© Shutterstock

Atenção freelancers: estes são os sites, as dicas e a burocracia a conhecer

Quer trabalhar por conta própria? Reunimos um conjunto de dicas e sites para freelancers que estão no início da sua carreira.

Pertencer ao mundo dos freelancers pode ser um sonho para quem deseja ter liberdade de horários e não ter uma morada fixa.

No entanto, há também quem pense que é sinónimo de trabalho precário e de condições laborais pouco atrativas para quem procura estabilidade.

“A insegurança é a grande desvantagem quando comparado com o trabalho por conta de outrem. Mas mesmo esta suposta segurança acaba se a empresa deixar de ter dinheiro para pagamentos”, refere à Saber Viver José Bancaleiro, especialista em recursos humanos e Managing Partner da consultora Stanton Chase.

E se é verdade que os prós e contras devem ser pesados individualmente, também é certo que a tendência é que se recorra cada vez mais ao trabalho de freelancers. “No futuro, o mundo do trabalho vai ser muito mais um mundo de freelancers, onde impera o que eu chamo a ‘trabalhabilidade’ e não a empregabilidade”, explica-nos Bancaleiro.

Será este o futuro do trabalho, onde poderá encontrar o seu? Veja a lista dos melhores sites para freelancers que reunimos para si. Quem sabe não encontra aqui o ponto de partida para o seu sucesso.

7 sites de trabalho para freelancers

Os sites para freelancers são uma ótima ferramenta não só para encontrar novos projetos, como também para criar uma rede de contactos e aprender sobre novos assuntos.

 1. Veedeeo Guru

Na plataforma Veedeeo Guru pode vender os seus serviços online através de uma simples videochamada. O primeiro passo será criar um perfil onde indica a categoria do serviço que vai prestar, as suas qualidades enquanto profissional, o preço e a duração das sessões online e, ainda, se está disponível para marcar reuniões no momento. O pagamento da prestação de serviços é realizado através da plataforma.

2. Freelancer.pt

No Freelancer.pt encontra vários anúncios de projetos para Portugal, Brasil e Angola. Esta plataforma tem duas opções: a gratuita e a Gold. A última opção permite que aceda aos anúncios um dia antes dos restantes utilizadores. A plataforma é a intermediária nos pagamentos, o que oferece segurança tanto para os freelancers como para os clientes.

3. Indústria Criativa

Como o nome indica, o site Indústria Criativa é para os freelancers que trabalham em áreas criativas. Aqui vai encontrar projetos das mais variadas áreas do design, arquitetura, ilustração, entre outros. Só precisa criar um perfil e publicar o seu melhor portefólio no site.

4. Zaask

O Zaask é uma espécie de um intermediário entre os clientes e os freelancers. Como funciona? Quando o cliente precisa de um serviço, tem de colocar a sua proposta na plataforma, para que depois possa receber os orçamentos dos freelancers para o que é pedido. Feita uma análise, o cliente poderá escolher o serviço que considerar mais apropriado para si.

O pagamento do serviço terá de ser feito pelo cliente num máximo de três dias depois do freelancer ter indicado na plataforma que o trabalho foi terminado. Por cada trabalho realizado, o Zaask cobra uma comissão ao freelancer entre 5% e 20% do valor que este recebeu.

Esta plataforma não é gratuita e funciona através de um modelo cuja moeda de troca é o crédito. É necessário comprar um pacote de créditos para que consiga candidatar-se aos projetos.

5. Upwork

O Upwork é uma das plataformas internacionais mais populares, com cerca de 12 milhões de freelancers registados. Em média são publicados milhares de anúncios em áreas como engenharia, arquitetura, contabilidade, mobile design, entre outras.

Como a concorrência é muito grande, deve criar um perfil bastante completo e apelativo, para que se destaque dos restantes.

6. 99 Freelas

O 99 Freelas apresenta um design apelativo e simples. Mas o grande destaque desta plataforma, criada no Brasil, é a sua segurança.

Depois de aceitar uma proposta, o cliente deposita o montante acordado a pagar, que fica cativo pela plataforma até à finalização do projeto.  Só depois de o trabalho estar pronto é que o freelancer recebe o seu vencimento.

Neste site, vai poder encontrar diferentes trabalhos nas áreas de marketing digital, produção de conteúdos, programação e design.

7. Fiverr

No Fiverr pode comprar ou vender serviços a partir de 5 dólares (aproximadamente 4,45€). Ilustração, criação de logotipos, tradução ou aulas de música são alguns dos serviços que pode encontrar nesta plataforma.

A utilização do site é bastante simples. O freelancer cria o seu perfil com a informação dos serviços que presta e aguarda pelo contacto do cliente. O preço estipulado pelo freelancer não é negociável.

Tal como o Upwork, a concorrência também é enorme. Quem se inscrever nesta plataforma terá de se destacar através da informação do seu perfil e das avaliações atribuídas pelos clientes, que são muito importantes para que consiga captar atenção.

10 dicas para o sucesso como freelancer

1. Manter uma atitude positiva. O segredo para ser bem sucedido é a resiliência. Manter o otimismo e a confiança ajudam a não desistir;

2. Apostar na especialização. Criar uma área de especialização ajuda a conseguir melhores trabalhos;

3. Saber vender-se. Criar um site com o portefólio dos trabalhos realizados ou anunciar os serviços prestados numa rede social pode ser uma boa aposta;

4. Candidatar-se a diferentes trabalhos. Estar atenta aos vários sites de freelancers. Nunca se sabe quando surge uma boa oportunidade;

5. Manter-se contactável e disponível online. Uma boa proposta pode chegar a qualquer hora e manter a conetividade é essencial para evitar perder trabalhos;

6. Relacionar-se com outros freelancers. Se tem dificuldade em trabalhar sozinha, divida um espaço com outros freelancers ou procure espaços de coworking. No projecto Nomadismo Digital, encontra várias sugestões de locais onde poderá trabalhar;

Relacionar-se com outros freelancers

© Shutterstock

7. Alargar o horário. É bom estabelecer um horário-base, mas este deve ser flexível de modo a permitir que dê resposta aos vários clientes;

8. Selecionar clientes. Nem todos os clientes são bons. Selecione os melhores e estabeleça com eles uma relação de confiança;

9. Manter-se atualizada. Atualizar saberes e competências técnicas é outra das preocupações que deve ter;

10. Não viver para o trabalho. O bom equilíbrio entre a vida pessoal e profissional é essencial. Privilegie o contacto com amigos e família e não se deixe submergir pelo trabalho.

Quais são as obrigações fiscais de um freelancer?

Ser freelancer implica que tenha de ser responsável por todo o seu processo fiscal.

Resumindo, para que tenha tudo em ordem, é necessário ter em conta três grandes fatores: as deduções para a Segurança Social, as deduções para as finanças e o IVA. De seguida, explicamos-lhe os pormenores e os passos a seguir.

Abrir atividade nas finanças

O primeiro passo de um freelancer será abrir atividade nas finanças, antes de começar a aceitar projetos. Caso contrário, poderá ter de pagar uma multa por incumprimento.

A abertura de atividade pode ser feita através do Portal das Finanças ou em qualquer repartição desta entidade. Deverá ter consigo o seu cartão de cidadão e indicar as seguintes informações:

 A data em que vai iniciar a prestação de serviços;

• O código da atividade que vai exercer. Consulte esta lista, caso o faça online e não saiba qual é o código da sua atividade;

• O regime de tributação. Pode escolher entre o regime simplificado e a contabilidade simplificada. O regime simplificado é, por norma, o mais escolhido. Porquê? Porque se destina a trabalhadores independentes que não ganhem, anualmente, um valor bruto igual ou inferior a 200.000€. Já a contabilidade organizada é para profissionais e empresas, constituídas por sociedades, cujos rendimentos brutos sejam superiores ao valor anteriormente referido.

As deduções. Segurança Social, Finanças (IRS) e IVA

1. Segurança Social

O ano de 2019 trouxe algumas novidades para os trabalhadores independentes. Mudaram-se as taxas, prazos e, também, a forma de entrega da declaração dos rendimentos. A primeira mudança diz respeito à taxa contributiva que desceu de 29,6% para 21,4%.

O cálculo do valor a ser pago à Segurança Social também sofreu alterações, passando a ser feito com base na média do valor declarado trimestralmente. Ou seja, a contribuição a ser paga à Segurança Social no 2º trimestre do ano é calculada de acordo com a faturação do 1º trimestre, e assim sucessivamente.

Como o apuramento é trimestral, os prestadores de serviços têm de entregar as suas declarações trimestrais até aos últimos dias de janeiro, abril, julho e outubro de cada ano, através do site da Segurança Social Direta. O pagamento tem de ser efetuado entre o dia 10 e o dia 20 do mês seguinte à entrega.

Em cada declaração trimestral, o trabalhador independente vai poder pedir um desconto até 25% aos valores declarados. Esta opção é efetuada em intervalos de 5%.

Situações de isenção:

Trabalhadores por conta de outrem que recebam menos de 7.470€ brutos, por trimestre, em recibos verdes;

No primeiro ano, os trabalhadores independentes estão automaticamente isentos;

Pensionistas.

2. A retenção na fonte – IRS

A retenção na fonte é uma espécie de pagamento adiantado do IRS. O trabalhador independente que recebeu menos de 10.000€, num ano, está isento desta dedução. No entanto, pode escolher pagar todos os meses a taxa prevista à sua categoria de trabalho. Ou seja, pode optar por fazer a retenção na fonte.

Quem recebeu mais de 10.000€ anuais, não tem a opção de isenção e é obrigado a fazer a retenção na fonte todos os meses. Isto significa que, em média, 25% do ordenado (depende do código da categoria do serviço) será retido pelo cliente para ser entregue às finanças.

3. Quem está isento do pagamento de IVA?

Um freelancer em Portugal que não receba mais de 10.000€ anuais está isento do pagamento de IVA (23%). Se no ano corrente ultrapassar esse valor, o prestador de serviços continuará isento de pagamento até ao mês de janeiro do ano seguinte.


Pronta para começar uma nova aventura como freelancer? Saiba também como se tornar uma nómada digital. 

Mais sobre dicas

Comentários

Atenção freelancers: estes são os sites, as dicas e a burocracia a conhecer

Os comentários podem ser editados por questões de clareza e para permitir respostas mais gerais.