© Rita Hart

Sabe porque é que o copo menstrual vai mudar a sua vida?

Se nunca pensou em testar uma alternativa quando o período chega, talvez esteja na hora de o fazer. Aqui fica tudo o que precisa de saber para dar uma oportunidade ao copo menstrual, incluindo os benefícios para si e para o planeta.

Antes de mais, vamos às apresentações. O copo menstrual, também conhecido como coletor menstrual, é uma alternativa aos pensos higiénicos e aos tampões. Começou a ser utilizados há cerca de oitenta anos – a primeira patente do copo menstrual foi registada nos EUA, em 1932 – e hoje em dia voltou a dar que falar!

É um pequeno produto em forma de copo, que não contém desodorizantes nem geles absorventes (ou, pelo menos assim será um bom copo menstrual). É feito de silicone anti-alérgico, mais concretamente elastómero termoplástico, o mesmo material de que são feitas as tetinas dos biberões e chupetas dos bebés. Parece-lhe estranho?

Ao início estranha-se, sim, mas depois entranha-se. E chega então a hora de colher os frutos.

Porquê mudar para o copo menstrual?

A principal diferença em relação aos tampões é o facto de não absorver o fluxo, recolhendo-o apenas. Este fica depois retido no copo, até o líquido ser extraído. Depois, lava-se bem e volta a introduzir-se na vagina, e só tem que ser retirado de 12 em 12 horas. O processo é tão simples quanto este.

Devido ao material de que é composto, o copo menstrual respeita a flora vaginal, pois não contém químicos. Como mantém o sangue em vácuo, este não oxida, o que evita a propagação de bactérias e fungos. Além disso, evitamos o síndrome do choque tóxico (doença causada por toxinas produzidas pela bactéria straphylococcus aureus), que pode acontecer com os métodos mais tradicionais.

O facto de ser hipoalergénico evita as assaduras, infeções urinárias e irritações vaginais e ainda preserva a lubrificação natural da vagina, ao contrário dos pensos e tampões. Quem o diz é um estudo publicado em 2011 pela Universidade da Beira Interior, em parceria com a Associação Portuguesa de Ginecologia e a Pegada Verde. Aqui concluiu-se que a utilização destes copos menstruais é segura para a saúde feminina e previne uma série de doenças do foro psicológico.

Os diferentes tipos de copos menstruais da Me Luna.

Então, mas não dói?

Na verdade, o copo é mais confortável do que parece porque foi desenvolvido para se adaptar completamente à fisionomia da vagina. Segundo Isabel Girão, representante da marca Me Luna, pode ser usado durante o sono ou enquanto pratica qualquer atividade física,”desde a dança, ginástica, ténis, natação, equitação, pilates, yoga…”.

Acresce ainda o facto de não causar qualquer tipo de incómodo, uma vez que não se sente, mesmo com a utilização do DIU. Daniela Sobral, médica ginecologia, confirma: “Apesar de teoricamente quando se retira o copo se poder arrastar os fios do DIU, na prática isso não acontece e, por isso, podem ser usados em simultâneo.”

Isabel Girão assinala, no entanto que, numa situação mais sensível, o ideal é aconselhar-se com o ginecologista antes de avançar com a decisão. Numa situação pós-parto, por exemplo, “a vagina pode estar mais sensível e dorida e por isso não será a melhor opção”, explica a representante da marca.

E qual é o copo mais adequado para mim?

Sofia Catarino, da loja online portuguesa ecológica Pegada Verde, explica-nos o que devemos ter em conta antes de comprar. “Relativamente à escolha do tamanho mais adequado, devem-se ter em consideração os seguintes fatores: o fluxo, a elasticidade dos músculos pélvicos, a idade, a maternidade e condições ginecológicas (como por exemplo, bexiga sensível ou colo do útero descaído).

Usa-se, geralmente, uma tabela que serve como auxiliar na escolha, entre os dois tamanhos ( 1 ou 2):

Em relação à higiene, há cuidados extra?

Quanto à higiene, há alguns cuidados obrigatórios a ter em mente. Durante o período de utilização, basta lavar o copo com água fria corrente com sabão neutro ou toalhitas produzidas para o efeito.

É fundamental lavar muito bem as mãos na introdução e remoção, lavar bem com água e esterilizar no final de cada menstruação”, explica-nos Daniela Sobral. E alerta: no caso de não estar à vontade em casas de banho públicas, “opte por usar uma garrafa de água para o lavar na casa de banho e depois passar papel higiénico”.

 

 

Já no final da menstrução, “é aconselhada sempre uma higienização mais aprofundada” através da “fervura em água salgada ou a utilização de produtos específicos para desinfecção a frio”, acrescenta a especialista.

Mas isto tudo também significa dizer adeus aos maus odores típicos dos pensos e tampões!

Ainda não está convencida? Vamos às contas

Cada copo dura, em média, 10 anos, quando bem limpo e cuidado. O que, segundo o Huffington Post, se traduz em menos 10 mil tampões e equivale a poupar cerca de 1500 euros durante a nossa vida.

Sim, porque cada copo menstrual custa entre 20 a 30 euros. Se convertermos os cerca de 10 mil tampões em distância, são 1,6 km ( 5 x a Torre Eiffel) de resíduos tóxicos não biodegradáveis.

Onde adquirir o copo?

Hoje em dia, já é bastante fácil encontrar copos menstruais, seja online, numa farmácia perto de si, ou até mesmo em alguns hipermercados. MeLuna, Lunette e OrganiCup são algumas das marcas mais conhecidas em Portugal.

 


A menstruação ainda é um “bicho de sete cabeças” para algumas meninas e mães. Ajudamos-lhe a desmistificar algumas dúvidas relacionadas com a primeira menstruação.

Mais sobre especialista

Comentários

Sabe porque é que o copo menstrual vai mudar a sua vida?

Os comentários podem ser editados por questões de clareza e para permitir respostas mais gerais.