© Getty Images

6 tradições milenares aiurvédicas que queremos continuar a usar

Conheça os rituais de beleza ancestrais que ganharam uma nova abordagem. Antigas tradições base que se reinventaram e ganharam um lugar de destaque no tratamento de problemas modernos.

Conhecida como a ciência médica mais antiga da nossa era, a aiurveda foi criada na Índia e conta com mais de cinco mil anos. Designada como a ciência da vida, tem vindo a espalhar-se pelo mundo e as suas técnicas são cada vez mais utilizadas e aceites pela sociedade.

As terapias aiurvédicas integram a ciência médica combinada com plantas medicinais, exercício físico, meditação, ioga, massagens, entre outros. Aqui, o foco não é apenas o bem-estar físico mas o equilíbrio entre corpo, mente e alma.

Fique a conhecê-las e saiba como pode pô-las em prática. Pequenos gestos que prometem fazer a diferença pelo seu corpo e rosto.

6 tradições milenares com base na aiurvédica

1. Abhyangao ou massagem com óleo

Realizada com óleos vegetais, aos quais podem ser adicionadas plantas medicinais, esta massagem pode ser realizada em qualquer pessoa. o óleo utilizado deve ser adequado ao paciente, bem como os gestos, que podem ser mais ou menos vigorosos. É um processo muito utilizado noutras terapias, pois ajuda a purificar o corpo, eliminando toxinas.

Óleo seco Happy Buddha, Rituals (19,50€)

Pôr em prática

Não são aconselhados óleos minerais, opte antes pelos vegetais prensados a frio. Óleo de coco, girassol ou amêndoa são boas opções visto que não só nutrem a pele, como previnem o envelhecimento. Aqueça o óleo em banho-maria durante um a dois minutos. Comece por massajar o couro cabeludo com movimentos curtos e circulares. Passe gradualmente desta zona para a testa, atrás das orelhas, nuca e pescoço.


2. Gandusha ou tratamento da cavidade oral

Esta técnica de limpeza de dentes através da utilização de óleo pode parecer estranha. No entanto, à semelhança da limpeza do rosto, o óleo atrai óleo e acredita-se que tem a capacidade de remover e capturar as bactérias e toxinas da boca, deixando-a mais limpa.

Defende-se ainda que a gandusha branqueia os dentes e mantém as gengivas saudáveis.

Pôr em prática

Altos níveis de bactérias podem acumular-se na boca ao longo da noite e quem é que não conhece bem o terrível hálito matinal? Antes de escovar os dentes, bocheche uma colher de sopa com óleo orgânico, durante cerca de dez minutos.


3. Neti pot ou limpeza nasal

Semelhante à lâmpada de Aladino, o neti pot – também conhecido como pote nasal – é o melhor amigo de quem tem alergias, sinusite ou congestão nasal. No fundo, funciona como um fluxo de água que limpa as bactérias e toxinas acumuladas durante o dia. Além disto, os praticantes aiurvédicos defendem que irrigar o nariz pode reduzir o inchaço na zona dos olhos e aclarar as olheiras.

Pote nasal, Himalayan Institute (15€)

Pôr em prática

Misture dentro do pote ¾ de água morna filtrada, uma colher de chá de sal kosher e um ¼ de uma colher de chá de bicarbonato de sódio. Incline a cabeça para a frente e para a esquerda e despeje a água na narina direita. Repita a mesma preparação para a narina esquerda. Não se esqueça de fazer este processo no lavatório ou de um recipiente que recolha a água que cair.


Eye palming ou ioga para os olhos

Todos os dias, sofremos agressões que acabam por danificar os nossos olhos a longo prazo. O eye palming consiste na utilização do calor e toque das palmas das mãos, de forma a aliviar a pressão ocular e reduzir a tensão dos músculos em redor dos ossos orbitais.

Pôr em prática

Esfregue as palmas das mãos até aquecerem  De seguida feche os olhos e, utilizando a base da palma, pressione levemente o osso das maçãs do rosto. Com o resto da mão, crie o formato de taça, de forma a não tocar no olho. Respire profundamente e devagar durante cinco minutos e repita o processo para o outro olho.


Jiva sodhana ou raspagem da língua

Quando dormimos, as bactérias acumulam-se na superfície da língua. Raspar a mesma traz inúmeros benefícios. De hálito mais fresco a menor acumulação de bactérias e gengivas mais saudáveis tudo contribui para a saúde bucal. E, na verdade, até já o fazemos quando escovamos os dentes.

Remoção de bactérias, hálito fresco e gengivas  saudáveis são alguns dos pode esperar ao usar este produto.

Raspador de língua, Halitus (2,50€)

Pôr em prática

Deve realizar esta técnica após bochechar a boca com óleo e antes de escovar os dentes. Com uma ferramenta de metal específica para o processo, deslize suavemente o raspador desde a parte de dentro da língua até  à extremidade. Repita o movimento algumas vezes e certifique-se que passa a ferramenta por água entre cada passagem. Caso contrário, irá espalhar as bactérias recolhidas.


Padabhaga ou massagem nos pés

Retirar os sapatos assim que chegamos a casa é um gesto comum de muitas de nós. O prazer de andar descalça e a sensação de relaxamento é indiscutível. Segundo os ensinamentos aiurvédicos, os pés são a base que suporta o corpo humano e encontram-se ligados a todos os órgãos do nosso corpo através de terminações nervosas, pontos de pressão e nódulos linfáticos.

Esta crença está de tal forma enraizada que, na Índia, muitos devotos massajam os pés com óleo quente todas as noites antes de se deitarem. Esta técnica não só estimula a circulação, como também a energia nas extremidades do corpo.

Óleo de coco e abacate, Origens (5,99€)

Pôr em prática

Quando feitas regularmente, as massagens nos pés ajudam a reduzir o cansaço e melhoram a qualidade do sono. Lave os pés com água quente antes de se deitar. Sente-se com o pé numa coxa e outro entre as suas mãos. Comece pelo topo do pé e, quando chegar aos dedos, dobre-os para cima e para baixo. De seguida, massaje firmemente a planta do pé, com movimentos circulares em direção aos dedos.


Conhecia estas tradições baseadas nas terapias aiurvédicas? Saiba ainda quais os 12 aliados para uma rotina de beleza noturna infalível.

Mais sobre corpo , cosmética

Comentários

6 tradições milenares aiurvédicas que queremos continuar a usar

Os comentários podem ser editados por questões de clareza e para permitir respostas mais gerais.