Carreira

6 truques de linguagem corporal para usar numa entrevista de emprego

A linguagem corporal pode dizer muito sobre si. Pode até ser perigosa, caso o seu discurso verbal não esteja em conformidade com os seus gestos e expressões. Fique a conhecer 6 regras que vão fazer com que não cometa nenhum deslize.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
linguagem corporal numa entrevista de emprego
Vanessa Pina Santos
Escrito por
Vanessa Pina Santos
Jul. 07, 2019

A linguagem corporal é um dos nossos principais cartões de visita. Os gestos, as expressões faciais e a postura corporal formam um conjunto poderoso quando pretendemos transmitir uma ideia. Por vezes, este conjunto é capaz de transparecer muito mais do que as nossas próprias palavras, ou, na pior das hipóteses, também pode transmitir o que não queremos dizer.

Numa entrevista de emprego, a comunicação não-verbal tem ainda mais importância, pois pode ser o que vai determinar – ou não – o sucesso da mesma. E, também, porque não temos uma segunda oportunidade para causar boa impressão.

O problema surge quando não temos consciência da nossa linguagem corporal. Por exemplo, uma mandíbula contraída simboliza stresse e uma má postura pode transparecer fraqueza.

Um estudo, da Universidade da Califórnia – Los Angeles, veio mostrar que apenas 7% da comunicação é refletida em palavras, 38% no tom de voz e 55% em linguagem corporal. Por isso, não se foque apenas a preparar a entrevista de emprego, mas também na sua linguagem corporal. Sim, porque é possível treiná-la.

Para que cause uma boa impressão na sua entrevista de emprego, reunimos 6 regras de comunicação não-verbal do livro Linguagem Corporal (Pergaminho, 2017), de Allan e Barbara Pease.

6 regras de linguagem corporal a ter em conta numa entrevista de emprego

1. Entre sem hesitar

Depois do típico compasso de espera, entre sem hesitar para a entrevista. “Quando atravessar a porta do gabinete da pessoa, faça-o a uma velocidade uniforme. As pessoas com falta de confiança mudam de velocidade e arrastam um pouco os pés quando entram”, lê-se no livro Linguagem Corporal.

2. Tenha uma abordagem confiante

Logo quando entra, deve pousar o que tem nas mãos, apertar a mão do entrevistador e sentar-se de imediato.

Depois de já estar na sala da entrevista, pode acontecer que o entrevistador esteja ocupado com algo, como por exemplo, estar ao telemóvel ou a terminar outra tarefa qualquer. Caso esta situação aconteça, não deve transmitir a ideia de que tem imenso tempo e que pode esperar.

“As pessoas que caminham de forma lenta ou dão passos longos transmitem a ideia de dispor de imenso tempo, de não terem grande interesse naquilo que estão a fazer ou de não terem mais nada que fazer”, lê-se no livro Linguagem Corporal.

As pessoas frias, calmas, seguras de si e que controlam as suas emoções utilizam gestos claros, simples e deliberados

3. Aperto de mão: devolva a mesma força que receber

Além de devolver o aperto de mão com a mesma força, também deve deixar ao critério da outra pessoa quando termina o aperto de mão. E, não se esqueça: “nunca dê um aperto de mão por cima de uma secretária”, escrevem Allan e Barbara Pease no livro Linguagem Corporal.

4. Tenha atenção em como se senta

“Se for obrigado a sentar-se numa cadeira baixa diretamente em frente de outra pessoa, rode 45 graus relativamente a ela, para evitar deixar-se apanhar na posição de ‘reprimenda’”, lê-se no livro Linguagem Corporal.

Caso tenha de se sentar num local mais informal, como por exemplo num sofá baixo, onde corra o risco de se afundar, coloque-se direita na borda do sofá de forma a que consiga controlar os seus gestos.

5. Utilize gestos claros e simples

“As pessoas frias, calmas, seguras de si e que controlam as suas emoções utilizam gestos claros, simples e deliberados”, lê-se no livro Linguagem Corporal. Tenha especial atenção com quem conversa e espelhe os gestos e as expressões dessa pessoa quando isso for apropriado.

6. Respeite o espaço pessoal do entrevistador

O espaço pessoal é algo muito importante, que deve ser respeitado. Caso se aproxime demasiado, vai causar desconforto e “a pessoa responderá recostando-se na cadeira, inclinando o corpo para longe de si ou utilizando gestos repetitivos (…)”, lê-se no livro Linguagem Corporal.

Se respeitar o espaço pessoal, será desde logo mais valorizada.

Fontes: Estudo sobre linguagem corporal  

Quer progredir na carreira? Tem de ler estes livros. 

Últimos

O que fazer no fim de semana de 18 a 20 de outubro
Cultura
O que fazer no fim de semana de 18 a 20 de outubro
Cansada dos depósitos? Não ponha ainda o dinheiro no colchão
Dinheiro
Cansada dos depósitos? Não ponha ainda o dinheiro no colchão
Acha que sabe distinguir cosméticos naturais dos restantes?
Beleza
Acha que sabe distinguir cosméticos naturais dos restantes?
Dormir a sesta não é sinal de preguiça, é bom para o coração
Saúde
Dormir a sesta não é sinal de preguiça, é bom para o coração
Pão de castanhas: uma sugestão deliciosa e nutritiva
Receitas
Pão de castanhas: uma sugestão deliciosa e nutritiva
19 bandoletes para palmilhar as ruas com o acessório da estação
Moda
19 bandoletes para palmilhar as ruas com o acessório da estação
Como reduzir manchas e ter uma pele luminosa em três passos
Beleza
Como reduzir manchas e ter uma pele luminosa em três passos
Seremos realmente livres de deixar crescer os nossos pelos?
Beleza
Seremos realmente livres de deixar crescer os nossos pelos?
Em busca de inspiração? Encontre-a nestes 12 documentários sobre mulheres
Cultura
Em busca de inspiração? Encontre-a nestes 12 documentários sobre mulheres
Experimente estes jogos de sexo e quebre a monotonia da relação
Sexo
Experimente estes jogos de sexo e quebre a monotonia da relação
Síndrome pré-menstrual: tem estes sintomas?
Saúde
Síndrome pré-menstrual: tem estes sintomas?
27 frases de empoderamento feminino para se inspirar todos os dias
Sociedade
27 frases de empoderamento feminino para se inspirar todos os dias