By

Tratemos as coisas pelos nomes: di-a-rrei-a. É esta a maior consequência da propagação de bactérias que contaminam a água e alimentos nos meses quentes. Já está a preparar as malas para ir de férias? É melhor fazer uma pausa e ler primeiro este artigo.

Calor, verão e férias. São palavras felizes que nos remetem para cenários repletos de alegria e de bons momentos de descanso. Não queremos ser desmancha-prazeres, mas sentimos a necessidade de alertar as nossas caras leitoras para um problema comum da época balnear: nos meses de julho e agosto aumentam muito os casos de… diarreia.

Aquilo que provoca o aumento deste terrível sintoma no verão é o crescimento da propagação de bactérias que contaminam a comida e os líquidos, devido ao aumento das temperaturas. Os sintomas destas infecções passam por dores abdominais, cólicas, febre, náuseas e, claro, a sensação urgente e sistemática de ir à casa de banho.

Somamos a todo desconforto causado por este problema, a pior e mais perigosa consequência: o elevado risco de desidratação que vem com a transpiração, vómitos, urina, fezes e respiração, através das quais se perde não só grandes quantidades de água, mas também de sódio, potássio e bicarbonato. Assim, é muito importante estar constantemente a repor a água perdida. No pior dos cenários, níveis de desidratação muito elevados poderão mesmo levar à morte.

Apesar de os sintomas deste problema poderem ser aliviados, o ideal é cortar o mal pela raiz e tratar diretamente a causa do problema – antidiarreicos proporcionam apenas uma melhoria superficial. Assim, o conselho passará sempre jogar pelo seguro e prevenir. Mas como? Nós explicamos.

1. Conserve bem os alimentos
Não corra o risco: evite alimentos que foram muito expostos ao calor. Em casa não coma alimentos que estiveram fora do frigorífico muito tempo e faça por levar sempre alimentos que não se estragam com o calor para a praia – mantendo-os à sombra.

2. Só coma em locais de confiança
Mais uma vez: não arrisque. Quando for almoçar, jantar, lanchar ou petiscar fora de casa coma apenas nos locais em que confia. Repare nos hábitos de higiene de quem lá trabalha e não vá em grandes aventuras – não é altura para isso.

3. Escolha bem a praia
Adoramos praias desconhecidas e novas, mas atenção: a água do mar pode estar contaminada, por algas ou esgoto – e isto pode levar a infecções ou alergias.

4. Reforce a hidratação e cuidado com os gelados
Voltamos a alertá-la para os perigos da água, mas desta vez relativamente àquela que ingere. No verão, compre água mineral de marcas que conhece e evite os gelados artesanais de fruta e de água.

Já passou por esta situação? Já tem as férias marcadas?

 

Leave a Reply