By

Independentemente das estações do ano, há alimentos que devemos ter sempre na nossa despensa. Conheça a lista de essenciais que nos ajudam a fazer uma alimentação saudável e a salvar imprevistos.

A primavera é, por norma, a época do ano em que fazemos a limpeza mais profunda nas nossas casas, pelo que também é o momento ideal para verificar se a despensa está bem aprovisionada.

Além de poupar dinheiro, o facto de ter alimentos essenciais sempre à mão permite confecionar pratos nutritivos e saborosos mais rapidamente após um longo dia de trabalho. Não é preciso ser chef para saber casar os alimentos entre si e produzir pratos bem apaladados. Se os ingredientes ajudarem a prevenir problemas de saúde, melhor ainda! Descubra quais são os alimentos que deverá acrescentar à sua lista do supermercado.

ilust_despensa

O alho é muito versátil, saboroso e está repleto de benefícios para a saúde. Contém alicina, vitaminas B6 e C, cálcio e enxofre. O que significa que reforça a imunidade, previne as doenças cardíacas, combate o cancro (principalmente da próstata e do estômago) e reduz o colesterol mau. Por isso, se tem boa tolerância ao mau hálito, use e abuse deste ingrediente.

O azeite é uma gordura monoinsaturada que deve estar presente em todas as despensas. O azeite é rico em antioxidantes, tem uma forte ação anti-inflamatória, ajuda a combater as doenças cardíacas e o cancro, a curar queimaduras solares, a baixar o colesterol e a tensão arterial. Deve ser utilizado para cozinhar alimentos a temperaturas baixas e temperar refeições.

O consumo regular de chocolate negro, com pelo menos 70% de cacau, ajuda a reduzir o mau colesterol e baixar a tensão arterial, porque é um alimento rico em minerais, vitaminas e antioxidantes. Outra grande vantagem é que conserva-se durante vários meses à temperatura ambiente.

As ervas aromáticas enriquecem os pratos com o seu sabor e a sua fragrância. Devem ser usadas frescas, exceto os orégãos porque têm um aroma ainda melhor depois de secos. A maioria das ervas aromáticas tem propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e antimicrobianas.

Os flocos de aveia são úteis na prevenção de doenças cardíacas e da diabetes e também ajudam a manter um peso saudável, pois saciam durante longos períodos de tempo. São um excelente hidrato de carbono complexo, rico em fibra, antioxidantes, vitaminas B, E, ácido fólico, ferro, magnésio, selénio, zinco, e proteína. Guarde-os num recipiente à prova de humidade, pois, mantidos secos, podem durar até um ano.

Nozes, amêndoas, cajus, pinhões – a lista de frutos secos continua. Todos contêm gorduras monoinsaturadas e polinsaturadas, e só varia a composição de minerais (ferro, zinco, magnésio, fósforo, selénio e cobre) e vitaminas B1, B5, B9, B2, E, B6. Devem ser ingeridos crus, sem sal e/ou açúcar. Podem ser usados como lanche, a meio da tarde ou da manhã, em saladas ou sobremesas.

As leguminosas são dos alimentos mais saciantes e são baratas, fáceis de preparar e nutritivas. Proporcionam nutrientes essenciais como proteínas, ferro, cálcio, vitaminas (principalmente do complexo B), carboidratos e fibras.

O mel é composto por frutose, glucose e água e, quanto mais escuro for, mais elevado é o nível de antioxidantes. Melhora a saúde do aparelho digestivo e atua como prebiótico, ao estimular o aumento benéfico de algumas bactérias do intestino.

O tomate é um poderoso antioxidante e um anticancerígeno muito forte, combatendo sobretudo o cancro da próstata. O seu consumo regular reduz o colesterol mau (LDL), e previne o enfarte do miocárdio e o AVC. Conserve a polpa de tomate na despensa, mas após a primeira utilização deixe no frigorífico durante uma semana (no máximo).

A quinoa é isenta de glúten etem uma fortíssima ação antioxidante. É composta por oito dos nove aminoácidos essenciais, proteínas, fibra, ácido fólico, minerais e possui um vasto espetro de vitaminas. Combate a anemia, regula o açúcar no sangue, contribui para uma boa digestão e ainda para o alívio da prisão de ventre.

O sal marinho é obtido por evaporação da água do mar e tem um sabor diferente daquele do sal de mesa, graças ao seu conteúdo mineral. Acredita-se que o consumo de sal marinho seja uma alternativa mais saudável ao sal refinado, já que repõe os minerais perdidos pelo organismo diariamente. No entanto, não devemos ingerir mais do que 6 gramas por dia.

Originário da Itália, o vinagre balsâmico é escuro e agridoce, porque resulta do mosto de vinho envelhecido lentamente em cascos de madeira. É um condimento baixo em calorias (cerca de 5 por colher de chá), rico em potássio, cálcio, e magnésio, e melhora a circulação sanguínea.

Costuma ter este alimentos na sua despensa? Quais são os que mais usa?

 

Leave a Reply