Nutrição

Afinal, devemos continuar a beber leite de vaca?

Crescemos a ouvir os nossos pais dizer que beber leite faz bem. Mas ultimamente, há quem nos diga o contrário. Afinal, devemos ou não continuar a beber leite?

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Afinal, devemos continuar a beber leite de vaca?
© Getty Images
Em parceria com:
Afinal, devemos continuar a beber leite de vaca?
Nov. 12, 2019

O leite é indicado na alimentação diária de pessoas de todas as idades. Além de ser um alimento rico em nutrientes, contribui para a hidratação diária e é muito versátil, adaptando-se facilmente aos padrões alimentares atuais. De acordo com a Roda dos Alimentos Portuguesa, os laticínios devem representar 18% da nossa alimentação diária, o que corresponde entre duas a três porções diárias.

O consumo de leite e produtos lácteos contribui para a ingestão de vários nutrientes essenciais, e pode mesmo proteger contra algumas doenças crónicas, como obesidade, diabetes e doença cardiovascular, de acordo com um estudo publicado no Food & Nutrition Journal. Isto porque o leite contém as vitaminas, minerais e outros nutrientes que o nosso corpo necessita, incluindo proteínas, hidratos de carbono, bem como os tão famosos cálcio e fósforo.

Em consonância com esta opinião, o CNAM – Centro de Nutrição e Alimentação Mimosa – fala-nos das vantagens e razões para beber leite, entre as quais destacamos as seguintes:

Cálcio para os ossos

Entre os alimentos naturais, o leite é um dos principais fornecedores de cálcio, um mineral extremamente importante para a formação dos nossos ossos até aos 30 anos e para a prevenção do seu desgaste a partir daí.

tabela necessidades diárias de cálcio

Os legumes verdes (como, por exemplo, os espinafres e os brócolos), alguns cereais, frutos secos e peixes (principalmente os que podem ser comidos com espinhas) são também alimentos ricos em cálcio. No entanto, de uma forma geral, o cálcio destes não é absorvido pelo organismo. Tal acontece devido à presença, no caso dos vegetais verdes, de oxalatos, que dificultam a absorção do cálcio. O mesmo problema sucede com os cereais, por conterem fitatos.

Alta densidade nutricional

O leite oferece uma boa relação entre nutrientes essenciais e calorias, sendo por isso considerado um alimento de elevada densidade nutricional.

Por exemplo, 1 copo de leite meio gordo de 250 ml oferece 118 kcal e nove nutrientes essenciais que contribuem para assegurar grande parte das necessidades nutricionais.

O leite tem proteínas de alto valor biológico que incluem todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas ao nosso organismo e que contribuem para o crescimento e manutenção da massa muscular. E fornece ainda vitaminas e minerais, nomeadamente:

Potássio, que contribui para normal funcionamento muscular e do sistema nervoso, e para a manutenção de uma pressão arterial normal;

Vitamina B12, que ajuda na formação normal de glóbulos vermelhos e no normal funcionamento dos sistemas nervoso e imunitário;

Vitamina B2, que tem um papel na proteção das células contra as oxidações indesejáveis, no normal metabolismo produtor de energia e contribui para a redução do cansaço e da fadiga;

Iodo, o qual contribui para o normal funcionamento do sistema nervoso e para uma normal função cognitiva;

Cálcio, necessário para a manutenção de ossos e dentes, tendo ainda um papel na transmissão de impulsos nervosos, no funcionamento muscular e na coagulação do sangue;

Fósforo, que em conjunto com o cálcio contribui para a manutenção de ossos e dentes normais.

É versátil, saboroso e acessível

O leite é um alimento versátil e pode ser facilmente consumido em qualquer lugar, adaptando-se aos padrões alimentares atuais. É ainda capaz de responder às mais diversas necessidades e preferências individuais, seja pela composição nutricional, seja pelo sabor (pode ser consumido branco, com fruta, chocolate).

leite com fruta
O leite é um alimento versátil, com um sabor fácil de diversificar ao gosto de cada um.

Concluindo: os laticínios são únicos. Têm um conjunto de nutrientes essenciais, que os tornam indispensáveis na alimentação de cada um de nós. Sem dúvida devemos continuar a consumi-los diariamente, integrados numa alimentação saudável.

Últimos