© Shutterstock

Turismo sustentável: como pôr em prática em 9 dicas

Num mundo cada vez mais preocupado com o meio ambiente, o turismo sustentável chega como resposta para os amantes de viagens que pretendem fazê-lo com consciência, preservando o planeta Terra. Saiba como dar o próximo passo e diminuir, assim, a sua pegada ecológica.

Com vista a promover um futuro mais sustentável para as próximas gerações, as preocupações ambientais têm vindo a crescer a nível global. Veja-se o exemplo da ativista sueca de apenas 16 anos, Greta Thunberg, cuja perseverança e convicção convenceu estudantes de todo o mundo a unirem-se numa só voz pelo futuro da mãe natureza, naquela que foi uma das greves climáticas com mais expressão dos últimos anos.

Certo é que, dos vários fatores que prejudicam o meio ambiente, o turismo contribui significativamente para o aumento das emissões de gases que provocam o efeito de estufa, assim como do consumo de plástico descartável e exploração dos recursos hídricos, entre outros.

É por isso urgente consciencializar os viajantes para o turismo sustentável – em prol do planeta Terra, da preservação da biodiversidade de espécies e pelo futuro das próximas gerações.

Mas o que é o turismo sustentável?

Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), é o “turismo que se responsabiliza pelo seu impacto económico, social e ambiental, agora e no futuro, tendo em conta as necessidades dos visitantes, da indústria, do meio ambiente e das comunidades anfitriãs.”

Turismo sustentável é aquele que salvaguarda a natureza e os recursos naturais de um local ao mesmo tempo que satisfaz as necessidades de quem o visita. Ou seja, do ponto de vista do turista, é causar um impacto positivo a nível ambiental, económico e na sociedade, no local que visita.

Para pôr o turismo sustentável em prática é importante ser um viajante consciente. Para tal deve começar pelas pequenas coisas que podem diminuir a sua pegada ecológica (consequências das atividades humanas no meio ambiente – quanto maior a pegada, mais são os danos causados no meio ambiente) e o impacto negativo do turismo no planeta. Por exemplo, não desperdice, não interfira com a flora e fauna local, racionalize o consumo de água, não deite lixo na natureza, entre outras medidas.

De mãos dadas com o planeta Terra

É possível viajar sem prejudicar o planeta Terra? Não a 100%, mas há várias medidas sustentáveis a ter em conta que contribuem para ajudar o nosso planeta.

A propósito da 70ª Assembleia Geral das Nações Unidas, o Secretário Geral da OMT, Taleb Rifai, revelou que “em 1950 havia 24 milhões de turistas internacionais, em 2016 ultrapassámos os 1,2 mil milhões e, de acordo com a previsão da OMT, em 2030 teremos alcançado os 1,8 mil milhões. Com o crescimento vem a responsabilidade. E é necessário que todo o setor adote práticas sustentáveis, incluindo os próprios viajantes.”

A consciencialização ambiental é uma prioridade, e cada ser individual pode e deve fazê-lo. Como afirmou Rifai, “seremos todos pessoas melhores se honrarmos as pessoas e o planeta enquanto viajamos.”

9 dicas para viajar de forma mais sustentável

Siga este guia para um viajante ecológico, sem prejudicar o meio ambiente e as comunidades locais.

1. Viaje de forma mais ecológica possível

O avião é um meio de transporte muito poluente, mas sabemos que sem este as viagens se tornam muito demoradas, aspeto incomportável para quem tem um tempo limitado para viajar. No entanto, já existem várias companhias aéreas que têm programas de compensação de emissões de CO2. A TAP é uma delas.

Uma vez no destino, viaje sempre que possível por terra e em transportes públicos, como autocarro e comboio. Estará, não só, a ser amiga do ambiente, como também conhecerá melhor o país ou região em questão. Sempre que conseguir, ande a pé ou de bicicleta.

2. Reduza o desperdício

Use sacos reutilizáveis quando vai às compras, leve uma garrafa de água (de aço inoxidável) para ir enchendo sempre que puder beber água da torneira ou filtrada.

Recicle sempre que possível. Não é por não estar em casa que deve esquecer a regra dos 3 R (Reduzir, Reutilizar e Reciclar). Os hábitos bons são para manter sempre em viagem.

3. Leve pouca bagagem

Quanto mais pesada for a sua mala ou mochila, mais combustível gastarão os meios de transporte.

4. Respeite os animais

Em alguns países, os animais são uma atração turística, mas muitos deles sofrem maus-tratos só para que os turistas tenham uma experiência inesquecível. A WWF e a Nature Conservancy são entidades que certificam organizações para excursões com o menor impacto para os recursos naturais (fauna e flora). Tenha atenção às certificações.

5. Apoie a economia local

Compre artesanato e não produtos feitos em massa, e não adquira nada de origem animal, como peles ou dentes. Dê preferências aos negócios locais, desde lojas, hotéis, agências de viagem e restaurantes.

Nos países com condições socioeconómicas mais desfavorecidas, pode ainda procurar uma associação para fazer doações.

6. Respeite o local e a comunidade

Defenda a natureza, não traga qualquer lembrança que pode colocar o ecossistema em risco e não deite lixo para o chão. Tente saber mais sobre as tradições e respeite-as.

Se viajar com um guia local, será mais fácil conhecer a cultura. Seja educada com toda a gente e não tire fotografias à revelia das pessoas, peça primeiro.

7. Escolha um eco hotel

Hoje em dia já existem muitas opções, mesmo em zonas urbanas. Procure alojamentos que usem energias renováveis, que recorram à água reciclada para as casas de banho e tenham sistema de poupança de energia, só para dar alguns exemplos de sustentabilidade na hotelaria.

Qualquer que seja o hotel escolhido, não peça para lhe trocarem as toalhas e os lençóis diariamente. Poupe o ambiente.

8. Opte pelos bilhetes eletrónicos em vez de os imprimir em papel

Isto é válido não só para os bilhetes de transportes, mas também para as reservas de hotéis, entradas em museus e espetáculos, entre outros. Há aplicações onde pode guardar os documentos.

9. Passe o maior tempo possível nos locais que vai visitar

Sabemos que o tempo disponível nem sempre é muito, mas se fizer uma slow travel, não vai fazer tantas deslocações num curto espaço de tempo. E ficará a conhecer melhor o local visitado, bem como os costumes das populações.

Fontes: Organização Mundial do Turismo; National Geographic; Sustainable Tourism;

Se a sustentabilidade é uma preocupação constante, descubra as nossas sugestões para um piquenique sustentável.

A versão original deste artigo foi publicada na revista Saber Viver nº 226, abril de 2019.
Mais sobre ecologia , férias

Comentários

Turismo sustentável: como pôr em prática em 9 dicas

Os comentários podem ser editados por questões de clareza e para permitir respostas mais gerais.