Horóscopo

Lua nova em Caranguejo. Priorizar os afectos

A lua nova acontece todos os meses quando a Lua se encontra com o Sol num determinado signo. Este começo de ciclo é o momento de semear o que queremos ver crescer nas próximas semanas.

Untitled-7 Untitled-7 Untitled-7
Lua nova em Caranguejo. Priorizar os afectos
© Grafismo: Carolina Carvalhal
Bárbara Bonvalot, astróloga
Escrito por
Jul. 20, 2020

Este ano temos duas luas novas em Caranguejo. A primeira aconteceu logo a seguir ao ingresso do Sol, no primeiro grau daquele signo, e brindou-nos com um potentíssimo eclipse solar. A segunda lua nova em Caranguejo tem lugar na próxima segunda-feira, dia 20, às 18h32 em Lisboa, 14h32, hora de Brasília, desta vez nos últimos graus do signo.

Em Caranguejo aprendemos o que são as emoções. Esta é a água dos primeiros afectos, o início dos laços invisíveis que nos ligam e o colo onde nos sabemos seguros e onde podemos descansar.

Nestas águas, protegemos o que é frágil e cuidamos da nossa vulnerabilidade. E, na indefinição dos tempos que correm, sabermo-nos protegidas e acarinhadas é especialmente valioso.

Neste signo, quem manda é a Lua, é ela a senhora deste pedaço do céu. Mas, no arranque desta lunação, o conforto de estar em sua própria casa é perturbado pela oposição exacta a Saturno, que está do outro lado do zodíaco, em Capricórnio, e faz uma última revisão ao seu domicílio nocturno antes de entrar de vez em Aquário.

Queremos descansar, tomar conta de nós e dos nossos, ir para dentro, mas não podemos tirar a atenção do que está fora. Há alguma coisa que nos segura, que nos pesa, que não nos deixa descontrair.

Podemos não conseguir nomear nem saber dizer ao certo de onde vem essa preocupação, mas sentimos a força da gravidade que nos prende ao chão e impede o nosso ânimo de levantar.

Sentimo-nos presas, constrangidas. Sozinhas e isoladas até. Com responsabilidades a mais e com folgas a menos. Estamos divididas entre a esfera mais íntima e o mundo das obrigações sociais.

O pavio está curto e temos um fósforo aceso na mão. Podemos esperar discussões, controvérsias e conflitos
Bárbara Bonvalot Bárbara Bonvalot

Vivemos tempos excepcionais e temos gasto muita da nossa energia a navegar o mar de incerteza que estamos todos a atravessar.

Os nossos recursos internos têm andado sobrecarregados a encontrar soluções para redefinir rotinas, redesenhar hábitos e reinventar direcções.

Temos estado ocupadas a gerir as emoções intensas que surgem dentro de nós e à nossa volta. É normal que, por esta altura o cansaço pese. É normal que a energia esteja esgotada e que a cabeça e o corpo peçam descanso.

Mercúrio, que cuida das nossas ideias e das nossas palavras, também está em Caranguejo, dependente dos humores da Lua e, por isso, mais institivo e mais emocional.

Daqui não viria problema algum, não fosse o caso de Hermes se aproximar de uma desafiante quadratura com o aceso Marte, que o espera em Carneiro.

Marte em Carneiro é rude e impulsivo, não mede a força e desconhece o cuidado e a ponderação. Mercúrio em Caranguejo é delicado, sensível e melindroso.

O pavio está curto e temos um fósforo aceso na mão. Podemos esperar discussões, controvérsias e conflitos. Desentendimentos que começam pela mais pequenina coisa, susceptibilidades que se ferem sem querer ou sensibilidades diferentes que se chocam e que preferem atacar para se proteger.

Para encontrar um equilíbrio é necessário fazer escolhas, aliviar a mochila, deixar para trás o excesso de bagagem
Bárbara Bonvalot Bárbara Bonvalot

Por outro lado, se conseguirmos articular o que sentimos de forma clara e assertiva, podemos desbloquear alguma situação mais tensa que se arrastava há algum tempo. Por vezes são necessárias discussões frontais e honestas para arrumar o lixo antigo que a inércia e a passividade deixaram acumular debaixo dos tapetes das relações.

Cansaço e precipitação, frustração e falta de cuidado, sensibilidade e ansiedade. Estamos presas por cordéis frágeis que se podem quebrar a qualquer momento.

O tempo que dedica a cuidar de si é suficiente? A atenção que dá aos seus afectos é recíproca e satisfatória? Que compromissos lhe pesam e a esvaziam? Será que assume responsabilidades que não lhe pertencem?

Para encontrar um equilíbrio é necessário fazer escolhas, aliviar a mochila, deixar para trás o excesso de bagagem. Não precisa de carregar o mundo nas suas costas.

Cuide de si e rodeie-se de pessoas que lhe devolvem o carinho e a atenção que lhes dedica. Quando sentir que está a transportar peso em excesso, pegue numa tarefa de cada vez, dando prioridade ao que a faz sentir-se preenchida, acolhida e amada.

Bárbara Bonvalot começou a estudar Astrologia em 2005 e inicia o seu percurso como astróloga profissional em 2009. Actualmente é consultora e formadora de Astrologia, membro da AFAN (Association for Astrological Networking) e da ASPAS (Associação Portuguesa de Astrologia). Entende a Astrologia como uma linguagem que nos leva a um conhecimento profundo de nós mesmos, dos outros e da própria vida.

*artigo escrito ao abrigo do antigo acordo ortográfico.

Últimos