Bem-estar

Praticar exercício físico (q.b.) melhora a saúde mental, conclui estudo

Há mais um bom motivo para não faltarmos ao ginásio. Além de contribuirmos para a nossa saúde física, estamos também a trabalhar para uma mente mais sã. Mas atenção ao tempo das aulas!

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
aula de fitness com pesos
Carolina de Almeida
Escrito por
Carolina de Almeida
Ago. 10, 2018

Já lemos inúmeras vezes sobre os benefícios da prática de exercício físico em termos cardiovasculares, para reduzir o risco de diabetes, entre outras doenças. Mas um novo estudo dá agora provas do bem que os treinos podem fazer à nossa saúde mental.

A prática regular de exercício físico pode melhorar a nossa saúde mental, diminuindo o número de dias por mês que nos sentimos deprimidas. É este o resultado de um dos maiores estudos na matéria realizado nos EUA e publicado na revista The Lancet Psychiatry.

A pesquisa utilizou os dados de 1,2 milhões de participantes adultos daquele país, que classificaram sua saúde mental nos últimos 30 dias. Para tal tiveram em conta sinais como stresse, depressão e problemas emocionais. E ainda qual a frequência da prática de exercício no último mês.

Os resultados confirmaram que os participantes mais ativos registaram ter menos 1,5 dias (-43,2%) com níveis de saúde mental reduzido, em comparação com aqueles que não praticaram exercício físico.

Do total dos 75 tipos de exercícios analisados, todos se associaram a uma melhoria da saúde mental. No entanto, destacaram-se os desportos coletivos, o ciclismo, os exercícios aeróbicos e as atividades de ginásio.

Afinal, quanto tempo devemos praticar exercício?

O que a investigação também sugere é que nem sempre praticar muito exercício físico é melhor. Na verdade, o período mais benéfico é de 45 minutos, numa frequência de 3 a 5 vezes por semana.

Ainda não há muito tempo demos conta da relação entre o stresse e a prática de exercício físico. A produção de serotonina, dopamina e noradrenalina, resultante desta prática, eleva os níveis de bem-estar e a função cognitiva, confirmou-nos Ana Ramires, especialista em Psicologia da Performance.

Fotos destaque: Bruce Mars/Unsplash

É praticante regular de exercício físico? Leia então os planos de treino ideias para cada idade e aprenda a treinar como uma pugilista.

Últimos