© StockFood

As verdadeiras razões pelas quais devemos comer malagueta

Fruto pequeno, fino, vermelho e muito picante. A malagueta tem inúmeros benefícios associados ao seu consumo, como a diminuição dos níveis de colesterol e o aceleramento do metabolismo. Descubra as restantes vantagens que vão tornar este ingrediente uma presença constante na sua cozinha.

“Todas as variedades de pimento têm origem na América Central”, pode ler-se n’O Grande Livro dos Legumes (Círculo de Leitores, 2012). Com um teor muito elevado de vitamina C e um índice de vitaminas A e B, a malagueta contém na sua composição minerais, dos quais se destacam o potássio, cálcio, magnésio e o fósforo.

Embora o picante possa causar irritação a pessoas com o estômago delicado, são vários os benefícios que a vão fazer repensar o consumo de malagueta.

10 benefícios da malagueta para a saúde

Causa pasmo a alguns peritos como é que as especiarias e iguarias trazidas pelos navegadores lusitanos aquando das explorações além-mar, pouco impacto tiveram na gastronomia nacional. Um deles é o médico imunologista Yehuda Shoenfeld, que esteve no V Congresso Europeu de Nutrição Funcional, em Lisboa, a apresentar as suas descobertas científicas.

A malagueta ajuda a prevenir e a combater muitas doenças autoimunes – Yehuda Shoenfeld, médico imunologista

O especialista israelita começou assim a sua apresentação: “Infelizmente, os portugueses não gostam de comida picante. O que é estranho, porque nos países onde há mais calor costuma haver uma tradição culinária apimentada”.

A razão de ser desta abertura prende-se com uma novidade, que pode bem fazer-nos alterar os nossos hábitos alimentares: “A malagueta ajuda a prevenir e a combater muitas doenças autoimunes”.

Conhecida como o picante da malagueta, a capsaicina tem inúmeros benefícios para a saúde.

 Diminui a ingestão energética, o que ajuda na perda de peso;

• Aumenta a oxidação de gordura;

• Diminui os níveis de colesterol e triglicéridos;

• Acelera o metabolismo;

 Facilita a digestão;

 Ajuda a prevenir a diabetes tipo 1;

 Combate a depressão e a psoríase;

 Produz melhorias clínicas nos indivíduos com neurite ótica (inflamação do nervo ótico);

 Quando aplicada topicamente, atenua (temporariamente) a sintomatologia nos casos de artrite reumatoide e de fibromialgia;

 Combate o envelhecimento da pele.

Cozinhar com malagueta

Depois de revelar as suas descobertas científicas sobre este ingrediente, o médico imunologista acrescentou ainda: “recomendo comida picante a todos os pacientes que entram no meu consultório”.

Crua em saladas, frita, assada, em tempero de refogados e guisados, não parece difícil consumir malagueta no dia a dia. Basta viajar pelas cozinhas chinesa, indiana, italiana e mexicana, em diferentes dias da semana. Pode começar já por esta receita de compota. 

Compota de pimento vermelho e malagueta

1 h 50 min | 3 frascos pequenos

;

Ingredientes

500 g de pimento vermelho
3 a 4 malaguetas vermelhas frescas
2 maçãs cozidas
2 cebolas roxas picadas
2 tomates
2 c. sopa de paste de alho e gengibre
2 c. sopa de azeite
10 c. sopa de vinagre de cidra
200 g de açúcar mascavado
q.b. de flocos de malagueta seca

Preparação

1. Aqueça o azeite numa panela, junte a cebola picada e deixe cozinhar durante cerca de 15-20 minutos

2. Pique o pimento, as malaguetas, os tomates e a maçã (pode usar um liquidificador, mas não faça puré)

3. Junte os ingredientes picados, a pasta de alho e gengibre, o açúcar e o vinagre. Misture tudo e continue a mexer com uma colher de pau

4. Deixe cozinhar em lume brando

5. Quando a mistura começar a engrossar, cerca de 40-45 minutos depois, a compota está pronta


Agora que já conhece as propriedades benéficas da malagueta, saiba o que a curcuma pode fazer pela nossa saúde.

Mais sobre temperos

Comentários

As verdadeiras razões pelas quais devemos comer malagueta

Os comentários podem ser editados por questões de clareza e para permitir respostas mais gerais.