By

Quantas vezes ouviu que não se deve comer hidratos de carbono à noite? E para não misturar alimentos de grupos diferentes? Vamos acabar com estes e muitos outros mitos sobre alimentação.

Estamos constantemente a ouvir o que é certo e errado no mundo da alimentação. Mas, afinal, será que podemos acreditar em tudo? Possivelmente não. Decidimos tirar as teimas e explicar quais os principais mitos sobre alimentação e porque tem de parar de acreditar neles a partir de hoje.

Sabia que ingerir bebidas alcoólicas à refeição não engorda? Este é um dos mais comuns. Mas há mais. Contamos tudo.

11 Mitos sobre alimentação que tem de conhecer

1. Tem de parar de comer os seus pratos preferidos

Não levar isto à letra. Pode comer o que quiser desde que o faça nas quantidades certas. O equilíbrio é que deve reinar numa alimentação saudável, não o sofrimento por não comer. Ao privar-se daquilo que lhe dá prazer, pode perder a motivação para alcançar o corpo que sempre quis. Por exemplo, se consumir açúcar em excesso irá engordar e provavelmente desencadear outro tio de doenças. Mas se o acrescentar comedidamente na sua alimentação, não o sente como uma privação absoluta.

2. Não deve comer entre as refeições

Esta teoria parou no tempo. Deve comer cinco a seis vezes por dia e, neste caso em particular, alguns snacks entre as refeições principais, como uma peça de fruta ou alguns frutos secos. Desde que não ultrapasse o limite saudável de calorias, pode comer o que lhe apetecer. Um iogurte magro ou uma maçã jamais arruinarão a sua saúde. Pelo contrário, ajudam a manter estável o nível de açúcar no sangue e impedem-na de devorar tudo o que lhe aparece à frente.

3. Não se deve combinar proteínas e hidratos de carbono

Há o falso princípio de que o sistema digestivo não consegue processar alimentos associados. Afirma-se que existe um choque entre proteínas e hidratos de carbono que, se conjugados, causam problemas digestivos e engordam. Errado! Poucos alimentos são proteínas ou hidratos de carbono em estado puro: na sua maioria, são mistos. E as enzimas digestivas são suficientemente competentes para decompor tudo o que coma, seja em conjunto ou em separado.

4. As dietas proteicas são uma maneira saudável de perder peso

Ainda não se conhecem os efeitos a longo prazo deste tipo de dietas na saúde. O que já se sabe é que obter a maioria das calorias diárias a partir das proteínas da carne, dos ovos ou do queijo não é saudável. Primeira contraindicação: excesso de gordura aumenta o risco de complicações cardíacas. Segunda contraindicação: pouca fruta, poucos legumes e poucos cereais integrais podem causar prisão de ventre por falta de fibras e essa carência está associada, em grande medida, ao aparecimento de alguns tipos de cancro. Como se não bastasse, a acumulação de cetonas também pode provocar mau hálito, dores de cabeça, náuseas e enjoos.

5. Saltar refeições é uma boa estratégia para perder peso

Este é outro dos mitos sobre alimentação que deve chegar ao fim. Existem vários estudos que demonstram que as pessoas que saltam refeições tendem a pesar mais que as que não o fazem, porque acumulam mais fome e petiscam com maior frequência. Quando salta refeições, o seu corpo entra em modo de preservação e o seu metabolismo desacelera. Comer três vezes por dia e uns outros tantos snacks ajuda a manter a fome controlada e a matar o apetite. O facto de comer equilibradamente também estabiliza o açúcar no sangue, mantendo-o afastado das tentadoras bolachas.

6. Deve evitar o amido

Na realidade, muitos alimentos ricos em amido (pão, arroz, massas, cereais, batatas e feijões) têm pouca gordura e são baixos em calorias. O problema são as doses que vêm acompanhadas por alimentos com alto teor de gorduras e calorias como a manteiga, natas ou maionese. Por serem uma uma fonte importante de energia, os nutricionistas costumam recomendar que estes constituam 45 a 55% da alimentação. Há que salientar também que nem todos os amidos são iguais. Os que têm um índice glicémico (IG) elevado como o pão branco, as batatas fritas e os doces fornecem um breve pico de energia; os hidratos de carbono com IG baixo como o pão de centeio integral, o arroz integral, os feijões cozidos e as maçãs fazem com que se sinta saciada durante mais tempo.

7. Fuja da gordura como quem foge da peste

Ainda que as gorduras tenham o dobro da densidade de calorias dos hidratos de carbono e das proteínas, não deve evitá-las porque, no final, vai apetecer-lhe comer tudo e mais alguma coisa. As gorduras fazem com que se sinta saciada durante mais tempo, pois evitam que o estômago fique vazio. É por isso que se deve consumir uma quantidade certa de gorduras para que o organismo funcione corretamente. São disso exemplos as gorduras vegetais (azeite, frutos secos e abacate) e as gorduras com Ómega-3 (peixes gordos como sardinha, cavala e salmão).

8. Todos os produtos lácteos engordam

Errado. O leite magro ou meio gordo, o queijo e o iogurte baixos em gordura são tão nutritivos quanto os produtos lácteos gordos. Continuam a ter proteínas para alimentar os músculos, para ajudar os órgãos a funcionarem corretamente e para fornecer o cálcio que os seus ossos necessitam. Como forma de prevenção, deve ler com atenção a composição de todos os produtos.

9. Como não tem gordura posso comer à-vontade

Falso! “Sem gordura” não é sinónimo de “sem calorias”. Apesar dos alimentos com pouca gordura ou mesmo sem ela terem menos calorias que os seus equivalentes “gordurosos”, muitos têm adição de açúcares ou de amido que melhoram a textura e o sabor que se perde quando a gordura é extraída. Estes ingredientes adicionam calorias aos alimentos. Por exemplo, as gomas não têm gordura, mas 100 gramas têm as mesmas calorias que, aproximadamente, seis fatias de pão!

10. Engorda ingerir bebidas alcoólicas às refeições 

O que fundamenta este mito é que o líquido dilui os sucos digestivos e as enzimas, atrasando por isso mesmo a digestão e acumulando um excesso de gordura corporal. Antes pelo contrário. Beber água às refeições melhora a digestão e ajuda a sentir-se saciada mais cedo. Obviamente, o álcool engorda porque tem muitas calorias, mas é algo que acontece, inevitavelmente, quer beba às refeições ou fora delas.

11. Vou ao ginásio, posso comer o que quiser

Este é um dos mitos sobre alimentação mais comuns. Infelizmente, fazer exercício não lhe chega para queimar calorias suficientes. Depois de deglutir um hambúrguer duplo com queijo e batatas fritas, tem de fazer uma caminhada em passo rápido durante quatro horas, se quiser queimar o que ingeriu! Quatro horas! A menos que reduza o que come, nem existem horas suficientes num dia para fazer exercício, nem o peso que tem a mais vai desaparecer sozinho.

Conhecia todos estes mitos sobre alimentação? Faz algum destes erros?

 

Leave a Reply