Sociedade

Tudo o que precisa de saber para acompanhar os pais e avós durante a pandemia

Se tem familiares seniores de quem está fisicamente separada devido à Covid-19, aqui pode encontrar algumas dicas para os apoiar e ajudar a gerir as rotinas e ansiedade.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Tudo o que precisa de saber para acompanhar os pais e avós durante a pandemia
Escrito por
Abr. 04, 2020

Pode não ser fácil convencer os idosos a ficar em casa e a manter a calma. Porém, há formas de ensiná-los a lidar com estes problemas, mesmo estando à distância.

À Saber Viver, Ana Eduardo Ribeiro, psicóloga na Clínica CUF Belém, explica exatamente o que pode ser feito a nível emocional e psicológico para encurtar esta distância física, sem quebrar o isolamento social que é neste momento de extrema importância.

Formas de acompanhar os mais velhos em fase de isolamento

Como podem os seniores ocupar o tempo em casa e diminuir níveis de ansiedade?

Em primeiro lugar, devem manter as rotinas possíveis. Manter os mesmos horários de levantar e deitar, bem como o tempo das refeições. Devem procurar a descoberta de novos hobbies e desafios que estimulem a fazer alguma atividade física em casa (de forma leve, claro, de modo a não correr o risco de se magoarem) e algumas atividades que estimulem o intelecto.

É importante entenderem que este momento difícil vai passar e é uma fase transitória. Voltará tudo à normalidade em breve.

Como incentivá-los a ocupar o tempo dentro de casa?

Motivá-los a novas aprendizagens como aprenderem uma língua, a usar meios informáticos, aventurarem-se na escrita ou pintura, ou outros trabalhos manuais, e a experimentarem novas receitas de culinária.

Podem também retomar atividades que deixaram de fazer, como por exemplo, leitura, costura, cuidar de plantas e jogos como puzzles. Outra sugestão é aproveitarem para organizarem álbuns de fotografias e outras recordações, eventuais coleções de postais ou outros objetos.

De quanto em quanto tempo devem os familiares manter-se em contacto?

Se possível, duas a três vezes por dia: pela manhã, meio da tarde e noite. Deste modo, os seniores sentem-se continuamente acompanhados. Mas respeitar também os seus tempos se estiverem devidamente bem ocupados.

Para não levar a níveis de ansiedade elevados, devemos incentivar a que estejam atentos às notícias? Ou apenas uma ou duas vezes por dia?

Estarem a toda a hora ligados às notícias pode causar ainda mais ansiedade. Uma vez por dia é o suficiente para estarem informados, mas junto dos mais insistentes, deve incentivar a que vejam somente de manhã e à hora de jantar.

Como gerir a ausência física das relações familiares?

A única forma de manter relações – pelo menos, durante este período de isolamento – é através das ligações online ou uso do telefone. É importante, todavia, ouvirem e sentirem que existe uma inteira disponibilidade para ligarem sempre que desejarem. Claro está que, com os mais ansiosos e dependentes, terão de os incentivar a ocuparem-se bem para evitar que estejam o dia todo a ligar.

É um período exigente na conciliação de manter as responsabilidades laborais e dar assistência à família. Terá de ter paciência para atender sempre, considerando o sentimento de desamparo que os seniores possam estar a viver. Mas, se forem muito insistentes, com tranquilidade, explicar-lhes que estão a terminar uma determinada tarefa e ligam mal possam.

Últimos