Viagens e lazer

10 paraísos sustentáveis para explorar o quanto antes (Portugal está na lista)

Faça as malas e venha connosco conhecer as regiões do mundo mais amigas do ambiente. Portugal está entre elas, a par de locais como as Galápagos, Palau Zanzibar e Guiana.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
paraísos sustentáveis
Rita Caetano
Escrito por
Ago. 10, 2019

Os óscares verdes deste ano já foram entregues e Portugal foi um dos distinguidos. Mas há mais países/regiões que deve conhecer, porque juntam práticas amigas do ambiente a paisagens arrebatadoras, património e culturas ímpares.

Os ITB Earth Awards 2019 são uma iniciativa da Green Destinations, uma fundação sem fins lucrativos que se dedica ao turismo sustentável, e da ITB Berlim, a maior feira de turismo do mundo.

Se já está a pensar nas próximas férias – este ou no próximo ano, inpire-se e escolha entre estes dez destinos.

As 10 regiões mais sustentáveis do mundo

1. Palau

palau, um paraísos sustentável

© Getty Images

Centenas de ilhas no Pacífico ocidental formam a República do Palau. Conhecida pela riqueza natural e cultural, tem sido preservada seguindo o caminho do turismo sustentável – que lhe valeu o prémio principal – ITB Earth Award. Oitenta por cento do arquipélago é uma reserva marinha, a sexta maior do mundo, na qual foi criado o primeiro santuário de tubarões.

O turismo de Natureza encontra aqui um cenário de sonho, entre paisagens verdejantes cortadas por trilhos incríveis e praias magníficas, onde podem praticar-se todos os desportos de água não poluentes. Outros aspetos interessantes são os souvenirs feitos em vidro reciclado e o facto de, até 2020, serem banidos os protetores solares que contenham químicos em prol da proteção dos corais que embelezam o mar.


2. Guiana

guiana, paraíso sustentável

© Getty Images

Na América do Sul, a República da Guiana ganhou o título de melhor ecoturismo, o que não é de estranhar se pensarmos que este pequeno país possui 18% da floresta tropical do mundo.

A paisagem divide-se entre a costa atlântica, com as suas belas praias; as montanhas, a oeste; a floresta tropical e as suas quedas de água; e as savanas. As florestas e savanas são conhecidas por Terra de Gigantes, porque são o habitat de jaguares, lontras, jacarés e anacondas, só para dar alguns exemplos de animais de porte considerável.

A vida selvagem é exuberante, tal como a Natureza, e a cereja no topo do bolo é a simpatia da população. É um destino ideal para quem gosta de turismo de aventura sem estragar o ambiente.


3. Gozo

gozo, paraíso sustentável

© Viewingmalta.com

É a segunda maior ilha do arquipélago de Malta e foi escolhida pela preservação da sua Natureza, da atmosfera rústica e da identidade local, tendo ganho o prémio Comunidades e Cultura.

A ilha divide-se em praias de águas cristalinas e monumentos milenares, como a Cidadela Medieval e os templos Ggantija, Património da UNESCO.

Os habitantes locais usam muito a bicicleta, por isso, faça como eles! Além disso, aproveite para caminhar nos trilhos que recortam paisagens únicas que a ilha esconde, feitos de mar, vegetação e património cultural.


4. Liubliana

LIUBLIANA, paraísos sustentável

© Dunja Wedam/ Ljubljana Tourism Photo Library

A capital da Eslóvenia é conhecida pelas suas boas práticas ambientais, tendo sido a Capital Verde da Europa em 2016. Não há carros no centro histórico, a água da torneira é potável – nem sequer precisa de ser tratada – e tem um pulmão verde que é o Parque Tivoli.

Além de todos esses cuidados ambientais, é uma cidade cosmopolita, mas à escala humana, onde há muito para fazer. Os amantes da cultura alternativa vão encontrar pouso no Metelkova, um complexo militar que hoje alberga galerias, bares, estúdios de artistas e salas para concertos.

Deve ainda explorar o Zeleni Prstan (Anel Veder), um circuito  de 33 quilómetros de espaços verdes, e visitar o lago Bled, a uma hora de distância da Liubliana. Venceu o prémio Cidade.


5. Parque Nacional Bardia

parque nacional bardia

© Getty Images

É a maior área protegida de Terai, no Sul do Nepal, e é feita de florestas subtropicais húmidas que servem de habitat ao tigre-de-bengala, mas também a elefantes, a rinocerontes e outras espécies fascinantes.

No total, pensa-se que vivam no Parque Nacional de Bardia 50 espécies de mamíferos e 400 de aves.  Quem por ali vive trabalha para preservar a biodiversidade, mas também a comunidade que habita na floresta, o povo Tharu, cuja cultura tem sido defendida e pode ser ‘vista’ no Museu Tharu.

Este é o destino para quem gosta de animais e um contacto profundo com a Natureza. Esta reserva ganhou o prémio pelo continente asiático pelas suas boas práticas ambientais.


6. Chumbe Island Coral Park

Chumbe Island Coral Park 

© 2012 Markus Meissl

É uma reserva natural privada que inclui uma barreira de coral e uma reserva florestal – uma das últimas florestas tropicais intactas em Zanzibar.

Na ilha, há um centro de educação e tudo é feito para ter impacto zero no ambiente, logo, não é de estranhar que tenham conseguido o galardão atribuído ao continente africano.

Snorkeling, passeios pela floresta ou apenas ficar deitado nas praias e dar umas braçadas em águas quentes são argumentos que convencem os turistas que adoram Natureza.

A reserva tem sete eco-bungalows que combinam na perfeição com o local onde estão instalados, entre a floresta e a praia.


7. Torroella de Montgrí – L’Estartit

Torroella de Montgrí – L’Estartit

© Getty Images

Na Catalunha, em plena Costa Brava, Torroella de Montgrí – L’Estartit são duas povoações amigas do ambiente a uma curta distância do Mediterrâneo, daí terem ganhado o prémio de sustentabilidade na categoria de costa marinha.

A primeira é uma pequena cidade real, com um centro histórico impressionante; a segunda é uma aldeia piscatória em frente à Reserva Marinha das ilhas Medes, uma das mais importantes do Mediterrâneo.

São uma excelente opção para quem gosta de turismo ativo. Os trilhos fazem descobrir a fauna e a flora locais numa singular beleza paisagista; o maciço de Montgri desemboca no mar, recortado por pequenas praias e grutas às quais só se chega a pé ou de barco. Os passeios de barco de fundo de vidro deixam ver o esplendor do mar.


8. Galápagos

GALAPAGOS

© Getty Images

Paraíso para os amantes da Natureza, as ilhas Galápagos são conhecidas por terem adotado um turismo sustentável que lhes permite a conservação dos recursos naturais. Estes ficaram conhecidos através de Charles Darwin e da sua teoria das espécies, ainda no século XIX.

Tartarugas-gigantes, leões-marinhos, iguanas e pinguins são alguns dos animais que vai encontrar na costa, mas, no mar, o leque alarga-se a baleias, golfinhos e outras espécies. Vale a pena fazer snorkeling.

Estas ilhas de origem vulcânica têm uma paisagem árida contrastante com a brancura dos areais e o azul-turquesa do mar. São o destino sustentável  do continente americano.


9. Dutch Quality Coast Delta

Dutch Quality Coast Delta

© Holland Media Bank

Goeree-Overflakke, Schouwen Duiveland, Veere e Westvoorne, na Holanda, foram escolhidas como melhores destinos sustentáveis de Natureza.

Todas estas zonas são banhadas pelo mar do Norte, ou seja, são destinos de praia com dunas a perder de vista e uma fauna (as focas estão entre os animais que se podem avistar) e flora riquíssimas.

Ir à praia, praticar desportos de água e visitar as cidades históricas são algumas das atividades a não perder, mas a um ritmo calmo, como o cenário pede.

As políticas de sustentabilidade são muitas e a meta do próximo ano é usar apenas energias renováveis, encontrando-se no bom caminho para isso


10. Portugal

Portugal, paraísos sustentável

© Luis Godinho/Turismo dos Açores

O nosso País continua nas bocas do mundo e foi considerado o destino europeu mais sustentável. Para isso, contribuíram as valências ‘verdes’ de várias regiões.

Se, em Águeda, se destaca um território que valoriza não só as suas paisagens como as pessoas, cultura e tradições, no Alto Minho, o foco está no único Parque Nacional Peneda-Gerês – que é também Reserva Mundial da Biosfera Transfronteiriça no nosso território.

As paisagens Protegidas de Bertiandos e Corno de Bico, ainda no Minho, também valem a visita. Já a região Oeste e Torres Vedras são aplaudidas pelas suas praias de Bandeira Azul, algumas delas acessíveis a pessoas portadoras de deficiências motoras.

A Nazaré e o Mosteiro de Alcobaça são dois dos locais que devem ser visitados, de acordo com o júri do ITB Earth Awards. Segue-se Cascais e Sintra, reconhecidas pelas práticas sustentáveis e por paisagens de sonho, entre praias de grande qualidade, vegetação e arquitetura ímpares.

A Quinta do Pisão, que tem sabido proteger as espécies da zona e que é um verdadeiro centro educativo, é um dos lugares destacados. No Algarve, as praias de Lagos, distinguidas pelas boas práticas ambientais, também chamam a atenção, bem como a herança cultural da cidade.

E, claro, quando se fala de turismo verde, os Açores não poderiam deixar de ser nomeados. As nove ilhas vulcânicas que compõem o arquipélago têm uma geodiversidade única e uma vida marinha das mais ricas da Europa.


Quantos destes paraísos já conhece e quais gostaria de explorar já nas próximas férias? Até lá, siga estes 21 passos para se tornar mais sustentável.

Últimos