Nutrição

Alimentação saudável: as mulheres que nos inspiram a ter uma vida melhor

Têm muito cuidado com aquilo que comem e da forma como comem pois sabem que isso lhes traz muito mais saúde. São mulheres que estão no trono da alimentação saudável e nós mostramo-las a seguir.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Alimentação saudável: as mulheres que a inspiram a ter uma vida melhor
Escrito por
Sara Chaves
Jan. 03, 2017

Se num inquérito feito a estas mulheres estivesse a pergunta: “como é que consegue manter a qualidade de vida?” apostamos que a resposta seria unânime: “graças à alimentação saudável”.

Donas de uma vida como a nossa, com trabalho, filhos e outras responsabilidades, estas mulheres fazem questão de analisar muito bem aquilo que comem. Apostam nos alimentos certos e com o máximo de nutrientes, recusam-se a comer produtos que façam mal à saúde e seguem dietas e tipos de alimentação de acordo com aquilo em que acreditam. No final? No final ficamos todas a ganhar – elas e nós que as seguimos como inspirações.

Siga estas mulheres e consiga ter uma alimentação saudável

Ella Woodward

Aos 19 anos, a britânica deixou de conseguir manter-se em pé, só queria dormir e tinha um mau estar sufocante. Depois de quatro meses de exames, os médicos diagnosticaram uma doença rara: síndrome de taquicardia postural. Foi aí que Ella começou a pesquisar na internet e encontrou o testemunho de Kris Karr, a autora de Crazy Sexy Diet que conta em livro como mudou radicalmente a forma de comer quando lhe fora diagnosticado cancro. o testemunho incentivou Ella a fazer o mesmo (já que até então não comia fruta nem legumes e as pizzas estavam sempre em primeiro lugar nas opções).

Deixou de comer açúcar, carne, produtos lácteos, alimentos processados, com químicos e aditivos e glúten. Passados 18 meses, e depois de ter aprendido as técnicas de cozinha que também desconhecia, a britânica deixou a medicação e começou a sentir-se muito melhor. Diz que a dieta a salvou e é isso que conta desde aí no seu blogure Deliciously Ella com milhões de visitas por mês. Entretanto também lançou um livro com o mesmo nome, editado em Portugal. Hoje, Ella não se assume como curada, mas admite que a alimentação saudável têm-na ajudado muito a viver com melhor qualidade de vida.

Anna Jones

Na nossa rubrica sobre as Rainhas da Alimentação Saudável destacámos Anna Jones e não poderíamos deixar de a referir aqui. Trabalhou durante sete anos com Jamie Oliver o que a ajudou, claro, a saber muito sobre cozinha. Foi ainda a partilhar cozinha com um dos chefe mais conceituados do mundo que Anna se tornou vegetariana. Fê-lo porque se sentia fatigada e queria apostar numa alimentação à base de vegetais. Aí tudo mudou: o cabelo ficou mais brilhante, a pele mais luminosa e o peso atingiu o seu equilíbrio, disse-nos em entrevista.

Hoje é considerada por muitos a rainha dos vegetais, tem um blogue de culinária e já escreveu dois livros: A Modern Way to Eat e A Modern Way to Cook.

Amelia Freer

Não acredita em dietas. Opta antes por uma alimentação saudável e equilibrada. Autora do livro Comer.Nutrir.Brilhar. a terapeuta nutricional recomenda comida verdadeira em quantidades sensatas. Em entrevista à Saber Viver, Amelia Freer mostrou-nos a sua dispensa ideal: “organizada e bem fornecida de produtos naturais em frascos de vidro, para que possa ver o que está a acabar (e sem plásticos!) e, claro, livre de alimentos processados, açucares refinados e produtos com glúten.” No seu blogue pode acompanhar diariamente as dicas da terapeuta que diz que o exercício físico é fundamental para nos sentirmos bem. Concordamos em pleno!

View this post on Instagram

I don't usually post about myself but since so many of you are asking…7 months. Such a rollercoaster. I'm feeling the best I've felt in months and really enjoying it now. Looking forward to September! Many of you are asking me about how I've been eating during pregnancy or how you should eat. I've been hesitant to write about it as I'm not sure how helpful it is. There are very clear guidelines about what to avoid during pregnancy and obviously I advocate eating as best you can.. I stick to my "real food" guideline as much as possible but there have been days when I couldn't face cooking or eating and a packet of salt & vinegar crisps was all I wanted! Nothing wrong with this! It's such a challenging time, I don't think having guilt or anxiety around food is necessary or beneficial at any time but even less so when going through all that pregnancy brings. Someone told me I "must drink smoothies everyday" when I was feeling so sick and it just annoyed and frustrated me. Now that I am feeling better I have been able to engage with food again and I'm thinking about what I can give me & my little one such as healthy fats, pre and probiotics and lots of fresh veggies. I've added in kimchi, sauerkraut, kefir, onions, garlic, artichokes & greens all to help my gut thrive and hopefully some of it will make its way to my baby. For a long time I craved fresh fruit and ate far more than I'd advise but now I'm watching my sugar intake carefully. I snack during the day. @deliciouslyella ginger balls were a saviour, nuts & fruit, carrots & houmous, apple slices & peanut butter are all regulars. For ages I didn't want smoothies and now I'm craving them so making raspberry, avocado, cashew & spinach ones a lot. For me, every day has been different and I've just gone with it! I can write you a whole load of guidelines for nutrition in pregnancy for sure but honestly, I'd say do your best, use my books for some inspiration or recipes if you need, but above all, listen to your body and please don't focus on weight loss during pregnancy. There is a section in the back of my most recent book about how to adapt the pyramid and 10 day plan for eating in pregnancy should you need. X

A post shared by Amelia Freer (@ameliafreer) on

Marta Horta Varatojo

Já antes tínhamos falado nela, na rubrica Rainhas da Alimentação Saudável. Autora do blogue My Macroexotic World e de O Livro de Cozinha da Marta, defende a cozinha macrobiótica. Porquê? “Comemos aquilo que se considera ser biologicamente mais compatível com o ser humano, sendo que a base da alimentação são os cereais integrais, leguminosas e vegetais. Deve ter-se em conta o enquadramento geográfico e climático, assim como o estilo de vida e condição de saúde de cada um”, disse-nos em entrevista. Desde 2009 que dá aulas particulares de cozinha e hoje a sua missão é tornar a macrobiótica apelava e acessível a todos e “despertar a curiosidade nas pessoas para uma alimentação e estilo de vida mais conscientes”.

Quais são as mulheres que praticam uma alimentação saudável que mais a inspiram? Veja ainda as mulheres que nos inspiram no mundo fit.

Últimos