Horóscopo

Lua nova em Virgem. Organizar a despensa

A lua nova acontece todos os meses quando a Lua se encontra com o Sol num determinado signo. Este começo de ciclo é o momento de semear o que queremos ver crescer nas próximas semanas.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Lua nova em Virgem. Organizar a despensa
Bárbara Bonvalot, astróloga
Escrito por
Set. 17, 2020

Na lunação anterior o nosso entusiasmo tropeçou em contrariedades e bloqueios que despertaram pequenas irritações, raivinhas ou até mesmo grandes frustrações.

Em algumas situações assumimos abertamente o confronto e marcámos a nossa posição, noutras não tivemos outra escolha senão conformarmo-nos com a indesejada realidade.

No próximo dia 17, o encontro da Lua com o Sol no signo de Virgem aponta o início deste mês lunar.

Virgem é terra mutável e o seu objectivo maior é o aperfeiçoamento da matéria. O seu sentido crítico, a sua atenção aos detalhes e sua busca pela eficiência podem ajudar-nos a organizar e a simplificar a vida ou, de forma menos produtiva, podem complicar tudo e criar um labirinto de caos.

À medida que o Sol vem fazendo o seu caminho pelo signo de Virgem, desde o dia 22 do mês passado, nós também vamos tacteando esta nova paisagem à procura de previsibilidade, de algo conhecido e familiar.

Mas a nossa frustração cresce com cada sinal de que nada vai voltar ao “normal” e a cada indício de que a confusão e a incerteza continuam na ordem do dia.

Com Marte retrógrado a nossa capacidade de afirmação, o nosso impulso de seguir em frente e a nossa coragem para enfrentar batalhas ficam virados do avesso
Bárbara Bonvalot Bárbara Bonvalot

Este mês dá continuidade ao tema da frustração, dos bloqueios e da insatisfação que já conhecemos da lunação anterior, simbolizado pela tensão entre o impetuoso Marte em Carneiro e intransigente Saturno em Capricórnio.

Mas agora o nosso ponto de vista muda. Já não é a ousadia e a coragem de Marte que nos anima. Nesta lua nova o nosso suporte está na solidez e na segurança de Saturno.

Na semana passada, quase a chegar ao fim do seu percurso por Carneiro, Marte travou a fundo e começou a sua marcha atrás. Isto quer dizer que a briga dele com os planetas em Capricórnio (Júpiter, Saturno e Plutão) já presente na lua nova anterior, está apenas a começar.

Com Marte retrógrado a nossa capacidade de afirmação, o nosso impulso de seguir em frente e a nossa coragem para enfrentar batalhas ficam virados do avesso. Afinal corro em direcção a quê? Será que quero aquilo que penso que quero?

Lua e Sol aperfeiçoam o trígono com Saturno, o senhor dos limites e das regras, e isso faz-nos olhar para as coisas sem a empolgação e o entusiasmo do mês passado, mas de forma mais realista e objectiva.

Talvez não precisemos de deitar abaixo todas as estruturas. Talvez seja mais inteligente e até eficiente fazer primeiro um trabalho de reconhecimento daquilo que funciona, daquilo que, apesar de tudo, neste momento ainda nos sustenta.

Depois de tantos meses a inventar novas soluções para a vida, estamos longe de ter os nossos níveis de energia no seu pico e precisamos fazer uma gestão cada vez mais eficaz das nossas reservas
Bárbara Bonvalot Bárbara Bonvalot

Virgem é território de Mercúrio, a mente que procura respostas para tudo. Este adianta-se ao Sol e está já em Balança, de onde vai fazer quadraturas aos planetas em Capricórnio.

O primeiro que encontra é Júpiter que está desconfortável naquele signo, pois fica com a sua generosidade comprometida e mais sóbrio do que lhe é habitual.

Ainda assim, Júpiter cumpre o seu papel de benéfico e este encontro serve-nos como uma espécie de aviso sobre o que podemos esperar a seguir.

Nos próximos dias, primeiro Mercúrio e depois Marte vão apertar as suas quadraturas a Plutão e a Saturno e nós também vamos sentir esse aperto de forma mais ou menos pessoal, dependendo do nosso mapa natal.

Por um lado queremos preservar a nossa individualidade e não queremos que ninguém nos diga o que fazer. Por outro estamos dispostas a ceder, a negociar e a fazer compromissos desde que isso nos devolva algum sentido de normalidade.

Mas a verdade é que nenhum dos caminhos nos leva de volta à segurança e à previsibilidade que um dia conhecemos. As limitações impostas à nossa vida quotidiana são reais e não vão desaparecer tão depressa.

Este mês lunar pode pôr na sua lista de tarefas “organizar a despensa”, tanto a nível prático como emocional.

Como é que pode simplificar as suas tarefas de modo a aliviar um pouco as suas responsabilidades? Até que ponto a sua disponibilidade para com os outros interfere com a sua rotina? Será que pode facilitar certos aspectos da sua vida apenas pedindo ajuda?

Depois de tantos meses a inventar novas soluções para a vida, estamos longe de ter os nossos níveis de energia no seu pico e precisamos fazer uma gestão cada vez mais eficaz das nossas reservas. Vamos precisar delas para os meses que se avizinham.

Bárbara Bonvalot começou a estudar Astrologia em 2005 e inicia o seu percurso como astróloga profissional em 2009. Actualmente é consultora e formadora de Astrologia, membro da AFAN (Association for Astrological Networking) e da ASPAS (Associação Portuguesa de Astrologia). Entende a Astrologia como uma linguagem que nos leva a um conhecimento profundo de nós mesmos, dos outros e da própria vida.

*artigo escrito ao abrigo do antigo acordo ortográfico.

Últimos