Casa

Crónica. Feng Shui e os relacionamentos

O Feng Shui ajuda-nos, ensina-nos, orienta-nos para uma vida mais harmoniosa em todos os sentidos. Mas nem sempre este ou aquele relacionamento é o melhor para nós.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Crónica. Feng Shui e os relacionamentos
© twenty20
Alexandre Gama, cronista
Escrito por
Jul. 04, 2020

Como encontrar um relacionamento perfeito? Como melhorar um relacionamento? Muitas desta perguntas passam-nos pela cabeça e ocupam mesmo demasiado espaço na nossa vida.

O que quero aqui partilhar é que muitas vezes sou abordado ou contactado com pedidos de ajuda para melhorar o relacionamento a dois, mas não há receitas ou técnicas, nem no Feng Shui nem noutras disciplinas, que possam resolver esta questão.

Na minha opinião, o relacionamento não é nada mais nada menos do que uma manifestação vivencial da minha vibração interior e, como tal, não adianta procurar fora (no outro) o que preciso de organizar ou equilibrar dentro (em mim primeiro).

Os vários passos para um relacionamento mais saudável são sempre a tomada de consciência e trabalho interior.

9 ideias a reter para ter um relacionamento mais saudável

1. Eu acabei de escrever mais saudável e não perfeito.

2. O relacionamento recebe-se e depois nutre-se, mas não se procura.

3. O outro é sempre um espelho da minha vibração. Só eu tenho o poder de atrair a pessoa que se encaixa na minha vibração. Se não gosto do que tenho recebido, é melhor começar a olhar para a energia que emano.

4. Quando fujo de uma relação antiga e nada mudo, vou atrair uma nova com as mesmas características da anterior.

5. Qualquer relacionamento precisa de polaridade. Duas pessoas iguais são desnecessárias. Eu preciso de aprender e crescer com o outro e vice-versa.

6. A relação só funciona e faz sentido enquanto houver crescimento. As relações não são eternas. Têm um prazo de validade que dura enquanto houver o tal crescimento. Depois disso, as pessoas tornam-se escravas, dependentes, infelizes, bloqueadas, prisioneiras e num instante começam a magoar-se mutuamente.

7. A relação precisa de dois seres independentes que escolhem fazer um trabalho ou caminho juntos, mas nunca de uma união em que pelo menos uma das pessoas perde a sua identidade.

8. Sempre que eu tenho um projeto de vida torno-me mais interessante. Se apenas vivo em função da outra pessoa posso tornar-me aborrecido.

9. Para melhora o relacionamento apenas preciso de cuidar de mim.

Depois desta tomada de consciência, podemos então ajudar com os diversos condicionamentos da vida que todos sabemos que interferem bastante na nossa forma de estar e viver e que passo a citar: a educação, as tradições e exemplos familiares, a cultura, a sociedade, a época, a astrologia, a alimentação, os pensamentos, a disciplina e, sem dúvida, também o Feng Shui da nossa casa.

Sim, afinal o Feng Shui pode ajudar, mas atenção que não resolve, ou seja, não tem nenhuma receita ou cura milagrosa.

Posso até ter o espaço ao meu redor todo “xpto”, mas se eu não estou alinhado, não há Feng Shui que resista, e logo, não haverá relação que resista.

O grande catalizador dos relacionamentos é quase sempre a polaridade que cresce com o espaço, admiração, ternura e com liberdade
Alexandre Gama Alexandre Gama

Como ajuda o Feng Shui nos relacionamentos?

Segundo o Feng Shui simbólico, nos relacionamentos harmoniosos damos especial atenção à zona 2, ou seja, o canto superior direito quando olhamos para a planta da nossa casa, quando colocamos a porta de entrada na direção da parte de baixo da folha.

Esta zona 2 está muitas vezes relacionada com o ponto cardeal de sudoeste, quando a porta está alinhada com o norte.

Outra forma de trabalhar, principalmente para quem não sabe qual a orientação da casa, será através dos diferentes usos das divisões.

Assim, se dizemos que a cozinha é onde preparamos os alimentos e onde gerimos a energia da vida, e que a casa de banho é onde fazemos a lavagem e regeneração da nossa vida, então o quarto de casal é onde podemos trabalhar esta energia dos relacionamentos.

Nestas zonas (2 ou quarto de casal) proponho:

Tenham peças aos pares, que sejam esteticamente belas e harmoniosas, que sejam de formas e materiais suaves e confortáveis.

Se for na sala, tenha dois candeeiros bonitos, um de cada lado do sofá, ou dois candelabros no aparador junto da mesa de refeições, ou ainda dois quadros na parede.

Trabalhem pela simbologia, por exemplo, dois pássaros que voam livres mas na mesma direção, dois golfinhos que nadam juntos, duas pessoas que caminham lado a lado ou estão próximas mas não presas.

Podem ter fotos do casal em momentos felizes.

Se for o quarto, deverá ter uma boa e confortável cabeceira de cama para dar proteção e duas mesas de cabeceira iguais ou que possam fazer par uma com a outra, para representar o apoio que cada um tem na relação.

Deverá ter também peças que pertençam apenas ao casal e evitar ter o espaço invadido com objetos do trabalho ou das crianças, da mãe ou da sogra. Não queremos dormir com a energia de mais ninguém. Tudo o que não pertence ao casal deve estar em qualquer parte da casa menos no quarto.

É importante que o quarto de casal tenha alguma simetria.

Para terminar, lembro que cada caso é um caso. Há casais que se equilibram na diferença, que assumem que vivem o relacionamento com intensidades diferentes, enquanto há outros que precisam de igual envolvimento.

E reforço que o grande catalizador dos relacionamentos é quase sempre a polaridade que cresce com o espaço, admiração, ternura e com liberdade.

Alexandre Saldanha da Gama é consultor de Feng Shui e autor do livro ‘Feng Shui @ Lares e Costumes Portugueses’. Estudioso de pessoas e da sua energia, criou a marca Feng Shui Integrativo através da qual orienta seminários, cursos, palestras e faz consultas de astrologia do ki das 9 estrelas. Desenvolve e acompanha in loco projetos de decoração, dá consultas de Feng Shui e faz limpezas energéticas de espaços.

Últimos