A nova tendência das creches para cães

Nas creches para cães, o serviço é idêntico ao de um infantário para crianças. Os donos deixam os animais de estimação de manhã e vão buscá-los ao final da tarde. Convive com outros animais, melhorando o seu comportamento e socialização.

Bastaram cinco minutos no sofá para que Maria Teresa adormecesse até ao dia seguinte. Não costumava ser assim. A bulldog francês fazia questão de todos os dias dar saltos perto da mesa de jantar para ver se lhe calhava alguma coisa. Naquele dia estava diferente e, se conseguisse falar, teria dito apenas: “estou exausta”. Não era para menos. Tinha acabado de passar 12 horas numa das creches para cães que abriram em Portugal, a Love Pets.

É a primeira a chegar, mas não demora muito até que outros cães se juntem à festa. Durante todo o dia (a creche funciona entre as 8h00 e as 20h00), os patudos pouco param para dormir – isso deixam para a noite, assim que chegam a casa. Na creche correm atrás uns dos outros, aprendem as regras básicas de obediência (Maria Teresa, em três dias, aprendeu a sentar-se, a ladrar menos e a ser mais autónoma nas brincadeiras, por exemplo), dão passeios e brincam no terraço com os muitos brinquedos disponíveis. Além disso, a higiene também é cuidada nesta creche para cães.

Creche para cães: as regras a seguir

A tendência das creches para cães é já muito conhecida lá fora, mas só agora começou a marcar presença em Portugal. A importância destes espaços é grande. Os animais domésticos passam muito tempo sozinhos em casa enquanto os donos estão a trabalhar. Esta é uma boa forma de estarem com outros cães, divertirem-se, fazerem atividades físicas e aprenderem a comportar-se.

Também em Lisboa, mais precisamente em Mem Martins, existe o Cãopreensão, um atelier (como lhe chamam) que funciona como creche. Neste espaço, tal como na Love Pets, o dia é repleto de atividades lúdicas, jogos e atividades físicas que tornam os cães muito mais felizes.

O termo creche está mais associado a crianças. Há muitas pessoas que não concordam e/ou não gostam de comparações. O certo é que esta nova tendência vem ao encontro das necessidades dos donos de animais. Quem os tem sabe que não é fácil deixar um animal sozinho fechado em casa.

Outra das questões que é levantada com esta nova tendência das creches para cães é “como é que os cães estão todos juntos sem haver discussões?” A resposta é simples. É importante que haja o bom senso por parte dos donos de perceberem e admitirem se o seu animal de estimação dá-se facilmente com outros cães. Este deve ser sempre o ponto de partida. A partir daí é tudo uma questão de experimentação. No caso da Love Pets, Maria João Luís, a proprietária, está sempre em contacto com os donos. Várias vezes por dia dá-lhes feedback de como os animais se estão a portar, se comeram ou não. Além disso, depois de assinado um termo de responsabilidade e autorização, são publicados vários vídeos na página oficial de Facebook, para os donos acompanhem o dia a dia do patudo. O mesmo acontece no Cãopreensão.

Como funcionam (e quanto custam) as creches para cães?

Segundo o site O Dono Cuida, as creches para cães funcionam durante o horário laboral dos donos. Não são um hotel para cães. Abrem por volta das 8 da manhã e fecham entre as 18h00 e as 20h00. Normalmente estas creches só estão abertas de segunda a sexta-feira, desde que não sejam feriados.

Na maioria dos casos, o valor mensal (os preços variam entre os 200 e os 300€ mensais) inclui o transporte dos animais. Este serviço acaba por facilitar muito a vida dos donos.

O que acha da nova tendência das creches para cães?

Mais sobre animais

Comentários

A nova tendência das creches para cães

Os comentários podem ser editados por questões de clareza e para permitir respostas mais gerais.

  1. paula diz:

    mas que grande boa ideia !!!! moro em setúbal, e não sabia que a LOVEPETS tinha este serviço… já não tenho que deixar a minha kikas sozinha… vou contactar amanhã !!!

  2. Ana rodrigues diz:

    Como é que se faz uma reportagem sobre creche canina e não se menciona aquela será a melhor maior empresa do sector: Equipa Tiago Patel.

    Os meus cães adoram, têm verdadeiro espaço, muita experiência em comportamento e posso visitar sempre que quiser.

    Parece bastante tendencioso!

  3. Cristina diz:

    Existe também o recreio canino… muito bom http://www.recreiocanino.com/

  4. Cândida diz:

    Felizmente que começa a haver a consciência de que os nossos animais de estimação são nossos companheiros e não propriedade nossa. Têm deveres mas também têm direitos.
    As maiores felicidades para os companheiros de 2 e 4 patas, e para os trabalhadores das creches.

  5. ana diz:

    WTF??! os donos não têm onde gastar dinheiro seguramente

  6. Rosa Fonseca diz:

    Parabéns a todos que, em Portugal, tiveram esta ideia fabulosa. Os nossos patudos merecem tudo. Quanto à leitora que pergunta se não têm onde gastar o dinheiro, cada um gasta o que tem onde lhe apetece. Eu, acho horrível que se gaste uma fortuna nuns sapatos só porque começam com “L” e têm a sola vermelha, mas se as pessoas gostam, e têm dinheiro para o fazer, quem sou eu para criticar?
    Votos de muito sucesso, e que abram muitas mais pet-creches para os nossos amigos.

  7. Vasco diz:

    Aqui está uma boa ideia agora que estamos no tempo das vacas voadoras ver também o dinheiro que possivelmente até virá de um crédito também de novo a entrarem em forte atividade criarem agora umas creches para os cãezinhos das senhoras, já agora arranjem também umas para o passarinho, para que fique bem protegido enquanto andam a passear.