By

Sofre horrores com o calor que se acumula em sua casa no verão? Já tem ventoinhas em todas as divisões e, mesmo assim, não consegue resolver o problema? Então conheça os conselhos de Ana Proença, fundadora do atelier Spacemakers, para ter uma casa arejada, sem recorrer ao ar condicionado – que lhe pesa na conta da eletricidade.

Não foi há muito tempo que Portugal foi surpreendido por uma vaga de calor que levou as temperaturas a excederem os 40 graus em várias cidades. Com este cenário – digno de um filme de faroeste e que pode voltar a qualquer momento -, estar na rua durante o dia é uma missão impossível, mas, sem ar condicionado, estar em casa consegue ser tão ou mais desconfortável. Todas as divisões estão quentes e o ar não circula, mesmo com ventoinhas em todas as divisões.

Foi a pensar nisto que a Saber Viver falou com a decoradora de interiores Ana Proença, uma das fundadoras do atelier de arquitectura, design de interiores e decoração Spacemakers. Quisemos saber de que forma é possível tornar uma casa mais fresca, sem ser necessário recorrer ao ar condicionado. Muitas das dicas passam por ter uma casa espaçosa pouco claustrofóbica e com os têxteis certos, mas temos ainda sugestões de sentido mais prático. Exemplo: sabia que existem lâmpadas que não emitem calor nenhum?

 

Trocar peças sazonais
A manta e almofadas do sofá, a roupa de cama e os tapetes que sejam fáceis de arrumar devem ser trocados sazonalmente. No verão, com calor, queremos estar longe de tecidos quentes e invernosos como a lã ou o veludo. Ana Proença explica que, o ideal, é apostar em peças que possam ser substituídas conforme a estação: no caso do sofá, retirar as almofadas de veludo e lã, retirar a manta invernosa e substituir tudo por têxteis próprios para a estação, como linho e algodão. No caso dos tapetes, se forem pequenos, retirá-los e guardá-los – o chão é sempre mais fresco. Apostar ainda em cores mais claras e em elementos com um aspeto mais fresco. Para a cama, devemos aplicar as mesmas regras: manta diferente, edredons mais frescos, capas com têxteis mais leves, com cores claras e neutras.

Apostar em cores claras na parede
Não são só os têxteis da cama ou do sofá que devem ser claros. As paredes são determinantes para a energia, ambiente e decoração de uma casa. Assim, se estiver a pensar em fazer obras de manutenção agora no verão, aproveite para renovar a cor das divisões. Ana Proença explica que as cores mais leves tornam o espaço maior e menos claustrofóbico – quando estamos em espaços mais arejados, sentimo-nos mais confortáveis e sem calor. Aposte em branco na maior superfície de sua casa e, se quiser, conjugue com cores pastel em superfícies menores. “Apontamentos de cor suave funcionam no verão e no inverno.”

Utilizar uma iluminação leve
“Além de ser um tipo de luz que que consome muito menos energia – até quando comparadas às lâmpadas de baixo rendimento – as lâmpadas LED não emitem calor”, explica. “Hoje existem cores muitos agradáveis, que não alteram o tom da casa e que não lhe dão aquele ar hospitalar típico destas lâmpadas antes.”

Arejar a casa nas alturas certas
Ter as janelas de casa abertas o dia todo vai criar o efeito contrário:  o espaço vai ficar muito quente porque o ar que circula é muito abafado. Ana Proença explica que o ideal é “arejar um pouco logo de manhã” e “fechar as janelas antes de sair”, mantendo a casa o mais escura possível durante o dia. “Os vidros duplos são muito interessantes porque protegem a casa tanto no inverno, do frio, como no verão, do calor”, acrescenta.

Utilizar os blackouts certos
Para quem não tem estores, os blackouts são uma boa opção para impedir a luz e o calor de entrarem em casa. Ana Proença explica que “existem tecidos muito interessantes que cortam em 60% os raios solares: a parte virada para a rua é refletora e a que está virada para dentro é decorativo, com a possibilidade de escolher “cores muito giras”.

Evitar utilizar equipamentos que emitam calor e apostar em janelas duplas
Não utilize os eletrodomésticos no pico do dia e mantenha-se longe do forno e dos fritos – aproveite para comer pratos mais leves e crus. Não tenha, por exemplo, o computador em cima da cama ou do sofá porque ele aquece as superfícies com que está em contacto. Desligue-o sempre que não o estiver a utilizar.

Manter a casa arrumada e pouco sobrecarregada

Manter uma casa em ordem faz-nos ganhar espaço e faz-nos sentir bem menos claustrofóbicos. Ao mesmo tempo, é importante que ela tenha apenas aquilo que é necessário, ou seja, que não haja mobiliário e acessórios decorativos em excesso: “Uma casa deve ter sempre espaço e qualidade de circulação”, explica.

Aprender a utilizar a ventoinha

Não tem ar condicionado, mas tem uma ventoinha. Ótimo. Importa agora saber utilizá-la: o ideal é mantê-la num canto da divisão da casa, de preferência, sem objetos para que o ar circule o mais livremente possível. Além disso, escolha daquelas que têm direcção orientada.

 

Ter a casa a cheirar a verão
O cheiro da casa influenciará sempre a forma como se sente dentro dela. Se no inverno queremos cheiros mais reconfortantes como canela ou baunilha, no verão procuramos cheiros mais leves e cítricos: “Há óleos essenciais com cheiros frescos, de hortelã, limão, eucalipto”, aconselha. Plantas bonitas e com grandes folhas verdes são o pormenor para rematar uma casa fresca, com espaço e com cheiro a verão.

 

 

Leave a Reply