Dinheiro

5 coisas que deve saber antes de subscrever um PPR

É provável que o seu plano de reforma tenha rendido anualmente menos de 1% nos últimos cinco anos. Saiba como escolher um bom PPR.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
5 coisas que deve saber antes de subscrever um PPR
© Getty Images
Escrito por
Set. 18, 2019

O plano de poupança-reforma (PPR) mais popular, o Leve Uni PPR, que tem um em cada três euros investidos neste mercado, ganhou anualmente 0,97% nos últimos cinco anos. É pouco mais do que aquilo que os investidores perderam pelo efeito da inflação.

Se não está satisfeita com o seu produto, pondere trocar de PPR.

1. Evite comissões

Três em cada cinco PPR podem cobrar uma comissão no momento da subscrição, o que quer dizer que, antes de investir, fica mais pobre.

Embora esta comissão possa atingir 40% do aforro, normalmente é muito mais baixa, à volta de 1%. A comissão de reembolso tende a ser nula se o resgate for feito nas condições previstas na lei (como na aposentação, desde que mais de cinco anos após a subscrição), mas também pode chegar a 15%.

2. Benefícios fiscais à entrada emagreceram

É possível que a dedução fiscal pelo investimento some entre 300 e 400 euros por contribuinte, se investir entre 1500 euros e 2000 euros em 2019. Todavia, como concorre com outros benefícios fiscais (despesas de educação e de saúde, por exemplo), a vantagem tende a ser muito menor.

Em 2017, a dedução fiscal foi de 151 euros, em média, por agregado familiar.

A grande vantagem fiscal dos planos de poupança-reforma está no momento do reembolso: a taxa de tributação pode ser de apenas 8%, o que, na maioria dos casos, é inferior à dos restantes instrumentos financeiros.

3. Avalie a rentabilidade potencial

Os investidores procuram normalmente PPR de capital garantido, mas esses são os que oferecem as rentabilidades potenciais de longo prazo mais baixas.

O produto mais rentável nos últimos cinco anos foi o Alves Ribeiro PPR/OICVM, que não tem capital garantido: rendeu 6,85% por ano.

Ao acumular uma rentabilidade média anual de 4,25%, o PPR de capital garantido mais rentável, o Plano Poupança Reforma da mútua PSN, ficou atrás dos três melhores PPR sem capital garantido: além do Alves Ribeiro PPR/OICVM, o NB PPR/OICVM e o PPR BiG Taxa Plus.

4. Esteja confortável com o risco

Mesmo tendo desvalorizado 3,92% em 2018, fruto da queda dos mercados acionistas, o Alves Ribeiro PPR/OICVM conseguiu que a rentabilidade média dos últimos cinco anos ficasse em 6,85%.

Antes de investir confirme que aguenta a volatilidade do PPR. No caso deste produto do Banco Invest, é preciso saber que 40% da carteira pode ser investida em ações, que são instrumentos mais voláteis mas também com maior potencial de longo prazo.

5. Procure as melhores garantias

Há mais de 40 planos de poupança-reforma que garantem o capital. Não se satisfaça com o primeiro que lhe sugerirem. Além da garantia sobre o capital investido, exija uma rentabilidade mínima para o seu dinheiro.

O Plano Poupança Reforma da PSN assegura uma taxa anual de rentabilidade garantida de 2% durante a duração do contrato. É uma das taxa mais elevadas que se podem contratar.

Últimos