Beleza

Olhe para o rótulo: estes são os ingredientes que o seu shampoo não deve ter

São prejudiciais ao seu couro cabeludo e podem mesmo causar alergias e outros problemas mais graves. Estes ingredientes não devem estar no seu shampoo.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
mulher a lavar o cabelo no duche
Marta Chaves
Escrito por
Marta Chaves
Abr. 11, 2019

É um autêntico enigma tentarmos perceber porque é que, tantas vezes, o nosso couro cabeludo não é saudável. Entre comichões intermináveis, e vermelhidões estranhas, há mesmo quem gaste pequenas fortunas em produtos capilares para tentar remediar problemas, que nem sempre são os mais indicados.

Afinal, o que é que pode estar a colocar no seu cabelo que lhe está a fazer tão mal? A Saber Viver falou com Helena Melo, dermatologista no Hospital CUF Descobertas, que nos ajudou a perceber quais os ingredientes a que devemos estar atentas quando compramos um shampoo.

Ingredientes do shampoo: os maus e os vilões

Na Europa, a legislação obrigada a que as embalagens de cosméticos tenham descriminados a sua lista de ingredientes. Se reparar, ou se já tomou atenção a algum destes rótulos, a lista costuma não ser pequena. Torna-se por isso complicado perceber o que são e quais as funções destes ingredientes.

No que diz respeito aos ingredientes nocivos, Helena Melo diz que temos de analisar as “substâncias irritativas e as que podem dar alergias”. Comecemos então pelas irritativas.

“Os shampoos, às semelhança dos sabonetes e produtos de limpeza da pele, têm um potencial irritativo considerável”, começa por explicar a dermatologista. “De uma forma continuada, podem agredir a pele de forma inespecífica”.

Dito isto, temos de ter em conta que muitos produtos capilares têm um potencial detergente que pode irritar o couro cabeludo. “Quanto mais detergente têm, mais espuma fazem e mais irritativos são”, refere.

Assim, temos de procurar por:

Tensioativos. “São um conjunto de moléculas que são responsáveis pela ação principal do shampoo, que é limpar”. Este ingrediente perfaz 30% ou 40% da composição do produto;

Sulfatos. Este é um dos componentes mais agressivos que pode encontrar no seu shampoo. Mas ainda dentro dos sulfatos, Helena Melo explica que “o grande vilão” é o chamado Lauril Sulfato de Sódio (Sodium Lauryl Sulfate, SLS). A verdade é que estes ingredientes “lavam muito bem, ajudam a fazer espumas e são muito utilizados”, mas podem danificar o couro cabeludo;

Trietanolamina dodecilbenzeno. O nome não é propriamente simples, mas pode ser um dos causadores irritativos ao seu couro cabeludo. Este é outro tensioativo, sem sulfato;

Para evitar alergia no couro cabeludo, o ideal é procurar por shampoos sem perfume. Helena Melo refere que substâncias como linalol e limoneno, são algumas das que podem dar problemas.

cabelo hidratado

© Unsplash

Além disto, os corantes, que dão cor e aspeto brilhante, podem também ser nocivos para algumas pessoas mais sensíveis.

Então e os parabenos?

Quantas vezes já não viu em embalagens de cosméticos a legenda “sem parabenos”? Tornaram-se no inimigo nº1 desta indústria, mas, na verdade, a polémica pode ter sido mais exagerada do que a realidade. “Os parabenos foram os primeiros conservantes incorporados na cosmética e acusados por serem causadores de alergias. Foram muito afastados e ficaram com muito má fama”, esclarece a dermatologista.

Os conservantes, inevitavelmente, têm sempre de existir em qualquer cosmético, caso contrários “os produtos ganham fungos e bactérias”. Quando os parabenos começaram a ser postos de parte nas formulações dos produtos, procuraram-se outras alternativas. A que surgiu foi a metilisotiazolinona mas, como nos conta a dermatologista, em 2017 começaram também a serem reveladas alergias derivadas desta substância.

“Ainda não se descobriu na cosmética o conservante certo”, clarifica.

O que devemos procurar para ter um cabelo saudável

“As pessoas devem, à partida, procurar por um shampoo que não tenham tensioativos agressivos e, se têm um couro cabeludo sensível, já tiveram alergias, ou se o couro cabeludo fica irritado, devem escolher shampoos sem corantes, perfumes e com um pH equilibrado (mais para o ácido e não alcalino)”, diz-nos a dermatologista.

Os shampoos de uso frequente são boas opções, assim como outros comprados em farmácias e parafarmácias.

No que diz respeito aos shampoos formulados a partir de ingredientes naturais, Helena Melo admite poderem ser uma boa escolha por excluírem tensioativos. Além disto, o pH não é alcalino. Porém, atenção, porque estes shampoos têm também conservantes, pelo podem não dar segurança em relação a alergias.

Como podemos saber quantos dos ingredientes do shampoo são realmente nocivos?

Felizmente, há sites onde pode verificar se o seu shampoo tem ou não ingredientes prejudiciais para a saúde. Alguns também permitem pesquisar por ingrediente e verificar o quão mal lhe faz e em que produtos estão presentes. Ficam as sugestões:

EWG’s Skin Deep
Skin Carisma
CosDNA


Já observou o rótulo do seu shampoo? Veja ainda o tratamento capilar adequado para si.

Últimos