Sexo

7 coisas que não sabia sobre sexo, orgasmos e prazer

Será que sabe tudo sobre a sua sexualidade? Há pequenos pormenores que pode não dominar e que até a ajudam a ter mais prazer. Conheça estes factos sobre a intimidade e melhore-a.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
7 factos sobre a intimidade que não sabia (até agora)
Marta Chaves
Escrito por
Abr. 10, 2018

Depois de ler este artigo,é possível que perceba que há alguns detalhes sobre a sua sexualidade que não sabe. O livro The Wonder Down Under (Yellow Kite, 19,75€), de Nina Brochmann e Ellen Støkken Dahl, revela alguns mitos e verdades sobre a intimidade que acabam por ser surpreendentes. Descobrimos tudo num artigo do site Health.

7 factos sobre a intimidade que pode não saber

Os pelos púbicos ajudam a ter mais prazer

Pode parecer estranho – ou até pouco sexy. A verdade é que a depilação total da zona púbica não traz qualquer benefício a quem a faz, a não ser por razões estéticas. Ter pelos púbicos aumenta a sensibilidade. As autoras do estudo explicam: “Se o seu parceiro lhe acariciar levemente os pelos púbicos, estes enviarão um sinal para os folículos que interferem com o sistema nervoso”.

A sensação é prazerosa e ajudam-na a ter um pouco mais de prazer.

Se faz a depilação com lâmina, escolha as mais baratas

Parece uma contradição, mas a explicação até faz sentido. As lâminas mais caras, têm múltiplas lâminas, o que provoca mais pelos encravados, uma vez que cada uma corta aqueles que estão mais mais abaixo da superfície da pele.

Além disto, as autoras explicam que as pessoas ao comprarem lâminas mais caras não as trocam com tanta frequência. Estes objetos acabam por ficam enferrujados e repletos de bactérias.

O fluído vaginal ajuda a manter a vagina limpa

Não é por acaso que, de acordo com a altura do mês, as mulheres têm um fluído vaginal, que varia de quantidade, cor e espessura de organismo para organismo. O chamado ‘corrimento’ ajuda a expulsar bactérias e fungos que estão presentes na vagina. Além disto, é composto também por bactérias “boas”, como lactobacilos, que ajudam a proteger das infeções.

Ter um orgasmo impulsiona a menstruação

Ainda não se sabe ao certo porque é que isto acontece. Porém, os especialistas têm uma teoria. As cólicas que se sentem nesta altura do mês são contrações uterinas que expulsam o sangue do organismo. Segundo a teoria, estas contrações acontecem também durante o orgasmo, o que significa que os músculos se contraem quando está a fazer sexo e isto impulsiona a saída de sangue.

É possível que alguns momentos após o ato sexual surja a menstruação.

A maioria das mulheres não sofre de síndrome pré-menstrual (e pensa que sim)

Ter um síndrome pré-menstrual é muito mais do que sofrer de mudanças de humor e desejos por comer doces, como a maioria de nós pensa. Na verdade, pode mesmo ter efeitos físicos nas mulheres, que influenciam o seu dia a dia. São eles: dores musculares, fortes dores de cabeça, sonolência, dificuldade de concentração, entre outros.

“Cerca de 20% a 30% das mulheres têm sintomas de síndrome pré-menstrual moderado”, explicam as escritoras. Além disto, as mulheres que sofrem deste problema têm estes sintomas todos os meses e não só de vez em quando.

O desejo sexual não nasce connosco

“Os desejos são como instintos que nos ajudam a manter-nos vivos. São eles que causam sede, fome e cansaço e muitos outros sentimentos”, explicam. Porém, em comparação com os instintos dos exemplos anteriores, ninguém precisa de sexo para viver. As autoras afirmam: “O sexo funciona como uma recompensa para o cérebro. Por outras palavras, nós não nascemos com apetite sexual, em vez disso ficamos desejosos por ter sexo”.

Se fizer exercício antes do ato sexual, é mais provável que tenha um orgasmo

“Fazer exercício, especialmente antes de fazer sexo, facilita a excitação sexual e aumenta a capacidade de chegar ao orgasmo”, escrevem as autoras. Isto acontece porque, quando se faz exercício, produzem-se endorfinas que estimulam a libertação de hormonas sexuais.


Conhecia todos estes factos sobre a intimidade? Descubra ainda alguns mitos sobre sexo.

Últimos