Beleza

É disto que a sua pele precisa aos 20, 30, 40 e 50 anos

Diferentes idades, diferentes necessidades. Decore isto para a próxima vez que escolher um creme antienvelhecimento. Seja aos 20, 30, 40 ou 50 anos, estes ingredientes não podem faltar.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
É disto que a sua pele precisa aos 20, 30, 40 e 50 anos
© Getty Images/Unsplash
Marta Chaves
Escrito por
Fev. 18, 2020

O mundo chocou-se quando, em 2017, a Dior anunciou que Cara Delevingne, com apenas 25 anos na altura, era o novo rosto da linha anti-idade Capture Youth, destinada a mulheres a partir dos 30 anos.

Não demorou muito até que as redes sociais explodissem com comentários indignados que questionavam como era possível uma modelo tão nova (e sem aparências visíveis de sinais de envelhecimento) representar mulheres que já tinham ou estavam prestes a ter rugas.

Criou-se, até, o hashtag #thatsnotme (em português, “esta não sou eu”) para consolidar a revolta contra a marca francesa, que rapidamente se defendeu a dizer que a linha ajudava adiar os sinais de envelhecimento – e, assim, deveria ser usada o quanto antes. É descabido? Pode parecer.

Porém, em termos práticos, é importante saber que diferentes idades requerem diferentes cuidados e preocuparmo-nos em usar linhas de rosto anti-idade antes dos 30 não é assim tão despropositado.

Por onde começar?

Todas sabemos que os 20 são os anos dos festejos e dos excessos, de dormir sem tirar a maquilhagem e de não querer saber se é importante usar cremes anti-idade. Porém, não só os dermatologistas aconselham a usar estes produtos a partir dessa idade, como vários estudos apontam para esta necessidade.

Alexa Kimball, professora de Dermatologia na Universidade de Harvard, em parceria com a marca Olay, conduziu um estudo realizado apenas com mulheres que demonstrou que, a partir dos 20 anos a pele se torna mais suscetível aos fatores externos (como o sol) e rapidamente perde antioxidantes.

Começa-se por dizer adeus ao colagénio, depois à elasticidade e à firmeza e, quando damos por nós, é tarde demais para recompor tudo isto. Usar os ingredientes certos, de acordo com a idade, é a medida eficaz contra o envelhecimento cutâneo. É por aqui que deve começar.

Os loucos anos 20

O protetor solar é um produto transversal a qualquer idade, se começar a usá-lo aos 20 anos, irá prevenir mais as rugas e linhas finas do que se só começar a usá-lo a partir dos 30.

Inicie um plano de ataque e inclua também ácido hialurónico na sua rotina de beleza. Esta substância natural produzida pelo nosso corpo tem a função de reter água para manter os tecidos da pele hidratados e lubrificados.

Sendo esta a idade da prevenção, convém que os seus níveis se mantenham elevados, daí ser imprescindível que seja um dos ingredientes presentes nos produtos usados no dia a dia. Procure ainda antioxidantes como a vitamina C, pois funcionam como anti-inflamatórios – e são também fortes aliados do protetor solar.

Hyaluron Filler, Eucerin (32,08€); Age Protect, Uriage (37,95€)

Os grandes 30

É por volta desta idade que o corpo começa a abrandar, o metabolismo torna-se mais lento, as células mortas acumulam-se e é possível que a pele já esteja um pouco danificada – talvez pelo sol, poluição, má alimentação ou por maus hábitos, como fumar.

Como tal, é importante adicionar à sua lista de cuidados a esfoliação, nomeadamente com alfa-hidroxiácidos (ou AHA) que limpam e expulsam as células mortas. Dentro desta família, existe ainda o ácido glicólico, que ajuda a reparar estes mesmos danos provocados pela exposição solar e a produzir colagénio.

Adicione ainda à equação o retinol, que ajuda a combater o aparecimento das primeiras linhas finas – é muitas vezes encontrado em séruns ou cremes de olhos, aclaradores e anti-inflamatórios – e são também fortes aliados do protetor solar.

Diferentes idades, diferentes necessidades. Decore isto para a próxima vez que escolher um creme antienvelhecimento. Seja aos 20, 30, 40 ou 50 anos, estes ingredientes não podem faltar.

Esfoliante Scrub & Detox, Filorga (35,95€); Retinol Booster, Skin Regmen (90€)

Os 40 são os novos 20

As grandes diferenças de uma década para a outra são a perda de volume e elasticidade, devido principalmente à diminuição de um nome conhecido, o colagénio.

Perto dos 40 anos, o corpo deixa de produzir colagénio a pouco e pouco, logo é importante que o consuma em suplementos ou por via tópica. O colagénio é o grande responsável pela elasticidade da pele, por isso, é perentório que faça parte de qualquer rotina de beleza anti-idade.

Além disto, procure também usar peptídeos, moléculas que uniformizam o pigmento da pele e estimulam o colagénio.

Creme de noite, Caudalie (43,70€); Cápsulas Premium, Lierac (39€)

A maturidade dos 50

Fazer 50 anos marca uma nova etapa da vida, completamos metade de um século e isso acarta alguma sabedoria e responsabilidade.

É, geralmente, também a década de entrada na menopausa e é quando a barreira da pele está mais enfraquecida, pela perda sucessiva de estrogénio. Consequentemente, a pele torna-se mais seca e não consegue, por si só, reter hidratação.

É por isso essencial que escolha cremes ricos e muito hidratantes. Pode também optar por óleos, uma vez que são uma boa opção para pele que precisa de ser nutrida. Nesta idade, não deve dispensar um creme de contorno de olhos, de forma a hidratar ainda mais esta zona, que normalmente é mais fina e está suscetível a linhas finas e rugas.

Creme rosto e pescoço, Institut Estherm (81€); Contorno de olhos, Eisenberg (105€)

A versão original deste artigo foi publicada na revista Saber Viver nº 236, fevereiro de 2020.

Últimos