Saúde

Dentes limpos equivalem a coração saudável, conclui estudo

E se a higiene oral diminuir os problemas cardíacos? Um estudo coreano diz que lavar os dentes pode ajudar a ter um coração mais saudável.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Dentes limpos equivalem a coração saudável, conclui estudo
© Getty Images
Rita Caetano
Escrito por
Jan. 27, 2020

Lavar os dentes com frequência está associado a um risco menor de fibrilhação auricular e de insuficiência cardíaca, de acordo com um estudo publicado no European Journal of Preventive Cardiology.

O primeiro caracteriza-se por um batimento cardíaco irregular e o segundo pela incapacidade do coração de bombear o sangue necessário ao funcionamento do organismo.

Esta investigação partiu da ligação entre uma higiene oral deficiente e o aumento de bactérias presentes no sangue, facto responsável por uma maior inflamação do corpo. Esta, por sua vez, como já é evidente, aumenta os riscos de vir a sofrer dos dois problemas acima mencionados.

A culpa é das bactérias

O estudo, feito na Coreia, analisou 161.286 indivíduos com idades entre os 40 e os 79 anos. Todos eles foram sujeitos a vários exames médicos, foram pesados e medidos, além de terem sido questionados sobre os hábitos de higiene oral, ou seja, a sua saúde foi escrutinada ao pormenor.

Dez anos e meio depois, os cientistas fizeram um follow-up e perceberam que 3% dos participantes tinham desenvolvido fibrilhação auricular e 5% insuficiência cardíaca.

Descobriram ainda que lavar os dentes três vezes ou mais ao dia diminui em 10% o risco da fibrilhação auricular, percentagem que cresce para 12% no caso da insuficiência cardíaca, independentemente da idade, sexo, status socioeconómico, consumo de álcool, exercício físico, níveis de tensão arterial e índice de massa corporal.

Isto acontece, possivelmente, dizem os investigadores, porque lavar os dentes com frequência reduz a presença de bactérias no biofilme subgengival (que fica entre os dentes e as gengivas), impedindo assim a sua entrada na corrente sanguínea.

Apesar de ter sido feito em apenas um país, o tamanho da amostra e a sua duração faz com que a comunidade científica esteja atenta aos resultados deste estudo, que irá continuar.

A Sociedade Europeia de Cardiologia diz que ainda é cedo recomendar a lavagem dos dentes para a prevenção destes dois problemas, no entanto, frisa que a o papel da inflamação nos problemas cardíacos é cada vez mais evidente e assegura que têm de ser definidas estratégias de saúde pública para evitar os estados inflamatórios.

A versão original deste artigo foi publicada na revista Saber Viver nº 235, janeiro de 2020.

Últimos