Bem-estar

Como viver uma vida melhor. 36 ideias para pôr em prática

A vida acelerada do mundo moderno está a deixar-nos stressadas, esgotadas e sem tempo. Através de pequenas mudanças no dia a dia, e sem necessitar de fugir para um mosteiro budista no Tibete, pode melhorar pequenas coisas para viver melhor e de forma mais plena. Saiba por onde começar.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Como viver uma vida melhor. 36 ideias para pôr em prática
© Getty Images
Escrito por
Helena C. Peralta
Out. 07, 2019

Paz, harmonia, felicidade. É o que toda a gente procura num tempo em que os dias passam a correr e a tecnologia nos deixa ligadas 24 horas por dia.

Porque não parar um pouco, desligar-se do mundo caótico e enfrentar a vida com mais otimismo? Estudos mostram que cada vez mais as pessoas valorizam o tempo em detrimento do dinheiro. As novas gerações, como os millennials e a geração Z, vão preferir o bem-estar aos bem materiais.

O slow living está na moda, ainda que venha com nomes estrangeiros: slow food, slow parenting, slow life. Desligue-se, destralhe, pratique o desapego, consuma menos e procure uma vida mais calma e próxima da natureza.

Siga algumas destas dicas e veja como poderá melhorar a sua vida em pequenos passos, sem ter de fugir da civilização.

Bem-estar da mente: 36 sugestões para viver melhor

1. Sorria, sorria, sorria sempre

O sorriso tem sido alvo de diversos estudos e está cientificamente provado que sorrir tem um poder incrível, quer na sua vida quer na de quem recebe o seu sorriso.

Psicólogos provaram que sorrir, mesmo forçado, é uma das maneiras de reduzir o stresse e a dor e melhorar o humor. E até existe uma terapia própria, a terapia do riso, criada por um médico e que atua na prevenção e melhoria de sintomas físicos, através da promoção de uma atitude positiva.

Dados mostram que cerca de 30% das pessoas sorriem 20 vezes por dia, mas as crianças sorriem 400 vezes.

2. Diga “amo-te” todos os dias ao espelho

Ninguém parece ter dúvidas que o amor próprio é o primeiro passo para o bem-estar da mente e do corpo. Louise Hay, autora motivacional que escreveu, entre outros, o livro Pode Curar a sua Vida, afirma que há um exercício simples, embora difícil, que pode fazer todos os dias: olhar-se no espelho e repetir, pelo menos três vezes, a palavra ‘amo-te’.

3. Envie mais emojis com smile

Como estamos na era das novas tecnologias, o envio de emojis com smiles amarelos também faz milagres. Isto porque, investigadores sobre a temática demonstraram que o sorriso é contagioso e pode mudar o dia de quem o recebe.

Por isso, se sorrir para alguém, mesmo de forma digital, o mais certo é provocar também um sorriso do outro lado do ecrã. Cerca de 64%  dos britânicos dizem que se sentem mais felizes quando recebem um smile.

4. Arranje um animal de estimação e sentir-se-á melhor

Cada vez mais se fala nos benefícios em ter animais de estimação e, nas últimas décadas, o número de animais domésticos aumentou bastante.

Estudos provam que a presença de um animal de estimação reduz o stresse, a tensão arterial, e diminuiu os riscos de depressão. Os cães protegem fisicamente os seus donos e os gatos cuidam da sua saúde espiritual e limpam as energias negativas.

animal de estimação

© unsplash

5. Considere viver numa casa mais pequena

Para ter uma vida simplificada, Pedram Shojai, especialista em medicina chinesa, fundador da Well.org e autor da obra O Monge Urbano, aconselha a procurar uma casa mais pequena, mais minimalista, que implique menos despesas.

Less is more, como defendem alguns autores motivacionais: menos espaço, menos preocupações, menos coisas acumuladas, menos consumo e, sobretudo, menos preocupações com hipotecas, prestações de crédito ou rendas. E isto é sinal de um sono mais descansado.

6. Reserve tempo para se mimar

Anda a correr de um lado para o outro todos os dias e não consegue ter tempo para si? Nada mais errado. Se não consegue cuidar de si, não vai conseguir cuidar dos outros.

Reserve algum tempo por dia – se não conseguir, pelos menos durante a semana –, para fazer algo que gosta mesmo e que raramente consegue, como uma massagem de que tanto precisa, ir à aula de ioga ou àquele jardim tão especial. Como? Marque na agenda.

Todas as semanas, guarde na sua agenda algum tempo para si. Bastam cinco a 15 minutos por dia, e se agendar esse tempo, vai ser mais fácil estabelecê-lo como uma prioridade. Sim, porque nós também somos uma prioridade.

Mas em que altura do dia? Veja alguns exemplos:

Aproveite quando os seus filhos forem dormir. Não venha com a desculpa de que ainda tem de  arrumar a cozinha – não tem de ser a única em casa a fazê-lo.

Levante-se meia hora mais cedo. Vai ver que compensa dormir menos.

Desligue o telemóvel.

• Guarde uma manhã de sábado ou domingo só para si, ainda que tenha de reajustar os planos da sua família.

7. Faça, pelo menos, dez minutos de meditação matinal

Pedram Shojai ensina-nos que o primeiro passo para travar a loucura do dia a dia e assumir o controlo da nossa vida é acalmar a mente. Para isso, aprender a respirar e a meditar é fundamental.

Inicialmente dez minutos já será um bom princípio. Poderá até contar com a ajuda de alguns vídeos e apps de meditação guiada, se não conseguir apenas com a respiração profunda, como Pedram Shojai ensina em O Monge Urbano.

8. Ande descalça de vez em quando

Para os estudiosos e praticantes das medicinas holísticas, andar descalça pode ser uma poderosa forma de tratamento natural, pois nas extremidades dos pés existem ligações aos órgãos vitais do nosso corpo. A explicação estará na carga elétrica natural da Terra.

Pesquisas recentes sugerem que a energia elétrica da Terra pode estabilizar o “sistema elétrico” do nosso corpo e ajudar a protegê-lo.

9. Leia, pelo menos, seis minutos por dia

Ler alguns minutos por dia pode reduzir o seu stresse, pelo menos, em 68%, concluiu um estudo da Universidade de Sussex, no Reino Unido, diminuindo bastante a frequência cardíaca e a tensão muscular.

Para além disso, ler melhora a memória, os seus conhecimentos do mundo e é sempre um bom motivo para conversar com os amigos.

mulher a ler

© unsplash

10. Compre uma boa garrafa de vinho e beba com os amigos

Estudos científicos mostram que o consumo moderado de vinho é benéfico para a sua saúde: se consumir 22 a 32 gramas de álcool por dia, este tem um efeito protetor do corpo e previne doenças como as cardiovasculares, possui efeitos anticoagulantes e antienvelhecimento, controla a tensão arterial, entre outros.

Também o resveratrol presente na casca da uva é considerado anticangerígeno. Tudo isto são boas razões para investir numa boa garrafa de vinho e brindar com os amigos.

11. Ouça música regularmente

Tal como ler nos coloca num estado de relaxamento, também ouvir música faz um pequeno milagre pela nossa vida. O mesmo estudo da Universidade de Sussex mostra que ouvir música reduz também o stresse em 61%.

Não é por acaso que existe uma corrente alternativa de musicoterapia usada para a melhoria de inúmeras patologias, bem como a meditação, que é muitas vezes feita ao som de música relaxante.

12. Invista numa bicicleta

Porque não ponderar andar mais de bicicleta? É certo que Portugal não tem as mesmas facilidades da Holanda, com cidades planas onde a locomoção em duas rodas é mais fácil, com vias próprias (as colinas de Lisboa são duras de pedalar…), mas aproveite pelo menos para se exercitar ao fim de semana em família.

13. Ao escolher um carro novo, pense nas alternativas mais ambientais

Pedram Shojai aconselha que, para uma vida mais simples, deve ponderar viver sem carro. Porém, nos dias de hoje não será fácil, e se tem mesmo de fazer esta compra, pondere modelos mais pequenos, mais económicos ou mais ecológicos.

Por que não um carro eléctrico ou híbrido? Várias são as marcas e os modelos disponíveis no mercado; só tem de fazer uma ronda e avaliar o que mais se adapta ao seu gosto, estilo e carteira.

14. Tenha pensamentos positivos, vai ver que trará bons resultados

Lembra-se da história do Peter Pan, o menino-homem que para fazer os amigos voarem colocava-lhes um pó mágico na cabeça, mas que, para funcionar, tinham de ter pensamentos felizes? Então faça o mesmo e seja feliz, aconselha Fredy Vinagre, terapeuta de biofeedback, mais conhecida em Portugal como terapia quântica, e autor da obra Custa tão Pouco Ser Feliz.

“Acredito que ser feliz é uma escolha. E, na verdade, custa mesmo tão pouco”, diz. E esta escolha pode trazer até bons resultados à carteira, já que se o dinheiro não traz felicidade, a felicidade traz dinheiro, segundo um estudo realizado por investigadores britânicos. Este mostra que os norte-americanos mais positivos ganham em média mais 10% ao ano, já os mais pessimistas tendem a ganhar menos 30%.

15. Evite os centros comerciais, procure as lojas de rua

Os portugueses são adeptos dos centros comerciais. Segundo dados de um estudo realizado pela consultora imobiliária CBRE, 69% dos portugueses preferem fazer compras em shoppings, contra 55% da média europeia.

Com as magníficas condições meteorológicas de que o País dispõe, por que não juntar o útil ao agradável, passeando pelas lojas de rua e fazendo compras no comércio tradicional? Assim, estará a contribuir para a sua saúde, ao caminhar em espaços abertos, e a favorecer igualmente a economia local.

16. Procure ligar-se à natureza

É um facto que, atualmente, o Homem está cada vez mais afastado na natureza: fechado entre quatro paredes, com luzes artificiais, ou dentro do automóvel, pouco ou nada usufrui do meio ambiente natural.

Segundo Pedram Shojai, a Terra fornece-nos eletrões importantes para reequilibrar as nossas energias. Por isso, procure mais o ar livre, o mar, um jardim, uma árvore centenária e aproveite o que estes têm para lhe oferecer.

Não se esqueça de que o sol também faz milagres a repor energias, sobretudo ativa a formação de vitamina D, fundamental para a fixação do cálcio nos nossos ossos.

Uma caminhada na natureza, por exemplo, pode reduzir o stresse em 42%, diz um estudo realizado na Universidade de Sussex, no Reino Unido.

17. Arranje sempre tempo para um café com os amigos

A sua agenda pode estar muito ocupada, mas há sempre tempo para beber um café com os amigos, mantendo a sua vida social como era antigamente: fora da Internet.

A conversa com aqueles que gostamos ajuda a reduzir o stresse e ajuda a relativizar muitos problemas do dia a dia ao partilhá-los. Esta é uma das boas práticas que não deve deixar esquecida entre os muitos afazeres.

café com os amigos

© getty images

18. Tente, pelo menos uma vez por ano, visitar um lugar onde nunca foi

Este é um grande conselho de Dalai Lama para viver feliz: visitar um lugar novo, pelo menos, uma vez no ano.

Este conselho mostra-nos a importância de mudar de lugares e, logo, de perspetiva, de abrir a mente a novas realidades e conhecimentos, conhecer novos povos e novas culturas.

Viajar enriquece-nos a alma e aumenta o nosso nível de tolerância para com o próximo, por isso, faça como Brooke Saward do blog de viagens World Of Wanderlust.

19. Pratique a gratidão e o desapego

Ser grata pelo que se tem é uma das mais recentes redescobertas da humanidade. Rhonda Byrne revelou-o no seu best-seller O Segredo, e todos os livros seguintes falam na importância de se ser grata.

Outra das mais difíceis artes da vida, segundo Fredy Vinagre é a prática do desapego. E deixa-nos um pequeno exercício de meditação: “imagine-se num prado ou numa praia a agarrar pela mão nove cordas que prendem nove cavalos selvagens. Quero que sinta no braço a pressão de estar a prender os cavalos selvagens. Agora largue as nove cordas ao mesmo tempo e permita-se sentir a ausência da pressão, a felicidade de ter largado as cordas que a tanto custo prendia. Veja os cavalos a correr livres e soltos à sua volta e sinta a paz que só o desapego provoca”.

Faça esta meditação tantas vezes quanto possível e sempre que se sentir demasiado apegada a algo ou a alguém.

20. Reserve tempo para sexo

O sexo é um pilar fundamental da vida humana. Os especialistas afirmam, os estudos confirmam: os benefícios do sexo para a saúde são inúmeros. E vão desde o bem-estar geral, com os níveis de ocitocina, a hormona do amor, a subir, a par da serotonina, a hormona da felicidade, mas também na saúde, pois ajuda a prevenir doenças.

Só bons motivos para que não se deixe abater pelo cansaço e pela rotina e reserve tempo para esta prática. Pode marcar na agenda ou optar pela espontaneidade, que é um preliminar natural por si só.

21. Plante uma árvore (ou várias)

Plantar uma árvore é devolver à natureza aquilo que tanto dela retiramos. Há várias iniciativas onde pode participar um pouco por todo o País.

A Associação Plantar Uma Árvore tem o objetivo que cada pessoa plante, pelo menos, uma árvore por ano. Trata-se de um projeto de responsabilidade ambiental e cívica que convida famílias, escolas e outras instituições a participar.

plantar uma árvore

© getty images

22. Afaste pessoas tóxicas e pessimistas da sua vida

Há uma fábula que diz que vários sapos tentaram alcançar uma torre bem alta, mas, pelo caminho todos diziam: é muito alta, não vão conseguir, desistam, é impossível. No fim, só um conseguiu lá chegar: era surdo. Esta fábula pretende demonstrar a importância de não dar ouvidos a quem não nos quer no alto da torre.

E existem muitos tipos de pessoas que nos fazem mal: as invejosas, as ciumentas, as possessivas, as manipuladoras. Estes tipos de pessoas não nos deixam evoluir, por isso, procure mantê-las afastadas, para atingir uma vida melhor.

 23. Adira aos movimentos slow

Coma sem pressa, eduque com tempo e tenha filhos calmos e pouco stressados. Slow Parenting, Slow Food, Slow Living, Slow Kids, são tudo palavras que estão na moda, sobretudo nos Estados Unidos, em contraposição aos “fast tudo” das últimas décadas.

A ideia do slow parenting, em português “pais sem pressa”, é não pressionar desnecessariamente, respeitando o tempo de cada criança, equilibrando as atividades escolares e extracurriculares, criando crianças felizes. Porque tudo tem o seu tempo, e um ritmo demasiado acelerado pode deitar tudo a perder.

24. Ajude o próximo e pratique o bem

Faça voluntariado, doações, compre uma sanduíche a um desconhecido com fome. Vai ver como se sentirá melhor.

Fredy Vinagre relembra que a generosidade é uma das energias mais fortes que existem, mas atenção, não espere ser reconhecido por isso. A ideia é dar sem receber em troca, pois “tudo o que vai, volta”, diz.

25. Pratique o nesting

Chama-se nesting, palavra que quer dizer mais ou menos “descansar no ninho”, e está agora na moda. Não é mais do que ficar em casa a relaxar durante os fins de semana, tendo em vista combater os efeitos nefastos do stresse semanal.

Segundo os especialistas, o tempo de repouso reduz o nível de stresse e a ansiedade. Ficar literalmente sem fazer nada, apenas de “papo para o ar”, aumenta os níveis de criatividade e produtividade a utilizar posteriormente, durante a semana de trabalho.

26. Faça uma lista de compras com alimentos saudáveis

Rita Rocha de Macedo, nutricionista e autora do livro A Dieta Prática (Ed. Planeta), aconselha a planear as suas refeições de toda a semana e fazer uma lista de compras com os alimentos que vai necessitar para a executar. Assim, se já os tiver em casa, evita comer “à pressa alimentos pouco saudáveis”.

Este plano é, segundo a autora, importante para não cair em tentações.

27. Se o objetivo é perder peso, arranje um diet buddy

É uma dica importante do livro de Rita Rocha Macedo: ter companhia para que possa partilhar os seus sucessos e os reveses com alguém.

Pode ser um diet buddy, ou vários que queiram embarcar na mesma aventura, com quem poderá desabafar nos dias em que custa mais manter-se afastada de um bolo, ou alegrar-se quando a balança está favorável. As vantagens são enormes e há estudos que mostram que as probabilidades de sucesso aumentam quando acompanhada.

28. Coma mais vegetais e fuja dos açúcares

Mais uma vez, como nutricionista, Rita Macedo aconselha que uma dieta saudável deve incluir mais vegetais, fruta fresca e frutos secos, e excluir os açúcares e alimentos processados.

Coma, por exemplo, sopa, ao início das principais refeições, desde que feita em casa e sem alimentos proibidos, como a batata, batata-doce, lentilhas, grão, massa e feijão (isto numa dieta de emagrecimento).

Consuma menos carne e mais peixe rico em ómega-3 e verá que sentirá melhorias no seu bem-estar.

coma vegetais

© unsplash

29. Beba mais chá, é saudável e reduz o stresse

Os estudos comprovam: beber chá reduz o stresse em cerca de 54%. Beber um chá à lareira, rodeada daqueles de quem se gosta, é também um dos exemplos do recém-descoberto conceito de Hygge, onde reside o segredo da felicidade dos dinamarqueses.

Pode ser, para nós, um simples ato, mas coloca este povo nórdico no topo do mundo da em felicidade, segundo Meik Wiking, CEO do Happiness Research Institute e autor de O Livro de Hygge, obra que desvenda o porquê deste conceito bem simples de felicidade.

 30. Deixe o carro longe e ande a pé

Deixar o carro mais longe, evitar os elevadores e subir escadas sempre que possa são pequenos truques que pode sempre utilizar para fazer um pouco mais de exercício e tornar-se menos sedentária.

Vá às compras a pé sempre que possível e, se anda de transportes, saia uma paragem antes da sua habitual e aproveite para ver as montras na cidade. Se tiver possibilidade, brinque com as suas crianças na rua.

 31. Traga sempre um saco de ginásio, ou uns ténis no carro

Rita Rocha de Macedo aconselha: saco de ginásio ou um par de ténis deve estar sempre na mala do carro. Assim, se houver alteração de planos no seu dia de trabalho, se aquele almoço que tinha planeado não acontecer, não tem desculpa para não ir ao ginásio.

Pode ainda aproveitar a hora do almoço para fazer uma caminhada num local próximo do trabalho.

 32. Delegue tarefas, peça ajuda, renuncie ao controlo

Cheryl Richardson é uma autora motivacional que escreveu sobre o conceito do autocuidado extremo no livro 12 Meses para Uma Vida Excecional. Segundo ela, passamos tanto tempo a cuidar dos outros que nos esquecemos de nós.

Um dos conselhos que dá nesta obra é que não tente controlar tudo à sua volta, deixe as coisas acontecerem e verá que tudo se encaixará no lugar certo.

Delegue tarefas sempre que possa, peça ajuda aos que a rodeiam, à família, aos amigos. Assim, conseguirá cuidar melhor de si e dos seus.

 33. Aprenda a dizer não

Esta é talvez umas das tarefas mais árduas de uma mulher, seja mãe ou profissional: dizer “não”. Temos receio de desagradar, de deixar os outros infelizes e, por isso arranjamos sempre forma de incluir tudo na agenda.

Temos sempre a tendência de achar que aguentamos mais um bocadinho, mas não há nada mais errado, dizem os psicólogos. Se não consegue dizer imediatamente que não, peça tempo e responda depois.

Não se culpabilize, não é sua responsabilidade se não conseguir responder a tudo, e se alguém ficar aborrecido com isso, saiba que esse alguém terá de aprender a lidar com a frustração.

34. Não abuse do cartão de crédito, controle os seus gastos

Organize a sua vida financeira e verá que dormirá muito melhor. Para que isso seja possível, Pedram Shojai alerta para a importância de controlar os gastos, não comprar coisas que não necessita nem coisas que não lhe fazem falta alguma.

Não dê ouvidos às técnicas publicitárias que o fazem acreditar que felicidade está no que compra. E, sobretudo, não abuse do cartão de crédito.

35. Organize a sua casa e destralhe

Marie Kondo é especialista na arte da organização e afirma, no seu livro Arrume a Sua Casa, Arrume a Sua Vida, que uma reorganização dramática da sua casa corresponde a mudanças drásticas no seu estilo de vida.

Para ela, a raiz da desarrumação dos nossos espaços está na nossa mente e o sucesso deste plano depende dela em 90%. No Japão, origem do método no qual se inspira, acredita-se que arrumar a casa traz boa sorte.

O feng shui é também uma outra arte muito procurada atualmente, pois as pessoas consideram cada vez mais importante ter o nosso “ninho”, onde nos podemos desligar e relaxar.

organizar a casa

© unsplash

36. Desligue-se da tecnologia, sobretudo à noite

Estar sempre ligada e atenta ao e-mail, às redes sociais, aos alertas de novas notícias no telemóvel deixa-nos esgotados e pouco produtivos.

O Investigador Gary Cooper, da Manchester Business School, revelou à BBC que cerca de 40% das pessoas consultem o e-mail assim que acordam. Contra estas conclusões, Cheryl Richardson aconselha que consulte o seu e-mail, por exemplo, em alturas predefinidas do dia, para não se dispersar, e mantenha também as redes sociais desligadas sempre que possível.

A versão original deste artigo foi publicada na Saber Viver nº 203, maio de 2017.

Últimos

Dormir a sesta não é sinal de preguiça, é bom para o coração
Saúde
Dormir a sesta não é sinal de preguiça, é bom para o coração
Pão de castanhas: uma sugestão deliciosa e nutritiva
Receitas
Pão de castanhas: uma sugestão deliciosa e nutritiva
19 bandoletes para palmilhar as ruas com o acessório da estação
Moda
19 bandoletes para palmilhar as ruas com o acessório da estação
Como reduzir manchas e ter uma pele luminosa em três passos
Beleza
Como reduzir manchas e ter uma pele luminosa em três passos
Seremos realmente livres de deixar crescer os nossos pelos?
Beleza
Seremos realmente livres de deixar crescer os nossos pelos?
Em busca de inspiração? Encontre-a nestes 12 documentários sobre mulheres
Cultura
Em busca de inspiração? Encontre-a nestes 12 documentários sobre mulheres
Experimente estes jogos de sexo e quebre a monotonia da relação
Sexo
Experimente estes jogos de sexo e quebre a monotonia da relação
Síndrome pré-menstrual: tem estes sintomas?
Saúde
Síndrome pré-menstrual: tem estes sintomas?
27 frases de empoderamento feminino para se inspirar todos os dias
Sociedade
27 frases de empoderamento feminino para se inspirar todos os dias
Crónica: Yoga. Por onde começar?
Bem-estar
Crónica: Yoga. Por onde começar?
Os 5 modelos de botas que todas deveríamos ter no guarda-roupa
Moda
Os 5 modelos de botas que todas deveríamos ter no guarda-roupa
Crónica: Astrologia, a poesia esquecida
Horóscopo
Crónica: Astrologia, a poesia esquecida