Nutrição

São estes os sinais que indicam que não está a comer fibra suficiente

Se é uma alimentação saudável que quer seguir, então é indispensável que inclua alimentos com fibra nas suas refeições diárias. Será que o está a fazer com regularidade?

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
São estes os sinais que indicam que não está a comer fibra suficiente São estes os sinais que indicam que não está a comer fibra suficiente
© pexels
Marta Chaves
Escrito por
Jul. 26, 2021

A fibra é proveniente de alimentos de origem vegetal e tem um importantíssimo papel no nosso sistema digestivo e intestinal. Existem dois tipos: as fibras solúveis (existem nos frutos, hortícolas, leguminosas e em alimentos com aveia e centeio e têm impacto no tempo de digestão e no intestino delgado; e as fibras insolúveis presentes em hortaliças, cereais integrais e derivados e protegem a parede do intestino grosso.

A Direção Geral de Saúde recomenda um consumo diário de 25 gramas de fibra. Como é escrito no site oficial da entidade de saúde, “alimentos ricos em fibra como produtos hortícolas, frutos, cereais e leguminosas, vitaminas, sais minerais e com baixo teor de gordura devem ser os ‘alimentos base’ do quotidiano para uma alimentação saudável.”

Dizemos-lhe alguns alimentos ricos em fibra:

  • Arroz ou massa integral
  • Pão escuro de mistura ou integral
  • Legumes como alface, brócolos, couve ou cenoura
  • Leguminosas como feijões, ervilhas e lentilhas
  • Abacate, maçã, laranja e banana
  • Sementes e frutos secos como linhaça, chia, amêndoas, amendoim
  • Cereais integrais como aveia, centeio e milho

A verdade é que a ingestão destes alimentos faz com que a flora intestinal e a digestão funcionem de forma mais eficaz e regular. Além disso, entre os seus muitos benefícios, a fibra ajuda a reduzir o risco de doenças crónicas, incluindo o cancro, doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2.

A pergunta que se impõem é: será que ingere alimentos com fibra diariamente? Há alguns sinais que o seu corpo lhe pode estar a dar de que isto não está a acontecer. Conheça-os.

4 sinais de que não está a comer fibra suficiente

Não está a evacuar regulamente

A fibra é um forte aliado do bom funcionamento intestinal e, se tem sofrido de obstipação, este é um sinal notório de que não tem consumido alimentos suficientes com este composto. Além disto, a falta de fibra pode mesmo causar alguma dificuldade a evacuar, chegando mesmo a ser doloroso.

Neste caso, segundo o site de saúde e bem-estar Well And Good, as fibras solúveis vão dar algum volume às suas fezes o que proporciona ao sistema digestivo algo substancial para ser eliminado. Já as fibras solúveis vão ajudar a manter mais água nas fezes, e assim, torná-las mais macias.

Ambas vão ajudar a que estes dois sistemas funcionem de forma mais regular.

Está sempre com fome

É simples. Os alimentos processados, com demasiado açúcar ou sal, podem ser apetitosos no momento, mas além de não trazerem benefícios à saúde, enganam o organismo, ou seja, não a vão deixar satisfeita porque não saciam.

Aqui, a fibra tem outro papel fundamental: ajuda a saciar e faz com que não tenha fome durante longos períodos de tempo. Acontece que este composto leva mais tempo a passar pelo sistema digestivo e as paredes intestinais têm mais tempo para absorver as vitaminas e os nutrientes da refeição.

Sente-se mais cansada

Mais uma vez, os alimentos pouco ricos em nutrientes e vitaminas não lhe dão energia, pelo contrário. Já a fibra, ajuda a desacelerar a libertação de nutrientes durante a digestão, os hidratos de carbono são absorvidos gradualmente e os níveis de açúcar ficam estabilizados. Por isso, a sensação de estar saciada acaba por durar mais tempo.

O seu colesterol está a subir

Se não tem feito exames ultimamente, então tire algum tempo para fazer análises ao sangue e verificar os seus níveis de colesterol. Se notar que está mais alto, este pode ser um forte indicador de que não está a consumir fibra suficiente.

Está comprovado que a fibra tem um papel fundamental na redução do colesterol e dos triglicéridos, o que consequentemente tem impacto no desenvolvimento de doenças cardiovasculares e no controlo da pressão arterial.

Últimos