguns retoques de bricolage podem ser necessários). Serviços como a água, eletricidade, gás e telecomunicações devem ser desativados na casa antiga e reativados na casa nova.

Já no próprio dia, conte com imprevistos, mas não deixe que a ansiedade tome conta de si, afinal deve ter tudo sob controlo. Deixe, igualmente, as crianças e os animais com avós ou amigos, para não serem mais uma fonte de stresse neste dia D.

8. Burocracias

Já depois da mudança de casa – a parte mais exaustiva de todo este processo – vem o que não lhe está nada a apetecer tratar, mas que é bem necessário. Em suma, resumimos os principais assuntos a resolver.

Deverá alterar a morada fiscal dos documentos oficiais (como o Cartão de Cidadão); solicite a reexpedição da correspondência postal junto dos CTT; atualize as informações do seguro automóvel e registe a mudança de morada no Documento Único Automóvel, em caso de necessidade.

Mas também procure acesso aos cuidados de saúde da nova área de residência; trate do dístico de residente se for o caso e não se esqueça de comunicar a alteração de morada no emprego.

9. Na casa nova

Os primeiros dias podem ser extenuantes, mas anime-se, está a criar um novo lar para si e para a sua família. Não se esqueça de criar um kit de sobrevivência para estas primeiras noites, onde deverá ter à mão os itens mais indispensáveis como pijama, os básicos da higiene, muda de roupa, comida enlatada, entre outros.

Como se diz “primeiro estranha-se, depois entranha-se”. Dê tempo para se adaptar a este novo espaço, bem como à vizinhança da sua nova comunidade. E não se esqueça, quando estiver devidamente instalada, reúna amigos e familiares e dê um jantar de inauguração com toda a pompa e circunstância.

Últimos