Dinheiro

Cansada dos depósitos? Não ponha ainda o dinheiro no colchão

Os depósitos a prazo rendem agora muito pouco, mas há alternativas mais generosas.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Cansada dos depósitos? Não ponha ainda o dinheiro no colchão
© Getty Images/unsplash
Escrito por
David Almas
Out. 17, 2019

Quem for agora ao Banco BPI constituir um depósito para um prazo até um ano, a taxa mais elevada que consegue é de zero. A Caixa Geral de Depósitos paga mais: no máximo, 0,05% em depósitos a prazo.

O panorama bancário é uniforme: a taxa média foi de 0,12% em julho passado. Acumule noutro lado.

1. Ponha o dinheiro à ordem a render

Se quer juros elevados, mude-se para o Bankinter. O banco propõe a Conta Mais Ordenado: além de não ter custos de manutenção, inclui gratuitamente transferências bancárias e um cartão de crédito e paga a taxa de juro mais alta da banca.

A taxa anual nominal bruta (TANB) desta conta é de 5% no primeiro ano e 2% no segundo, mas apenas remunera um saldo até 5000€. É preciso ter um ordenado ou uma pensão de 800€ ou superior para ter acesso.

2. Faça a poupança nos Correios

O Banco CTT também limita o montante remunerado da Conta Poupança Livre a 5000€.

A TANB desta conta de poupança é de 1% para quem tiver um vencimento domiciliado de 250€ ou superior ou quem tiver três débitos diretos para despesas domésticas de entidades distintas. Se não preencher este requisito, a TANB desce para 0,15%.

3. Ainda nos Correios…

Neste mês de outubro, o IGCP, a entidade que gere a dívida pública portuguesa, fixou a TANB das novas subscrições em Certificados de Aforro em 0,598%. O ideal é manter os Certificados de Aforro por mais de dois anos: é partir de então que se começa a receber prémios de permanência, de, pelo menos, 0,5 pontos percentuais por ano.

Depois da subscrição nos Correios, nos Espaços Cidadão ou do AforroNet, os Certificados de Aforro só podem ser resgatados após três meses. As taxas de juro estão indexadas à Euribor a 3 meses, o que quer dizer que podem subir e descer em função do mercado monetário. O investimento mínimo é de 100 euros e a duração máxima é de 10 anos.

4. Empreste aos portugueses

Os Certificados do Tesouro Poupança Crescimento (CTPC), que também são instrumentos de dívida pública como os Certificados de Aforro, têm taxas de juro fixas e crescentes: começa por render 0,75% no primeiro ano e, no sétimo e último ano, paga 2,25%.

Adicionalmente, os investidores recebem um prémio a partir do segundo ano, em função do crescimento económico nacional. Se as previsões divulgadas pelas principais entidades nacionais e internacionais se concretizarem, a rentabilidade anual líquida dos CTPC ficará em cerca de 1,5% no final dos 7 anos.

Só é possível resgatar a aplicação em CTPC após um ano da subscrição. O investimento mínimo é de 1000€.

5. Depósitos a prazo na praça

Depois de lançar um mercado de empréstimos a empresas, a Raize avançou em maio passado para uma plataforma de depósitos a prazo. O objetivo é disponibilizar num único sítio os melhores depósitos a prazo do mercado.

Há, agora, TANB até 1,1%. A Raize garante que, depois do vencimento dos depósitos constituídos através da sua plataforma, as contas bancárias são encerradas após três meses, sem custos e de forma automática.

Últimos