Bem-estar

Meditação do mês: Omkar Dhyana (estilo Raja Yoga)

A meditação Omkar é mais uma técnica absolutamente simples, mas extremamente eficaz. É sempre bom reforçar que, quanto mais simples é uma meditação, mais impacto ela tem sobre nós, uma vez que é fácil oferecer à mente um objeto de atenção, sem grandes dificuldades.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Meditação do mês: Omkar Dhyana (estilo Raja Yoga)
© Getty Images
Rute Caldeira, cronista
Escrito por
Fev. 27, 2020

*Todos os meses, a professora de meditação Rute Caldeira guia as leitoras da Saber Viver numa meditação exclusiva. É hora de fechar os olhos e deixar-se ir.

Nesta meditação experienciamos o som de três formas diferentes – audível, sussurrado e mental. Esta técnica está ligada aos quatro níveis do som, fazendo-nos descobrir a sua potencialidade e magia por trás dele.

Os quatros níveis do som:

O som das palavras – é denso e audível.
A vibração mental – o interlocutor pensa na linguagem e seleciona as palavras de acordo com conceções, emoções, conhecimento, educação, cultura, etc.
Estado telepático – no qual se pode “sentir” a forma do pensamento. Corresponde ao nível em que se formam os pensamentos. Ligação entre o recetor e o emissor.
O nível transcendental – este som não tem comprimento de onde e está acima de todas as formas conhecidas. É pura energia, vibração cósmica que tudo une.

Meditação Omkar Dhyana (estilo Raja Yoga)

1. Respiração

Inspiramos e expiramos profundamente (até sentirmos encher e esvaziar totalmente os pulmões) 11 vezes seguidas (o ciclo está completo quando fazemos a inspiração e a expiração).

2. Repetição do mantra OM

Fazer 11 vezes de três formas diferentes: verbal, sussurrado e, por fim, mental – no caso mental sincronizamos a respiração com a repetição do mantra, sempre que se expira, mentalmente estamos a prolongar o som Om.

Se o praticante desejar, pode aumentar o número de repetições, de forma a tornar a meditação mais profunda e intensa.

3. Continuação da meditação de olhos fechados

Em total silêncio, podemos concentrar-nos no chacra do coração ou no centro das sobrancelhas – um centro ligado à nossa intuição e, se assim desejarmos, podemos manter a repetição do mantra mentalmente, sincronizando-o com a nossa respiração.

Quando sentirmos, silenciamos a mente e observamos as sensações que esta meditação nos trouxe.

Rute Caldeira é professora de meditação e ioga, palestrante, mestre em reiki, facilitadora de retiros espirituais, nacionais e internacionais, PNL practitioner e especialista em desenvolvimento espiritual. É autora dos livros Liberta-te de Pensamentos Tóxicos (2016),  Simplifica a Tua Vida (2017) e O Poder da Meditação (2019). Pode acompanhá-la diariamente no FacebookInstagram e Youtube

Últimos