Bem-estar

14 hábitos a evitar enquanto está por casa

Com a pandemia a monopolizar os nossos dias, ficar por casa tornou-se o novo normal. Mas atenção, há hábitos e tentações que deve por tudo evitar. Quantos desta lista é que lhe assistem?

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
14 hábitos a evitar enquanto está por casa
© Getty Images
Marta Vieira
Escrito por
Mai. 11, 2020

O estado de emergência foi levantado e maio começa, aos poucos, a saber a normalidade. Mas nada como antes. É imperativo que se mantenha o distanciamento social, as normas de higienização e etiqueta respiratória, as máscaras.

Agora também existem novas restrições aplicadas aos serviços e instituições privadas e públicas, de forma a, aos poucos, poderem receber as pessoas.

Apesar disto, boa parte do nosso tempo é ainda passado em casa. Para muitos, o teletrabalho mantem-se, bem como a telescola para as crianças e também, pense nisto, os hábitos que fomos criando ao longo da quarentena.

Estas são as coisas às quais não se deve habituar enquanto está por casa. Revê-se?

14 hábitos a afastar enquanto está por casa

1. Dormir demais (ou de menos)

É importante que mantenha uma boa higiene do sono, não o desregularizando. Quer tenha um padrão mais matutino (adormecer e acordar cedo) ou vespertino (deitar e acordar mais tarde) procure manter-se fiel a este. Ah, e moderação nas sestas!

2. Exagerar nas compras online

O facto de não poder ver montras como antes, pode aguçar o seu desejo por adquirir novos bens, por exemplo roupa nova. E é tão fácil encher um carrinho de compras virtual, tudo à distância de um ou dois cliques. Mas resista, até porque um cenário de crise económica é uma possibilidade.

3. Cuidar em excesso das suas plantas

Sabia que regá-las em demasia também pode ser prejudicial? É certo que as plantas contribuem – há estudos que o referem – para o nosso mood e bem-estar geral, mas não queremos forçar nada. Instale uma destas apps, pode ser-lhe muito útil.

4. Passar o tempo ao telemóvel

Usa este gadget para atualizar as redes sociais, para ler noticias, responder a emails, jogar jogos com as amigas e claro, as videochamadas. Mas cuidado, é preciso moderação e nem lhe precisamos explicar mais. A sua mente e corpo agradecem.

5. Picar a comida a toda a hora

Não falamos das refeições principais obviamente, mas antes dos seus intervalos. Ainda que possa estar munida de snacks saudáveis, não exagere. É mesmo uma necessidade fisiológica ou tratam-se apenas de desejos/compensações emocionais? Faça-se esta pergunta.

6. Descuidar a aparência

É certo que não se impõe o mesmo tipo de exigência como se se passeasse na rua todos os dias. Mas passar o tempo todo de pijama, fazer batota nos cuidados diários de beleza ou mesmo permitir-se a um cabelo mais desmazelado, não pode fazer bem nenhum à sua sanidade mental. Invista em si, comece já a pensar nos looks de verão.

7. Viver no sofá

Começar o dia a ver TV no sofá, trabalhar com o computador no sofá, comer no sofá e até adormecer no sofá – já percebeu onde queremos chegar? Explore as várias zonas da sua casa e crie um espaço para trabalhar (improvise de necessário) distinto do espaço de lazer. Fará maravilhas por si.

8. Ser a sua própria médica

Não é porque a Covid-19 monopolizou de certa forma o mundo que as restantes patologias deixaram de existir. E se é certo que queremos evitar ao máximo as instituições de saúde nesta altura, também é verdade que não devemos ignorar aquela dor de dentes, ou pior, automedicarmo-nos. Se tiver filhos, por exemplo, não ignore a vacinação.

9. Ficar obcecada com as limpezas

Agora que tem todo o tempo do mundo, já se habituou a ter a casa num brinco. O facto de estar fechada faz com que repare em coisas que antes lhe passavam ao lado, ou seja está muito mais atenta.

Mas calma, respire. A perfeição não existe e se existisse seria muito aborrecida. Não eleve de tal forma o padrão de exigência que seja difícil cumprir quando voltar à normalidade.

10. Pesar-se todos os dias

É muito possível que o tempo em casa tenha desregulado a sua relação com a comida, nomeadamente até se sofrer de algum distúrbio alimentar. Mas é importante procurar manter o equilíbrio.

Acredite, pesar-se todas as manhãs não vai ajudar em nada. Se necessário recorra a uma ajuda especializada. Existem, por exemplo, muitos psicólogos/nutricionistas com consultas online.

11. Contaminar-se por excesso de informação

Não precisa de estar a par de tudo o que sai na comunicação social, nas várias plataformas existentes. Até porque a desinformação a circular – as chamadas fake news – é muita. Dois conselhos: escolha uma hora do dia para ver/ouvir/ler notícias e limite-se a esse tempo e privilegie somente fontes fidedignas de informação.

12. Alargar as horas de trabalho

Estabeleça um horário de trabalho e seja rigorosa a cumpri-lo. Mais, não é por saberem que está por casa que os seus colegas e patrão têm de a ter disponível 24/7.

As tarefas em casa mantêm-se e o seu tempo de descanso também. Aliás, quem tem crianças consigo sabe bem a importância de cumprir com os vários papéis que lhe são exigidos. O trabalho é só mais um.

13. Culpar-se

Por não estar a ler tanto como o tempo o permite; por não fazer todos os exercícios de pilates online à sua disposição; por não ser mais criativa na cozinha; por não ser a mãe perfeita no acompanhamento escolar. É um momento atípico para todos e ninguém é bem-sucedido em todas as áreas, lembre-se disso. Coloque menos pressão em cima de si.

14. Habituar-se demasiado à vida caseira

Finalmente, se para algumas pessoas foi demasiado lidar com este confinamento, outras podem ter gostado em muito desta reclusão imposta. Mas saiba que é possível e bom, aos poucos, voltar à normalidade.

As autoridades de saúde, o governo e a comunicação social indicam-lhe como. Não tenha medo.

Últimos