By

Os homens gostam que as mulheres dêem o primeiro passo para beijar e iniciar os encontros sexuais. Ter iniciativa no sexo pode trazer mais prazer para ambos, mas parece que as mulheres não estão a corresponder.

Novas tendências no cortejamento e nas relações amorosas, alterações nos papéis de género e o impacto dos tabus sociais foram alguns dos aspetos investigados pela antropóloga biológica Helen Fisher para o site de encontros match.com. O seu estudo baseou-se nas respostas a um inquérito extensivo, online, a 5,509 pessoas solteiras, de ambos os géneros, residentes nos EUA com idades entre os 18 e os 70 anos.

Em conversa com a Saber Viver, Fisher avançou que “mais de 90 por cento dos homens gostariam que as mulheres lhes pedissem o contacto, que iniciassem o primeiro beijo e a primeira relação sexual, e que lhes ligassem no dia seguinte, antes de eles o fazerem”. Mas a antropóloga norte-americana descobriu que apenas 29% das mulheres dão o primeiro passo para beijar, só 23% iniciam o primeiro encontro sexual e só 13% pedem o número de telemóvel de um homem.

Qual a relação entre ter iniciativa no sexo e ser feminista?

A especialista diz que os resultados deste estudo mostram que “estamos a evoluir, mais lenta ou rapidamente dependendo da sociedade”.

Fisher defende que quanto mais presentes no mundo laboral estiverem as mulheres, mais “ganham financeira, social e sexualmente”. Essa foi outra descoberta da investigação: os homens sentem-se mais atraídos por empreendedoras, pessoas do género feminino confiantes, corajosas, criativas.

Os indivíduos do sexo masculino que participaram no estudo concordam que “o feminismo tornou o processo de encontrar uma parceira mais fácil, seguro e divertido para eles”.

Helen Fisher adiantou também que “os dados do estudo Singles in America revelaram que 87% dos homens se comprometeriam a ter uma relação estável e duradoura com uma mulher que tivesse um grau de escolaridade superior e ganhasse muito mais dinheiro do que eles”.

Sexo no primeiro encontro, sim ou não?

Atualmente, os jovens adultos querem saber tudo sobre o seu companheiro antes de darem o nó. “Para os millennials [a geração Y, composta por sujeitos nascidos entre 1980 e 2000], isso começa com o sexo antes do primeiro encontro”, conta Helen Fisher.

Porquê? É uma forma rápida e eficaz de perceber se a outra pessoa vale a pena o investimento monetário e emocional. Isto porque na intimidade são reveladas coisas como o sentido de humor dos intervenientes e a sua capacidade para ouvir.

“Os millennials são extremamente cautelosos, trabalhadores e ambiciosos”, justifica Helen Fisher

Por um lado, não querem privar-se da sua vida social. Por outro, Fisher assegura que “querem casar, querem estabilidade, mas têm medo que os relacionamentos falhem, por isso não dormem tanto com desconhecidos”.

Estatísticas sobre sexo

  • 75% dos homens e 64% das mulheres querem ter uma vida sexual mais aventureira;
  • 73% dos homens acreditam que o sexo ajuda a perceber se se gosta ou não de alguém;
  • 66% dos millennials não gostam de sexo oral;
  • 48% das pessoas desta geração fizeram sexo antes do primeiro encontro. Isto para verem se há uma ligação e se vale a pena continuarem a investir no outro;
  • 47% dos homens da mesma faixa etária já enviaram uma foto do seu pénis a uma mulher. Porém, elas não apreciam o gesto, com 53% a admitirem que receberam uma e 49% a dizerem que foi indesejada;
  • 43% dos homens acreditam que o sexo ajuda a estabelecer uma ligação emocional forte;
  • 40% deles acreditam que uma ligação emocional forte conduz a melhores relações sexuais;
  • 41% das mulheres bem-sucedidas tiveram sexo no último ano;
  • 38% dos homens ficam sexualmente excitados com empreendedoras.

Costuma ter iniciativa no sexo? Saiba ainda quanto tempo deve demorar uma relação sexual.

 

Leave a Reply