Saúde

6 regras que protegem o seu coração

Controla o mau colesterol? Fuma, mesmo que sejam cigarros eletrónicos? Tem os níveis de vitamina D em baixo? É melhor começar a pensar mais no seu coração.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
6 regras que protegem o seu coração
© Getty Images
Rita Caetano
Escrito por
Jan. 30, 2020

O sedentarismo e o tabaco continuam a ser os piores inimigos do coração, mas a Sociedade Europeia de Cardiologia tem seis regras para proteger o órgão que bombeia o sangue para todo o organismo.

6 dicas para proteger o seu coração

1. O sofá faz mal

Cinco milhões de pessoas morrem todos os anos devido à “síndrome do sofá”, ou seja, à falta de atividade física.

No Congresso Europeu de Cardiologia foi apresentado um algoritmo que pode salvar vidas e que é apelidado de PAI (Personal Activity Index). O PAI, que avalia o movimento de cada indivíduo, ajuda a prever a mortalidade cardiovascular a longo termo e pode ser usado como instrumento motivacional para mudar o estilo de vida. Os homens devem, idealmente, ter um PAI de 13% e as mulheres de 17%.

2. Os novos limites de colesterol

O valor do mau colesterol não deve ultrapassar os 100, enquanto o bom não deve ser mais do que 70, mesmo nos indivíduos sem qualquer risco cardiovascular e os que têm hipercolesterolemia familiar.

Até agora, as indicações variavam de acordo com a hereditariedade, as doenças cardiovasculares e o estado de saúde, mas, neste momento, os valores acima indicados é que são a referência.

3. Deixe de fumar o quanto antes

O tabaco continua a ser a principal causa de morte evitável no mundo. Continuar a fumar depois de um problema cardiovascular aumenta a possibilidade de recidiva.

Entre os efeitos do tabaco está a rigidez da aorta, que representa um risco cardiovascular importante.

4. Os cigarros eletrónicos não são benéficos

De acordo com um estudo apresentado no Congresso Europeu de Cardiologia, os cigarros eletrónicos, tal como a nicotina, aumentam a pressão arterial. Para além de que, sabendo-se que a hipertensão arterial desencadeia doenças cardiovasculares, a inocuidade dos cigarros eletrónicos está a ser posta em causa.

Os especialistas afirmam que o seu uso deve ser feito sob controlo médico e como uma ajuda para deixar de fumar – não como um hábito permanente.

5. O poder da alimentação

Uma alimentação rica em vegetais, peixe, fruta, nozes e ácidos gordos monoinsaturados é essencial para um coração saudável.

Os especialistas voltaram a atenção, sobretudo, para os idosos que comem pouco e mal. Esta faixa etária ingere uma quantidade insuficiente de proteínas, fruta e vegetais, devido a problemas económicos e à dificuldade em mastigar. Uma alimentação deficitária pode ser tão perigosa como a obesidade, alertam os investigadores.

Um estudo da Tuft University, nos Estados Unidos da América, sugere que a redução de preços de alguns alimentos poderia salvar milhões de vidas, pelo que, sendo esta medida levada a cabo , durante dez anos evitar-se-ia cerca 515 mil mortes por doenças cardiovasculares.

6. O papel da vitamina D

O risco de vir a sofrer uma doença do coração aumenta quando os níveis de vitamina D são baixos. Por isso, não se esqueça de apanhar sol.

Os especialistas acreditam que a exposição solar, durante 20 minutos por dia, em qualquer zona do corpo – aliada à ingestão de peixes gordos, como sardinha, salmão ou sargo – é essencial para ter bons níveis de vitamina D.

Últimos