Beleza

Envelhecer é uma questão de atitude (positiva)

Pode ser uma dor de cabeça para muitas mulheres, mas, na verdade, envelhecer está na forma como encaramos a vida. Aprenda a abraçar a sua idade, sem se sentir deprimida.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Envelhecer é uma questão de atitude (positiva)
© GettyImages
Em parceria com:
Envelhecer é uma questão de atitude (positiva)
Dez. 18, 2019

A idade é só um número. Sim, não, talvez? Com o tempo, as respostas foram variando e fomos percebendo que a forma como as mulheres se sentem em relação ao seu ano de nascimento vai muito mais além de um mero número.

Envelhecer mexe com a autoestima? É possível, mas podemos ser nós a reverter esta nuvem negra de dois dígitos? Aqui não há dúvidas: sim!

Como se olha para o amadurecimento

Num estudo desenvolvido pela Universidade de Montpellier, em França, foi analisado um grupo de 17 mil pessoas de meia idade e mais velhas para perceber como se sentiam com a sua idade. A maioria revelou sentir-se entre 8 a 13 anos mais velha do que realmente era. Teoricamente, parece não haver problema com isto, mas, tal como o estudo mostrou, as consequências podem ser mais graves.

As pessoas que se sentem muito mais velhas do que a sua idade real têm um risco de morte entre 18 a 25% mais elevado do que as restantes. Além disso têm também mais probabilidade de desenvolver doenças.

O psicológico pode trair-nos, mas cabe-nos perceber que passos podemos dar para contrariar este sentimento negativo.

O poder do marketing e dos media

A forma como olhamos para o envelhecimento tem mudado drasticamente nos últimos anos. O universo da moda, do marketing e dos media ajudaram a mudar a conceção do anti-aging (anti-idade) e a perceber como podemos usá-lo a nosso favor.

Grandes marcas de moda optaram por ser representadas por mulheres mais velhas, como forma de inspiração. Joan Didion, escritora e jornalista, foi rosto de uma campanha da insígnia de luxo Céline, por exemplo. Também Maye Musk, mãe de Elon Musk, fundador da marca de carros Tesla, foi escolhida como rosto da Cover Girl. E Joni Mitchell, ícone dos anos 70, protagonizou também uma campanha para a Saint Laurent.

São muitas as mulheres que vestem o ADN destas gigantes marcas e tentam mudar paradigmas e o próprio conceito de beleza. Também algumas publicações têm mostrado interesse em transformar o significado de envelhecer.

A própria revista Allure, (apelidade de Bíblia da beleza) decidiu em 2017 deixar de usar o termo anti-aging devido ao negativismo que está associado à palavra. Porém, a publicação dá destaque constante ao tratamento da pele e o uso devido dos ingredientes que precisamos ao longo dos anos. Beleza é também bem-estar.

3 passos para aceitar melhor o avanço da idade

1. Escolha uma nova atividade

ioga

© unsplash

Porque não ioga ou meditação? Os benefícios físicos e psicológicos destas duas atividades são bem conhecidos. Recomendadas para afastar o stresse e a ansiedade, ajudam-nos a manter o corpo exercitado, enquanto aprendemos a respirar e a relaxar a mente.

Se quiser iniciar sozinha, há inúmeras aplicações que a ajudam a fazer estes exercícios no conforto da sua casa.

2. Cuide (bem) de si

© getty images

Isto inclui perder alguns minutos do seu dia a tratar bem da sua pele e a usar os produtos certos. Damos-lhe a conhecer as duas novidades da Filorga, desenvolvidas para uma nutrição e multirrevitalização intensivas da pele a partir dos 50 anos. É nesta fase que os sinais da idade tendem a acentuar-se todos ao mesmo tempo, como desnutrição, rugas, flacidez, manchas, traços encovados e falta de luminosidade. Identifica-se?

Comece por aplicar o sérum Gloral-Repair Intensive, enriquecido com retinol alisador e glicogénio energizante para revitalizar e pele, e de seguida aplique o creme Global-Repair, com propriedades reparadoras, desintoxicantes e antioxidantes que fortalecem a pele e travam o envelhecimento cutâneo. Além disso, tem um efeito reparador. O segredo? A fórmula contém Fatores de Reparação Intensiva para uma multirrevitalização da pele, equiparada à de gabinete médico.

Ambos podem ser usados como máscara de noite, para um efeito maximizado ao acordar.

3. Mantenha-se social

© unsplash

Ter uma agenda cheia (e não estamos a falar de trabalho) pode ser um desafio, mas é muito positivo. Participar em atividades com amigos, sair, ou até mesmo juntar-se a uma rede social podem ser passos importantes para manter-se ativa. Rodearmo-nos de pessoas dá-nos mais vida, dize-nos a ciência.

Últimos