By

Um novo estudo analisou as respostas de 2000 homens e mulheres e chegou a conclusões muito específicias sobre o que leva as pessoas a traírem, como começa a traição e se se arrependem ou não. As justificações são, no minímo, interessantes.

Todos conhecemos alguém que já foi traído ou que já traiu e até nós já podemos ter passado por alguma situação de infidelidade. Enquanto uns matam a cabeça a tentar perceber o que levou à traição, outros chegaram ao fundo da questão e descobriram as justificações por detrás do adultério – e são, até, curiosas.

A marca Superdrug fez um questionário a 2000 mulheres e homens, europeus e americanos, e descobriu que quem está numa relação tem 25% de probabilidades de trair. Já em quem é casado, o número sobe para 60%.

As justificações que levam à infidelidade são, talvez, as mais caricatas do estudo. Tanto as mulheres europeias como as americanas disseram que a principal razão para terem traído foi porque o parceiro deixou de lhes prestar atenção. Já os homens europeus e americanos afirmaram que já tinham sido infiéis em relações passadas, porque a pessoa com quem cometeram a traição era muito atraente.

Aqui fica o top cinco das justificações dos europeus.

Mulheres:

  • O meu parceiro deixou de me dar atenção
  • A outra pessoa era muito atraente
  • Comecei a ter dúvidas na minha relação
  • A outra pessoa estava sempre lá para mim
  • Precisava de me sentir sexy

Homens:

  • A outra pessoa era muito atraente
  • A outra pessoa estava sempre lá para mim
  • Eu e a minha parceira não fazíamos sexo
  • Estava aborrecido
  • A minha parceira deixou de me dar atenção

 

 

O estudo vai ainda mais além e tentou descobrir (e conseguiu) como é que os questionados conheceram as pessoas com quem traíram. Aqui, as respostas foram mais uniformes. A maioria das mulheres (40.6%) e homens (32.9%) disseram que já eram amigos/as destes parceiros/as sexuais e a segunda resposta foi que os conheceram no local de trabalho.

No final, há algo que é comum a todos, homens e mulheres, europeus e americanos. Todos eles se arrependem de ter traído, mas parece que os homens americanos são os que mais se lamentam.  71% destes homens admite que voltava atrás se pudesse, isto comparado a 58% das mulheres americanas e a 56% e 59% das mulheres e homens europeus, respetivamente.

“Casos amorosos e traições são, muitas vezes, uma questão de oportunidade. Viajar com um colega de trabalho, estar numa festa sem o/a namorado/a, passar períodos de tempo sozinho, beber demasiado ou ter círculos sociais independentes, podem criar essas oportunidades”, diz o terapeuta John Howard. “Então, o que é que se deve fazer? Preste atenção a este tipo de situação”, conclui.

Foto: Zara Home

 

Leave a Reply