6 truques para melhorar o treino (e atingir os seus objetivos)

O que comer ao pequeno-almoço? Treinar sozinha ou acompanhada? E será que vale a pena tomar suplementos? Se anda no ginásio mas não vê grandes progressos, saiba onde poderá estar a errar. Aprenda a melhorar o treino.

Se tem passado as últimas semanas no ginásio e não vê grandes progressos no seu corpo ou se quiser iniciar uma nova modalidade, saiba que o treino intervalado de alta intensidade (HIIT) é o que está a dar.

Estão muito na moda, porque são treinos de curta duração de alta intensidade, que envolvem o treino de todo o corpo, o que ajuda à perda de gordura corporal e aumento da massa muscular”, explica Freddy Farinho, personal trainer (PT) da equipa do spa do EPIC SANA Algarve.

Mas também existem treinos de média ou baixa intensidade, “tudo depende dos objetivos e da condição física de cada pessoa. No entanto, para queimar gordura e melhorar o rendimento desportivo, os treinos de alta intensidade são os mais aconselhados (…)”, acrescenta.

Porém, há passos que deve dar para melhorar o treino e para este seja mais eficaz. Siga os conselhos que se seguem

6 truques para melhorar o treino

Jejum, sim ou não?

Segundo Pedro Simões, também PT do EPIC SANA Algarve, treinar de manhã e em jejum “é um assunto que tem merecido especial destaque no mundo do desporto. Na minha opinião, treinar em jejum só poderá trazer resultados (redução da massa gorda) a pessoas que já treinam muito e esta medida deverá ser feita esporadicamente para que o corpo não se habitue a esta estratégia”.

Para 95% dos praticantes, o pequeno-almoço é essencial para restabelecer o organismo após as horas de jejum.

O que comer?

Se treinar sem tomar o pequeno-almoço não é boa ideia, o que se deve comer? Fruta ou pão? André Vitorino, igualmente PT do EPIC SANA Algarve, defende que tal depende do objetivo de cada um.

Normalmente, aconselho comer frutas (exceto ácidas), pão, ovos, fiambre de aves, queijo fresco e granola ou frutos secos.” E laticínios? “Muitas pessoas ingerem-nos pela manhã, antes do treino, depois durante a atividade física sentem desconforto intestinal, o mesmo sucede com as frutas ácidas. Por isso, desaconselho o seu consumo antes do treino.”

Sim, os treinos em grupo são mais benéficos, uma vez que existe maior interação entre as pessoas e maior motivação entre elas

A melhor hora para treinar

Segundo Freddy Farinho, existem pessoas que as preferências variam de pessoa para pessoa. “Varia muito consoante a disponibilidade de cada um. É, sim, necessário saber organizar e conciliar a vida profissional com a vida desportiva para podermos planear os treinos com o objetivo de melhorar o rendimento desportivo.”

E será que ter companhia aumenta a motivação? “Sim, os treinos em grupo são mais benéficos, uma vez que existe maior interação entre as pessoas e maior motivação entre elas”, defende Freddy Farinho.

Peso ou cardio

Na opinião de Pedro Simões, para melhorar o rendimento desportivo, a metodologia de treino deve contemplar um treino variado e misto. “Devemos treinar todo o corpo de forma variada com treino de força, treino de resistência e treino cardiovascular. Devemos treinar de forma a conseguir melhorar todas as nossas capacidades físicas (resistência, força, velocidade, flexibilidade, técnica e agilidade.”

Hidratação e suplementação

Sabia que beber água durante os treinos pode ajudar a reduzir o risco de cãibras? “O nosso organismo é constituído por mais de 60 por cento de água e com o exercício físico libertamos suor, que é constituído por 99 por cento de água e nutrientes. Só isso já seria suficiente para percebermos que temos de nos hidratar. Durante o treino, vai ajudar a controlar o cansaço, reduz o risco de cãibras, ajuda na circulação sanguínea e de nutrientes, e ajuda a manter a temperatura corporal”, lembra André Vitorino.

Quanto à toma de suplementos, esta deve ser avaliada por profissionais da área. “A suplementação, como o próprio nome diz, suplementa algo e não substitui nada, ou seja, requer uma alimentação equilibrada. Essa suplementação irá apenas balancear algumas carências que a pessoa possa ter na alimentação e nas necessidades diárias”, refere o treinador.

E, muito importante: alongar!

“O alongamento é uma forma de trabalho que visa manter os níveis de flexibilidade e realizar movimentos de arco de movimento normal com o mínimo de restrição física possível até ao limiar da dor”, explica Pedro Simões.

Os alongamentos têm como objetivo o relaxamento muscular e redução de tensão muscular pós-reino, manutenção da amplitude do movimento, atitude postural e simetria corporal, alívio de dores musculares, reestruturação dos tecidos e a promoção de bem-estar físico e psicológico.”


O que achou destas dicas para melhorar o treino? Veja também as novas modalidades em que deve apostar no ginásio.

GuardarGuardar

Comentários

6 truques para melhorar o treino (e atingir os seus objetivos)

Os comentários podem ser editados por questões de clareza e para permitir respostas mais gerais.