© GettyImages

Bons hábitos de higiene oral para além do óbvio

Lavar os dentes não se limita a espalhar pasta na escova e esfregar. Para uma saúde oral exemplar, há que juntar-lhe outros passos.

Manter bons hábitos de higiene oral é importante para manter uns dentes e gengivas saudáveis. É assim que conseguimos prevenir o aparecimento de cáries e combater o mau hálito, entre tantos outros problemas associados à saúde oral.

Como lavar os dentes de forma eficaz em 7 passos

Escovar os dentes não é uma ciência, mas tem que se lhe diga. A Direção Geral de Saúde (DGS) reuniu algumas dicas a ter em conta durante a escovagem, para que atue de forma certeira no combate à placa antibacteriana.

1. Com a pasta dentífrica na escova, incline-a em direção à gengiva e faça pequenos movimentos vibratórios horizontais ou circulares, mas com pouca pressão;

2. Escove dois dentes de cada vez, e faça cerca de 10 movimentos em cada par (5 para as crianças);

3. A escovagem deve ser feita com uma sequência – comece pela superfície externa (do lado da bochecha) do último dente de um dos maxilares e continue até atingir o último dente do lado oposto do maxilar.

4. Com a mesma sequência, escove as superfícies dos dentes do lado interior, da língua;

5. Repita o passo 3 e 4 no outro maxilar;

6. Escove as superfícies mastigatórias dos dentes com movimentos de vaivém;

7. Por último, escove a língua (ou use um raspador de língua) e cuspa o excesso de dentífrico, sem bochechar com água – deixe os fluoretos do dentífrico atuar durante mais tempo sobre os dentes.

É importante reter que a escova deve ser trocada a cada 3 meses e a quantidade de dentífrico (preferencialmente com fluor) deve ser equivalente a 1 cm.

Segundo a DGS, a escovagem deve ser feita pelo menos duas vezes ao dia, de manhã e antes de dormir. Idealmente, deveria efetuar a limpeza dos dentes após cada refeições.

Higiene oral complementar

Com a ajuda de especialistas na área, reunimos quatro métodos de higienização que pode incorporar na sua rotina diária de limpeza oral.

Colutório

É uma solução oral, que pode ser antisséptica ou não, de sabor fresco e agradável, que é usada após a lavagem de dentes e/ou o uso do fio dentário.

colutório

Para quem? Todas as pessoas, mesmo as crianças, devem acompanhar a escovagem com colutório. Isto porque os dentes representam apenas 24% da boca e, por isso, se se limitar a escová-los, está a descurar outras partes importantes. O colutório chega a todas as zonas da boca.

Como usar? Os colutórios podem usar-se diariamente, para manter uma boa saúde oral, ou de forma temporária para problemas específicos. Neste último caso, devem ser restritos a períodos breves, já que, tal como explica Rita Alves, higienista oral da Clínica de Implantologia Avançada Dr. Hugo Madeira, “a exposição excessiva a produtos com clorohexidina pode causar coloração dos dentes e da língua”.

Fio dentário

É a mais comum das ferramentas de higiene oral, logo a seguir à escova. Existem vários tipos, uns de nylon, outros com ou sem cera e ainda alguns com diferentes sabores.

fio dentário

Para quem? A utilização do fio dentário coadjuva a higienização dos espaços interdentários e, de acordo com a higienista oral, “deve ser iniciada desde cedo, logo a partir do momento em que existam pontos de contacto entre os dentes”.

Como usar? Antes de escovar os dentes, corte cerca de 45 cm de fio, enrole cada extremo à volta dos dedos, segure-o com os polegares e mantenha-o esticado; passe o fio entre os dentes, usando movimentos verticais, mas também ao longo da linha da gengiva. Vá mudando de secção de fio para uma maior higiene.

Raspador de língua

Dentre as ferramentas para uma boa higiene oral, é a menos conhecida, mas pode ser usada por toda a gente, particularmente por quem sofra de mau hálito.

raspador de língua

Para quem? Não é um acessório usado por muitos, mas se sofrer de halitose, pode recorrer a um raspador para minimizar momentaneamente o odor desagradável provocado por esta condição.

Como usar? Pode ser usado sempre após a escovagem, desde que não seja aplicado com muita força sobre a língua, para não agredir as papilas gustativas. Só é eficaz se for usado com outros meios de higiene bucal.

Pastilhas de flúor ou xilitol

São pastilhas sem açúcar que podem ser usadas em associação com a escovagem, “mas nunca como substituto”, adverte Rita Alves. Contêm flúor, para preservar a mineralização dos dentes, e outros componentes, para ajudar a combater a acidez, um fator de risco para o aparecimento de cáries.

pastilhas de flúor

Para quem? Para pessoas apressadas e que não tenham tempo para lavar os dentes. No entanto, devem ser apenas uma medida complementar e são obrigatórias, no mínimo, duas escovagens por dia.

Como usar? Mastigue uma pastilha durante 20 minutos, três vezes ao dia.


Agora que já sabe os segredos para uma higiene oral eficaz, descubra 4 estratégias simples (e urgentes) para poupar água

A versão original deste artigo foi publicada na revista Saber Viver nº 225, março de 2019

Comentários

Bons hábitos de higiene oral para além do óbvio

Os comentários podem ser editados por questões de clareza e para permitir respostas mais gerais.