Sexo

Porque é que ficamos com mais desejo sexual no verão?

O verão aumenta o apetite sexual e não, não é um mito. Explicamos-lhe porquê – há um trio de peso nesta equação: hormonas, exposição ao sol e aumento da atividade física.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Porque é que ficamos com mais desejo sexual no verão? Porque é que ficamos com mais desejo sexual no verão?
© pexels
Rita Caetano
Escrito por
Jul. 11, 2023

No verão, a roupa diminui, a pele ganha um tom dourado que faz com que nos sintamos mais bonitas, o sol deixa-nos mais felizes, os dias são mais longos e as férias quebram a rotina e dão-nos tempo para olharmos com outro olhar para os nossos parceiros ou até para encontrar um novo relacionamento.

Mas nada disto é apenas empírico. Está tudo provado pela ciência e a resposta para isso está nas hormonas, na exposição ao sol e no aumento da atividade física.

Exposição solar

“Apanhar sol e aproveitar os dias mais longos pode dar às pessoas um impulso essencial à sua libido”, diz-nos Megwyn White, sexóloga e diretora de Educação da Satisfyer, empresa de dispositivos de bem-estar sexual, e explica-nos o motivo.

“A exposição à luz solar pode levar ao aumento dos níveis de testosterona em ambos os sexos, algo que está associado a uma maior libido”.

Mas há mais – esse mesmo fator “também pode aumentar a serotonina, um neurotransmissor que re- gula o humor e também pode ter um efeito positivo na função sexual, logo, leva à melhoria do humor e ao aumento do desejo sexual”, explica.

Se a Natureza contribui para o aumento do desejo sexual no verão, por que não aproveitar essa benesse para experimentar novas práticas?

A exposição solar “também ajuda o corpo a produzir vitamina D, que tem sido associada à melhoria da libido em mulheres e homens.

A pesquisa mostrou que homens com níveis mais altos de vitamina D têm níveis mais altos de testosterona e um melhor desempenho sexual.

Um estudo-piloto publicado em 2018 também descobriu que níveis baixos de vitamina D estavam associados a um mau funcionamento sexual e a sintomas depressivos, principalmente nos homens”, acrescenta a sexóloga.

A importância do exercício

Quando as temperaturas sobem, passamos mais tempo ao ar livre, e Megwyn White acredita que é um fator para o aumento da atividade física.

“Foi demonstrado que o exercício estimula a libido, uma vez que liberta endorfinas e aumenta a autoconfiança. E não é tudo, uma maior atividade também faz com que haja um maior fluxo sanguíneo para os órgãos genitais”, esclarece e diretora de educação da Satisfyer.

A chegada do verão também alivia os sintomas do transtorno afetivo sazonal, que é um tipo de depressão que ocorre nos meses de inverno.

Este transtorno, refere a especialista, “pode causar sensação de fadiga, letargia e apatia, o que pode dificultar a motivação e o interesse em atividades sexuais. No geral, a combinação de luz solar, produção de vitamina D e exercício físico durante o verão pode contribuir para despertar a libido e o desempenho sexual”.

Já ouviu falar de edging?

Se a Natureza contribui para o aumento do desejo sexual no verão, por que não aproveitar essa benesse para experimentar novas práticas?

O edging é uma delas e uma das tendências do ano no que ao bem-estar sexual diz respeito. Mais não é do que “despertar conscientemente o corpo à beira do orgasmo”, afirma Megwyn White.

A intenção, continua a especialista, “é expandir a experiência de prazer e isso tem múltiplos benefícios. Um dos principais é que, ao atrasar o orgasmo, irá realmente ser capaz de criar uma construção mais lenta e, finalmente, sustentar um clímax mais intenso”.

O edging, afirma a sexóloga, “consiste em concentrar-se na jornada, não no destino”. Muitas vezes, o foco em “levar alguém ao orgasmo” pode contribuir para aumentar o stresse e minar a experiência de prazer.

Esta pode ser uma técnica valiosa para quem quer melhorar as suas experiências sexuais, “especialmente em relacionamentos de longo prazo, nos quais a excitação inicial pode ter desaparecido com o tempo”.

O segredo para a sua prática, continua a sexóloga, “é estar presente e sintonizar os aspetos mais subtis do toque, que estimulam as camadas mais profundas do prazer. Ao explorar o limite com seu/sua parceiro(a), está a treinar para se tornar mais sensível ao toque, o que pode ajudar a evitar a ansiedade que muitas vezes interfere no prazer. O segredo é focar-se no prazer do momento em vez de apenas chegar a um destino final”.

Aumentar a intimidade

Na base de qualquer relação deve estar sempre uma base de confiança e amor, mas existem muitas maneiras de aumentar a intimidade. Aproveite o verão para o fazer com os conselhos da sexóloga Megwyn White:

Pratique a escuta ativa: Faça um esforço consciente para ouvir e entender os pensamentos, sentimentos e perspetivas de seu parceiro. Quando uma pessoa se sente ouvida e compreendida, há uma sensação mais profunda de intimidade e conexão.

Comunique aberta e honestamente: Crie um espaço seguro para uma comunicação aberta e honesta. Partilhe os seus pensamentos, sentimentos e desejos com o seu/sua parceiro/a e incentive-o/a a fazer o mesmo. Isso pode ajudá-los a sentirem-se mais conectados.

Passe tempo de qualidade em conjunto: Arranje tempo para estarem juntos e fazerem coisas de que ambos gostem. Isso pode ser tão simples como cozinhar uma refeição juntos ou dar um passeio. Quando prioriza um tempo de qualidade com seu parceiro, isso ajuda a sentir-se mais conectada e íntima. Também é benéfico explorar atividades desafiantes.

Demonstre afeto físico: O toque físico, como abraços, beijos e dar as mãos, pode ajudar a criar uma sensação de intimidade e proximidade. Mesmo pequenos gestos de afeto físico podem fazer uma grande diferença.

Partilhe novas experiências: Experimentem coisas novas juntos, seja um restaurante, um hobby, um destino de viagem ou um brinquedo sexual. Partilhar novas experiências pode criar uma sensação de emoção, aventura e conexão.

A versão original deste artigo foi publicada na revista Saber Viver nº277, julho de 2023.

Últimos