Beleza

5 tratamentos para a celulite (e experimentámos um em primeira mão)

Esta é a altura certa para falamos de tratamentos. Uns não invasivos, outros minimamente invasivos, a verdade é que ajudam a reduzir (ou mesmo a eliminar) visivelmente a celulite. Conheça-os.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
5 tratamentos para a celulite (e experimentámos um em primeira mão)
© Getty Images
Marta Chaves
Escrito por
Jun. 29, 2020

São inúmeros os tratamentos tópicos, invasivos e não invasivos que ajudam no combate à celulite. Para quem não quer experimentar um tratamento médico, os produtos para a celulite são a solução óbvia para minimizar o problema e tentar, de alguma forma, que seja atenuado.

“A cosmética deve ser uma aliada no combate à sua formação. Porém, não pode e não deve ser usada isoladamente, caso contrário, na maioria dos casos, não é suficiente”, menciona Marisa André, dermatologista no Hospital CUF descobertas, na Clínica Laser de Belém e na Clínica Milénio.

Por outro lado, os tratamentos estéticos invasivos e não invasivos estão na vanguarda da indústria cosmética. “Os tratamentos aliados a modificações de estilo de vida podem minimizar, retardar e melhorar a celulite, mas não são a resposta para a resolução total do problema”, adverte a dermatologista.

Contudo, acrescenta também que “em indivíduos bem selecionados, podem ter resultados bastante satisfatórios, mas que implicam manutenção das medidas prévias ao tratamento para a manutenção de bons resultados”.

Quanto a estes tratamentos, são exemplo: radiofrequência bipolar fracionada com microneedling; carboxiterapia; laser; fios de sustentação ou “subcisão, que é a libertação cirúrgica dos septos – já existe tecnologia que permite a subcisão guiada com estabilização tecidual, sendo um processo mais seguro”. A maioria destes procedimentos implica anestesia ou sedação.

Tratamentos para a celulite

Termoterapia

Tratamento que aumenta a temperatura local de uma certa região, desencadeando um aceleramento do metabolismo para queimar calorias.

Onde: BodyConcept.
Preço: Definido após a consulta de avaliação.

Radiofrequência

Este método penetra nas camadas da pele através de ondas de calor de alta frequência para produzir novas fibras de colagénio e de elastina. Ajuda a eliminar a gordura localizada.

Onde: Clínica BodyScience.
Preço: Definido após a consulta de avaliação.

Carboxiterapia

Tratamento não cirúrgico em que é inserido CO2 debaixo da pele através de microinjeções localizadas. Ajuda a combater a flacidez, estrias, edemas, má circulação e celulite.

Onde: Clínica Manuela Rebelo.
Preço: 65€.

Spherofill Cell

Este aparelho introduz sob a pele uma fina agulha que emite uma onda de radiofrequência subcutânea combinada com um composto de ácido hialurónico, dissolvendo a celulite fibrosa e colmatando as depressões da pele.

Onde: Clínica Ibérico Nogueira.
Preço: Definido após a consulta de avaliação.

Cellfina (testado na primeira pessoa)

A convite das Clínicas Dr. Well’s, a Saber Viver teve acesso a um novo tratamento médico inovador, aprovado pela FDA (Food and Drug Administration), que promete eliminar a celulite em apenas uma sessão (não sendo necessária mais nenhuma), com resultados que duram até três a cinco anos.

O tratamento é minimamente invasivo, inclui apenas pernas e glúteos, mas existe uma primeira consulta para esclarecer todas as dúvidas. A paciente e o médico identificam as zonas com mais celulite a tratar, marcando pequenos pontos com um marcador. Segue-se a anestesia local em cada uma dessas marcações e só depois se avança para o tratamento.

“Este equipamento pressupõe um tratamento invasivo que, de alguma forma, atua na origem dessas depressões, dessas marcas da celulite”, explica Miguel Andrade, diretor clínico de Medicina Estética da Dr.Well’s.

“Na parte profunda da pele, existem umas fibras que vão até aos músculos. Entre essas fibras, a gordura fica saliente, então forma uns altos. Este tratamento corta essas fibras e a pele fica solta. Aí, sim, desaparecem os altos.”

Não há como negar que a fase da anestesia local é dolorosa. As primeiras picadas são as que se sentem mais, mas quando a zona começa a ficar anestesiada, as seguintes tornam-se mais toleráveis.

O dispositivo, que faz vácuo na pele, é colocado nestes focos e corta os septos e aqui já é totalmente indolor. Nos dias seguintes, surgem algumas nódoas negras e pode ser complicado fazer determinados movimentos, como sentar-se ou deitar-se de barriga para cima. Quanto aos resultados, em apenas alguns dias conseguem ver-se diferenças.

Porém, atenção, porque o sucesso do tratamento depende muito do estilo de vida que a pessoa levar. “Como todos os tratamentos, há aqui uma grande variação individual e biológica que depende de cada corpo. Portanto, se a pessoa não respeitar aspetos como o desporto, a massagem ou uma dieta rica em líquidos, não irá atingir o resultado esperado”, alerta Miguel Andrade.

O tratamento inclui a consulta de avaliação feita pelo médico e o acompanhamento do estado do paciente, que inclui massagens para drenar o líquido resultante da anestesia.

Ainda na consulta de avaliação, o especialista alerta: “Temos de ajustar o tratamento a cada pessoa e explicar o resultado que é possível atingir porque existem diferentes graus de celulite.

É necessário também responsabilizar o paciente sobre o resultado que é possível obter, para não se sentir enganado”.

O resultado final? Passados dois meses, dizemos ‘adeus’ à celulite.

Onde: Clínicas Dr. Well’s do Cascaishopping, Lisboa, e no Norteshopping, no Porto.
Preço: 2400€

A versão original deste artigo foi publicada na revista Saber Viver nº 240, junho de 2020.

Últimos