Bem-estar

Crónica: Yoga. Por onde começar?

Antes de verbalizares o teu primeiro “OM” ou “Namastê”, procura perceber qual o tipo de yoga que é o mais adequado para ti, em função da tua personalidade e dos teus objetivos.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Crónica: Yoga. Por onde começar?
© Getty Images
Jean-Pierre de Oliveira, cronista
Escrito por
Jean-Pierre de Oliveira, cronista
Out. 15, 2019

Antes de te “atirares” de corpo e alma a uma aula de yoga (ou ioga, em português), responde com honestidade a estas perguntas para definires que tipo de aula escolher e assim evitar desconfortos e sensações de desajuste:

Gosto de atividade física?
Preciso de trabalhar o foco e a concentração?
Preciso de relaxar?
Preciso de ganhar força e flexibilidade?
Quero perder peso e/ou tonificar?
Quero desenvolver o meu lado espiritual?
Quero um pouco disto tudo?

Todos os motivos são válidos para começar

Quer seja para manter a mente concentrada, para manter a forma física, para fins terapêuticos ou para criar disciplina física/mental, todos os motivos são válidos quando se chega à conclusão de que algo deve mudar!

Quando estamos decididos a subir um degrau no nosso nível de bem-estar, queremos agarrar o “touro pelos cornos” e começamos sempre pelo mais óbvio e visível… a nossa aparência!

É então que decidimos mudar o estado das coisas e nos atiramos de cabeça para práticas ou atividades que prometem resultados rápidos em prazos reduzidos. Tem em consideração que com yoga o processo poderá ser um pouco mais demorado

É muito importante sentires empatia com o professor e com o local onde são feitas as aulas.
Jean-Pierre de Oliveira Jean-Pierre de Oliveira

Conhecimentos básicos

É importante esclarecer que o yoga é uma metodologia desenhada para equilibrar o sistema emocional e que utiliza ferramentas próprias para alcançar este objetivo. A ferramenta mais conhecida e divulgada no Ocidente é o Hatha Yoga (que abrange vários estilos, sendo os mais conhecidos o Ashtanga e o Iyengar).

As aulas de Hatha Yoga envolvem uma prática física e, consoante o estilo e o professor, poderão ser mais suaves ou mais intensas. Contudo, o estilo mais convencional é o Vinyasa flow, constituído por sequências de posturas dinâmicas.

postura yoga, jean-pierre

© D.R.

Antes de te comprometeres…

Às vezes, o que está mais à mão de semear pode não ser o mais ajustado para aquilo que procuras, ficando longe de corresponder às tuas expectativas… Informa-te primeiro sobre o tipo de yoga proposto. Existe uma multitude de tipos de yoga e será melhor que recolhas informações para saber um pouco mais sobre as técnicas usadas pelo professor.

Cada professor pode ter um estilo muito próprio, independentemente das técnicas ou do estilo que utiliza. É muito importante sentires empatia com o professor e com o local onde são feitas as aulas. Evita o desconforto e eventuais sensações de desajuste: fala sempre com o professor antes da aula.

No dia da tua primeira aula…

• Chegar atempadamente: se for a primeira vez, tenta chegar 15 minutos antes para trocar algumas informações com o professor, preencher algum questionário, mudar de roupa e escolher o teu lugar.

• Comer/beber: é melhor fazer a digestão das refeições ou lanches antes de vir para a aula. Depois de uma refeição, aguarda duas horas antes de praticar yoga. Se for um lanche ligeiro, basta uma hora. Pode ser necessário beber água durante a prática. Mas terás melhores benefícios se te hidratares antes.

• O que vestir: traz roupa confortável e ajustável. Escolhe roupas adequadas para a transpiração, movimento e torção e, também, para estar deitado, inclinado e, às vezes, de cabeça para baixo.

• O que trazer: traz uma toalha e água. Se necessário, traz também um elástico para prender o cabelo.

O yoga não é uma competição e não se trata de atingir a perfeição
Jean-Pierre de Oliveira Jean-Pierre de Oliveira

• O que evitar: usar perfumes, desodorizantes, óleos essenciais ou colónias fortes. Assegura-te que as tuas roupas e o teu corpo estão livres de odores para manter o espaço harmonioso para todos.

• Calçado: descalça os sapatos e as meias antes de entrar na sala de prática, e coloca-os nos espaços adequados para o efeito.

• Equipamentos eletrónicos: assegura-te que o telemóvel está desligado. Caso necessites manter o equipamento perto de ti, coloca-o no modo silencioso e informa o professor.

• Comunicação aluno/professor: se tiveres alguma lesão, limitação ou preocupação, informa o professor antes do começo da aula, de forma a garantir uma prática adequada ao teu caso.

• Entrada no estúdio: depois de entrar na sala, tenta manter o silêncio ao esticar o teu tapete e arruma os acessórios técnicos, se os houver (blocos, cobertores, etc).

• Posicionar o tapete:  na tua primeira aula coloca o tapete na segunda fila para que acompanhes a aula mais facilmente, mantendo os alunos mais experientes no teu campo de visão. Coloca os teus pertences e a garrafa de água perto do tapete, para mantê-los à mão, mas sem que atrapalhem o teu caminho.

• Abrir espaço para os outros: quando chega um colega que não encontra espaço imediato disponível para o seu tapete, ajusta o teu tapete para ajudar a criar espaço.

• Tapetes de outras pessoas: para algumas pessoas, o tapete de yoga é um “espaço sagrado” pelo que, na medida do possível, evita pisar os tapetes de outras pessoas.

O mais difícil será sempre passar a porta do estúdio de yoga, pois o Google já nos disse que do outro lado da porta só iremos encontrar pessoas com corpo de atleta. Mas, no fundo, o processo é o mesmo para todos: o primeiro passo é sempre o mais difícil!

Se decidires que algo deve mudar e que esta determinação consegue superar os teus medos interiores, então não há outro caminho senão seguir em frente, apesar de saberes que poderá ser duro! Este é provavelmente um dos ensinamentos mais importantes: cultivar a força de vontade.

Lembra-te: O yoga não é uma competição e não se trata de atingir a perfeição. Usa a tua prática como uma oportunidade para conectar a tua mente com o teu corpo. Usa o yoga para te aceitares e para trabalhar a tua autoestima de forma progressiva e consistente.

Jean-Pierre de Oliveira é professor de yoga, autor e um earth activist. A sua inspiradora abordagem ao yoga adapta esta sabedoria antiga à vida dos ioguis modernos como um estilo de vida além das aulas. É conhecido pelo seu estilo genuíno de ensino e instrução técnica profissional reconhecida que o tem levado a participar em diversos eventos.

Últimos