Como o mindfulness ajuda os pais a educar os filhos

O mindfulness ajuda os pais a educar os filhos de forma mais consciente, com mais sentido de liberdade e sem juízos de valor. Quando trazemos consciência para a forma de criarmos os filhos. A isto chama-se parentalidade consciente.

Se há tarefa complexa, desafiante e stressante, ser-se pai ou mãe está no topo. Se se encontra nesse papel fixe duas palavras: parentalidade consciente. Esta é a expressão que guia Jon e Myla Kabat-Zinn, autores do livro Pais Conscientes, Filhos Felizes (Lua de Papel), escrito nos anos 90 e revisto em 2014, que chegou a Portugal em setembro último. Jon, formado em Medicina e com um doutoramento em Biologia Molecular no MIT, foi o percursor da prática do mindfulness nas áreas da medicina, psicologia e saúde pública. Myla, com um mestrado em enfermagem, trabalhou como educadora de infância. Juntos formam um casal e uma dupla imbatível no que à inteligência emocional diz respeito quando o tema são os pais e os filhos. Mais, quando o propósito é saber como o mindfulness ajuda os pais a educar os filhos.

Como o mindfulness ajuda os pais

Este livro é um verdadeiro guia para pais que querem fazer com que os filhos sejam o mais felizes possível. Para isso, só têm de se centrar no presente, vê-los como eles são realmente e não como gostariam que fossem. Outro aspeto fundamental para os autores é dar liberdade aos mais pequenos sem esquecer de os ensinar a usá-la. “A soberania é muito diferente de prerrogativas sem limites. Não significa que se deva dar às crianças tudo o que querem, nem que outros devam fazer o trabalho delas”, dizem no livro.

Mindfulness ajuda os pais: julgamento vs discernimento

Afinal o que é o mindfulness ou a consciência plena? “É a consciência que surge ao prestarmos atenção de propósito, no momento presente, sem juízos de valor”, referem Jon e Myla Kabat-Zinn. E como é que isso passa para a educação? “Quando trazemos consciência para a forma de criarmos os filhos, mediante o recurso à atenção plena enquanto prática, isso pode levar a um conhecimento e entendimento mais profundos, tanto dos nossos filhos como de nós mesmos”.

“O mindfulness não nos diz o que fazer, mas oferece-nos, isso sim, uma forma de escutar, uma forma de prestarmos muita atenção àquilo que cremos ser importante e de expandirmos a visão do que isso pode ser em qualquer situação, sob quaisquer circunstâncias”

Mas, atenção, estar em harmonia com os filhos não significa que as coisas sejam sempre perfeitas. “É claro que haverá sempre momentos de conflito e alheamento – podem ser oportunidades para que tanto pais como filhos aprendam que é possível recuperar e recomeçar de novo”, afirmam o autores.  “O que é requerido para cultivar o mindfulness e a parentalidade com atenção plena, em vez de julgamento, é discernimento, a capacidade de observar algo em profundidade e detetar distinções relevantes e com clareza. O discernimento é a capacidade de ver isto e aquilo, por oposição a isto ou aquilo. É sinal interno de respeito pela realidade”, rematam.

11 exercícios para pais conscientes

1. Tente imaginar o mundo a partir da perspetiva do seu filho. Imagine como parecerá aos olhos e aos ouvidos do seu filho. Ou seja, como é tê-lo a si como mãe neste momento.

2. Pense que os seus filhos são perfeitos tal como são. Veja se consegue manter-se ciente da sua soberania. Dedique-se a aceitá-los com amabilidade, sobretudo, quando for mais difícil para si fazer isso.

3. Atente às expetativas que tem em relação aos seus filhos. Considere se são adequadas para a idade deles e se servem os interesses particulares de cada um.

4. Pode ser útil cultivar propositadamente altruísmo, definido como interesse abnegado pelo bem-estar dos outros. Quando os filhos são pequenos isto significa colocar as necessidades deles acima das suas. À medida que crescem significa atribuir-lhes mais responsabilidades e iniciativa para suprimirem as suas necessidades.

5. Quando se sentir perdida ou sem saber o que fazer fique imóvel e respire. Fazendo-o pode perceber intuitivamente com todo o seu corpo o que mais precisa de ser feito. Se isso não for claro em dado momento, talvez o melhor seja não fazer coisa alguma até que se torne claro.

6. Tente incorporar uma presença silenciosa. Isso surgirá com a prática formal e informal da atenção plena.

7. Experimente dar espaço à tensão sem perder o próprio equilíbrio. O seu filho, sobretudo quando é pequeno, precisa que os pais sejam o centro de equilíbrio e confiança.

8. Considere pedir desculpa quando tiver agido de algumas forma que seja respeitadora ou ofensiva. Os pedidos de desculpa podem ter um efeito curativo.

9. Há muitas alturas em que precisamos de ser claros, fortes e inequívocos com os nossos filhos.

10. Poderá fazer experiências com o uso regular da pratica da bondade amorosa, preservando cada filho no coração por um momento e desejando-lhe bem.

11. A maior dávida que pode dar ao seu filho é dar-se a si mesma, isto significa que parte do seu trabalho como pai ou mãe consiste em continuar a desenvolver-se.


 

Experimente fazer uso do mindfulness em si e, consequentemente, na educação dos seus filhos. Leia também estes 6 passos para educar crianças felizes.

Mais sobre família

Comentários

Como o mindfulness ajuda os pais a educar os filhos

Os comentários podem ser editados por questões de clareza e para permitir respostas mais gerais.